The Missing é uma minisérie, dividida entre Londres e França, que nos conta a história de um pai devastado pelo rapto do filho. Tony fica obcecado com Oliver, não conseguindo lidar com a situação ou aceitar que o filho pode estar morto. Continua, incessantemente, à procura de Oliver, destruindo-se a si mesmo e ao seu casamento. Todo o episódio é composto por flashbacks e imagens actuais, estando sempre neste jogo de puxar atrás e à frente.

A parte inicial do episódio mostra Tony, já sem Oliver, e logo de seguida, temos um flashback, com eles em França. A família tem um problema no carro, e tem de deixá-lo numa oficina.

Voltamos à actualidade, Tony bêbedo, a vaguear pela rua, perguntando aos transeuntes se viram a pessoa que mostra em fotografias, porque tem o cachecol que o filho usava quando desapareceu. Emily, a esposa de Tony e mãe de Oliver, refez, no entretanto, a sua vida com outro homem, mas continua a relacionar-se com o ex-marido.

Vamos acompanhando Oliver, o seu crescimento, as suas brincadeiras, e vemos, também, quando desaparece: no meio dos festejos de um jogo. Ollie desaparece sem deixar rasto, a polícia aparece de imediato, mas não há sinal do menino.

Julien foi o polícia francês que acompanhou o caso de perto, mas mesmo estando reformado no presente, continua a manter contacto com Tony, e não consegue apagar a esperança de que Ollie ainda esteja vivo. Ao mesmo tempo, um livro foi escrito sobre o desaparecimento da criança, o que perturba Emily.

Noutro flashback podemos sentir o desespero de uns pais que perderam o filho, quando Emily julga ter visto a criança.

Tony continua em busca de pistas, com a ajuda de Julien, e é no final do episódio que parece ter chegado a algo.

Gostei muito do que vi, a dinâmica dos flashbacks dá ritmo à série, e acho que foi uma aposta bem conseguida, mesmo não sendo um tema novo. Ainda para mais, é um tema actual, e não consigo não me deixar tocar pela dor que será perder alguém, sem sabermos como, especialmente, um filho. Acho que vou continuar a acompanhar esta minisérie. E vocês? O que é que acharam? Algo de diferente do habitual?

Nota: 8/10

Beatriz Barroca