Classificação

7.5
Interpretação
7
Argumento
7
Realização
6.5
Banda Sonora

[Contém Spoilers]

Tom está fora da Casa Branca, aliás, está fora dos EUA, mas ninguém sabe, a não ser o seu staff. Descobrimos que Tom vai a caminho de Cabul, Afeganistão, acompanhado por Mike e Aaron, para visitar as tropas americanas em missão no país e simultaneamente conseguir assinar um tratado de paz com um dos líderes dos terroristas que lideram o país e o terrorismo contra a América.

O Presidente é recebido em euforia pelos soldados e começa a sua visita por servir-lhes o pequeno-almoço, ao mesmo tempo que os vai conhecendo. Acaba por estabelecer ali uma pequena amizade com Harry, um soldado mais velho que se encontra em missão há mais de vinte anos.

Quem está presente na base militar americana no Afeganistão é Hannah (sabe-se lá como ela foi lá parar tão rapidamente, mas é bom ver Maggie Q e Shuterland contracenarem).

Os dois principais líderes dos grupos terroristas, e rivais entre si, Mullah Bahri e Mullah Fayad, são as opções de Tom para estabelecer um acordo e terminar com a guerra entre os dois países. No entanto, informações sugerem que um deles está a planear um ataque em solo americano, mas não conseguem descortinar qual dos dois. Sendo assim, Tom vê-se obrigado a falar com os dois e a discutir as suas ideias com os dois, de forma a não “apostar no cavalo errado” e a tudo isto não terminar num novo 11 de Setembro.

As conversas com os líderes terroristas correm de maneira completamente diferentes: com Bahri, conhecido como o “jovem”, a conversa é mais tranquila e conseguem chegar a um entendimento, ou pelo menos a um início de entendimento; já com Fayad a conversa é mais complicada e acaba em discussão e Fayad não acredita na boa vontade de Tom, principalmente por este se ter encontrado com o seu inimigo e rival. No final desta primeira ronda ninguém acredita que o “cavalo certo” é Fayad.

Entretanto, acontece um ataque-bomba num mercado em Cabul, matando militares americanos. Para além disto, a casa segura da CIA em Cabul foi invadida, conseguindo Kevin Dean, o chefe da estação e amigo de Hannah, escapar com vida, mas desconhecendo-se o seu paradeiro. Hannah discorda da tática militar para encontrar Kevin e Aaron arranja-lhe um parceiro para descobrir Kevin, Mike. A dupla não começa com o pé direito, desconfiando ambos das capacidades do outro. Mike contesta ainda as ações de Hannah, que têm levado continuamente perigo a Tom. A caminho para descobrir o paradeiro de Kevin, explode uma bomba mesmo ao lado do carro em que seguem e, a juntar a isso, um atirador dispara contra eles. Sem alternativa, têm que unir forças e juntos conseguem eliminar o atirador e seguir até à casa segura da CIA. Hannah descobre uma pista deixada por Kevin e seguem para o local onde Kevin se esconde.

Tom volta a reunir-se com Bahri, que acusa Fayad do ataque bombista, pois este é dono de uma empresa responsável por produzir os químicos necessários para construir a bomba. Quando confronta Fayad com isso, a resposta que Tom obtém é de que esses químicos são produzidos para melhorar a saúde e a vivência dos afegãos. Resposta essa na qual Tom não acredita.

Kevin quando foi encontrado relatou a Hannah e a Mike que tinha ouvido os terroristas falarem urdu, o que indica que são paquistaneses e com a conversa que ele ouviu, Tom consegue concluir quem é o líder por detrás do ataque.

Assim, Tom reúne-se novamente com Bahri, dizendo-lhe que as provas apontam todas para Fayad: o material para construir a bomba e os atacantes que são paquistaneses, com quem Fayad tem uma estreita ligação, mas… Fayad não é o responsável pelos ataques, Bahri é e Tom sabe! Existem fotografias do complexo de Bahri onde é possível ver vários carros de matrícula paquistanesa e Kevin ouviu-os falar no “jovem”, nome pelo qual Bahri é conhecido pelos seus seguidores, como fez questão de dizer a Tom mais cedo. Tom promete a Bahri que vai pagar pelo ataque.

Ainda neste episódio, Seth é detido e acusado por posse de droga, enquanto estava com o irmão. Emily fica completamente transtornada, o seu namorado, mas primeiro que tudo, o seu subordinado, consegue pôr em causa toda a Casa Branca. Seth consegue que não se saiba que ele trabalha na Casa Branca, mas mesmo assim nunca se sabe como a situação vai acabar.

A juntar a isto, descobre-se que Lyor é casado, ainda que só no papel, e que tem uma dívida de muitos milhares de dólares em impostos. Mesmo com este problema, Lyor substitui Seth como responsável pela imprensa, já que o seu problema é considerado menor.

As coisas resolvem-se e Seth não é acusado, pois Kendra consegue provar que não havia causa provável para Seth ser revistado e, por isso, tudo o que foi encontrado, nomeadamente as drogas, não é admissível em tribunal. Descobrimos ainda que as drogas não eram de Seth, mas sim do seu irmão e que ele fez isso tudo apenas para protegê-lo. A sua relação com Emily é que parece ter levado aqui um valente abanão.

Gostei deste episódio, foi mais animado e diferente e isso agradou-me. Vimos Tom fora da Casa Branca, no terreno e a interação com os líderes terroristas conseguir manter o interesse ao longo do episódio. As situações em solo americano foram mais ligeiras e mostraram um pouco a vida do staff de Tom, o que também se tornou engraçado de ver. A história de Lloyd é que continua por desenvolver.

David Pereira