A plataforma Quibi, que foi lançada em abril nos Estados Unidos da América, vai terminar a atividade e já foi anunciado que o dia 1 de dezembro vai ser o último do serviço. A decisão foi tomada esta semana, depois de o fundador da Quibi, Jeffrey Katzenberg, ter dado a notícia aos investidores. Disponível há menos de sete meses, a plataforma viu-se em dificuldades muito cedo, com o número de utilizadores a ser inferior ao esperado e também com acusações de violação de patentes, interposta pela Eko, uma empresa ligada aos meios de comunicação.

Séries como Reno 911!, Die Hart e Most Dangerous Game já tinham sido renovadas para 2.ª temporada, mas o seu destino, tal como a das restantes apostas da plataforma, é incerto, não se sabendo se alguma delas “estará disponível nalgum lado” depois de dia 1 de dezembro.

Quibi (abreviatura de quick bites/dentadas rápidas) é uma aplicação exclusiva para telemóveis e foca-se em ofertas de curta duração. O objetivo desta plataforma, cujos episódios das séries rondam os 1o minutos, passava por atrair pessoas que, devido à azáfama do quotidiano, não tivessem muito tempo disponível, sendo que o conteúdo também está disponível para download de forma a que seja possível ver sem se estar conectado à internet.

Na plataforma, no anúncio do fim do serviço, podem ser lidas algumas palavras de agradecimento aos utilizadores. “Estamos gratos pelo apoio que recebemos dos nossos clientes e queremos agradecer-vos por nos terem dado a oportunidade de vos entreter”.

Nestes meses, a Quibi lançou várias séries, como The Stranger, The Fugitive, Dummy ou Survive, algumas delas com nomes bem conhecidos da área da representação, como Anna Kendrick, Liam Hemsworth, Kiefer Sutherland, Sophie Turner e Corey Hawkins. Os episódios de algumas destas séries foram disponibilizados no YouTube, portanto podes aproveitar para espreitar e se quiseres conhecer melhor todas as ofertas deste serviço prestes a terminar, podes fazê-lo aqui.