Classificação

7
Interpretação
4.5
Argumento
7
Realização
7
Banda Sonora

[Contém spoilers.]

Na passada sexta-feira, Legacies trouxe-nos o mais recente episódio desta sua 3.ª temporada, intitulado Long Time, No See.

Neste novo capítulo, MG encontra-se num desentendimento com o Super Squad após a descoberta da sua controversa decisão. Entretanto, Hope coloca um arriscado plano em ação, indiferente às suas potenciais consequências. Por fim, Kaleb, Cleo e Alaric juntam forças para lidar com o mais recente monstro da semana.

Por muito que me custe a admitir, este episódio de Legacies não foi terrível. Long Time, No See surge como um capítulo bem estruturado, com um tom mais sério, que me puxa à memória alguns episódios da 1.ª temporada da série ou até um ou outro momento de The Vampire Diaries ou mesmo The Originals. No entanto, é aqui que acabam os meus elogios, uma vez que peca por ser um episódio enfadonho e dececionante, com um argumento que deixa muito a desejar ao mostrar-se incapaz de produzir qualquer tipo de emoção em mim que não irritação – talvez por não estar de todo investida na narrativa entre Hope e Landon, em especial nesta temporada.

É com este episódio que Legacies conquista aquele que eu acreditava ser um marco inalcançável, tornando Hope, a protagonista da série e a minha personagem favorita, em alguém completamente insuportável. Neste novo capítulo, a tríbrida mostra-se ainda mais irritante do que tem sido ao longo desta 3.ª temporada – e certamente muito mais cruel. Mas, ao contrário do que a série parece acreditar, estas características não fazem com que Hope se assemelhe mais aos seus pais. Na verdade, acredito que tanto Klaus como Hayley teriam alguma vergonha da pessoa que a sua filha se tornou, pelo que o facto da série procurar encontrar uma justificação para o comportamento de Hope na sua linhagem não me cai particularmente bem. Se soubesse que Legacies iria assassinar por completo o carácter desta personagem, não me teria queixado tanto sobre a sua falta de tempo de antena, mas aqui estamos.

A realidade é que Hope, de momento, não se importa com nada nem ninguém a não ser Landon. É um facto incontornável que tenho vindo a desculpar ao longo da temporada, dadas as circunstâncias em que a personagem se encontra desde o desaparecimento do seu namorado em Hold On Tight. No entanto, a partir do momento em que Hope está disposta a manipular e sacrificar aqueles à sua volta para ter aquilo que quer, inclusive deixar Josie e Lizzie serem consumidas por magia negra, esta minha compreensão desaparece por completo – ainda para mais tendo em conta que, na temporada anterior, Hope tomou a decisão de sacrificar Landon pelas gémeas. Pessoalmente, não acredito que a série tenha feito um trabalho bom o suficiente no que diz respeito a desenvolver a narrativa de Hope de modo a que esta mudança de atitude faça sentido, em especial dado que a personagem nem sequer demonstrou sentir grandes remorsos em relação às decisões que tomou em Long Time, No See. Espero que Legacies perceba rapidamente que Hope ultrapassou limites que não deveriam ser cruzados, e que se demonstre capaz de redimir a personagem, corrigindo os seus erros ao invés de os varrer para debaixo do tapete.

Apesar de não ser uma figura de destaque nesta 3.ª temporada, MG sempre foi um dos personagens por quem nutro mais carinho na série, pelo que me senti incomodada pelo modo como foi ostracizado pelo seu grupo de amigos (em grande parte, porque nenhum deles quer fazer parte da lista negra de Hope). Compreendo o porquê de o vampiro ter tomado a decisão de esconder o ascendente e, sinceramente, se tivesse na sua posição, acredito que teria feito o mesmo. Relembro que salvar Landon sempre foi visto como algo hipotético, uma vez que, até este episódio, o Super Squad não havia encontrado qualquer tipo de pista que provasse que o personagem estava vivo e, assim, que justificasse abrir um portal para um mundo prisão repleto de monstros provenientes de Malivore. Acredito que a série irá em breve demonstrar que as preocupações de MG estavam devidamente fundadas, ainda que lamente que os acontecimentos deste episódio tenham levado a que o vampiro não se sinta mais bem-vindo na escola.

Por outro lado, agrada-me que Lizzie tenha sido das poucas personagens a tomar o partido de MG – ainda que, no final, o tenha traído para salvar a sua irmã. Apesar de infeliz, foi uma traição justificável. Não sei se falo por todos, mas senti que Lizzie temia verdadeiramente pela vida da sua irmã, sabendo que Josie faria de tudo para ajudar Hope. Ainda que as circunstâncias não tenham sido as ideais, gostei de ver esta mudança de dinâmica entre as irmãs, cuja relação tem proporcionado uma agradável constante ao longo de Legacies. Fico também feliz em ver o quanto Lizzie progrediu enquanto personagem, tendo-se vindo a destacar não só ao longo desta temporada, mas também ao longo de toda a série. Aguardo ansiosamente a reconciliação entre Lizzie e Milton, e sinto curiosidade em ver de que forma os eventos de Long Time, No See irão afetar a relação entre a personagem e Hope.

Ainda neste episódio, Josie decide abandonar por completo a Salvatore School, preferindo mudar-se para a cidade. Após o sucedido, não a posso censurar; é certo e sabido que Josie tem o mau hábito de se colocar em perigo para ajudar aqueles que lhe são próximos. Os eventos da segunda temporada e as suas aventuras com magia negra levam a que Josie não se sinta confortável em praticar qualquer tipo de magia, e este episódio serve apenas para reforçar esse seu trauma. Tenho alguma esperança que o facto de a personagem ter tido novamente contacto com este tipo de magia resulte em algum tipo de consequências para Josie, mas não sustenho o fôlego à espera de que Legacies decida criar algum tipo de narrativa de interesse.

Por fim, não é preciso um génio para perceber que Landon não é realmente Landon. Estamos todos de acordo, certo? Estamos todos na mesma página, certo? Quer dizer, a linha entre o personagem e Malivore foi esbatida em Hold On Tight e, na minha humilde opinião, assim continua. Novamente, não tenho grande interesse em Landon. Tenho alguma curiosidade em ver o que é feito da ex-fénix, é verdade, mas estou completamente saturada do personagem e nem estes últimos episódios serviram para recuperar deste excesso, ainda para mais com Hope a dizer o nome do seu namorado a cada linha de diálogo. No entanto, tenho interesse sim em ver de que forma esta grande revelação afetará Hope, que arriscou tudo e todos por Landon, o seu amor épico, mas nem sequer é capaz de reconhecer um impostor.

Como nota de rodapé, resta-me ainda dizer que Cleo continua a aparecer como uma interessante adição ao repertório de personagens desta série. Fico feliz em ver Legacies a explorar e desenvolver a personagem, como gostaria que tivesse feito com outras no passado. Num polo oposto, no entanto, temos Finch, que continua a surgir como uma personagem sem qualquer tipo de desenvolvimento próprio, incapaz de puxar pelo meu interesse, sendo que a maioria da informação que temos acerca do novo interesse amoroso de Josie nos é transmitida por Ethan.

Legacies entra agora numa breve pausa, com regresso marcado para a próxima semana. Entretanto, podes rever a série através da plataforma de streaming HBO Portugal.

Inês Salvado