Classificação

6
Interpretação
6
Argumento
7
Realização
6
Banda Sonora

[Não contém spoilers]

CSI: Vegas é a mais recente produção de Jerry Bruckheimer, o produtor por detrás do franchise completo de CSI. CSI: Vegas tenta dar-nos um policial mais adequado ao estilo de série de hoje em dia, mas mantendo a essência do que era CSI: Las Vegas, o CSI original.

Começamos logo por ver uma cara conhecida, a de Jim Brass (Paul Guilfoyle) a lutar contra um invasor que o está a tentar matar. A grande diferença de CSI: Vegas para os restantes do franchise, é que, ao que parece, os dez episódios irão focar-se num único caso, só que esse caso tem ligações com muitos dos anteriores trabalhados pela equipa. Isto leva a que seja possível e provável que venham a aparecer uns quantos dos criminosos mais icónicos da série original. O próprio elenco é uma mistura entre novas personagens e algumas das antigas, como é o caso de Sara Sidle (Jorja Fox). Quem vir até ao fim ainda tem uma outra cara conhecida a regressar como surpresa.

A história deste episódio mantém-se muito fiel ao que era CSI. Há uma investigação, muito foco nos temas forenses, nas análises de provas, e no pensamento dedutivo. A única questão que levanto é se o mundo precisava mesmo de mais um CSI? É inegável que CSI foi um franchise icónico, e muito, muito importante na sua altura. Mas estamos cada vez mais a afastar-nos do género policial, será que faz sentido trazer estas personagens de volta mesmo que por apenas uma temporada? O público começou a interessar-se menos por este formato por não dar tanto espaço a construção de enredo e desenvolvimento de personagens. Acho que só o tempo dirá como a série irá ser recebida pelos fãs, mas uma decisão foi acertada: se havia alguma que pudesse ser feita era com Vegas. O CSI: New York não era tão carismático e o Miami parecia feito no gozo.

O enredo que a temporada vai abordar é que há alguém, presumivelmente um antigo inimigo da equipa, que está a tentar incriminar a antiga equipa de ter forjado provas, e podem ir para a rua centenas de criminosos caso isso seja provado. Assim a equipa irá ter que enfrentar vários outros criminosos, até descobrir quem está a organizar a tal vingança. No fundo é como se fosse uma temporada normal de CSI sem os episódios filler.

Banda sonora, realização e set estão muito do que seria de esperar. As mesmas vibes do que era o antigamente, mas com melhor qualidade, claro. Não se destacam mas cumprem o seu propósito. Quanto ao elenco, não há grandes surpresas, usando uma boa parte do elenco antigo, exceto algumas adições, só que neste curto episódio ainda não houve tempo suficiente para conseguir tirar elações. Foi uma boa apresentação.

Em suma, CSI: Vegas apela aos fãs do franchise original, e a quem tem saudades das séries de investigação policial. Talvez seja um pouco fora do seu tempo, mas já vimos séries bem piores. Não irei continuar a ver porque sinto que já deixei no passado o meu tempo para séries de investigação policial, mas também não acredito que esta série venha estragar o nome CSI. Agora resta esperar que a temporada seja boa e que não decidam fazer mais 14.

E vocês, vão ver? O que acharam?

Raul Araújo