Continuamos a trazer curiosidades sobre as tuas séries favoritas e desta vez vamos dar a conhecer-te algumas sobre Mare of Easttown:

1. Brad Ingelsby, o criador de Mare of Easttown, teve a ideia para a série depois de ter falado com um polícia de uma pequena esquadra, em que apenas um detetive era o responsável por todos os casos. Essa ideia pareceu-lhe interessante e quis que tudo se passasse em Filadélfia, onde ele cresceu. A combinação desses dois fatores era a história que queria contar. No entanto, não foi apenas o seu local de origem que ajudou a moldar a série. O pai e o irmão de Ingelsby jogavam basquetebol e foi isso que inspirou o passado de Mary enquanto atleta.

2. Mare of Easttown foi o primeiro trabalho televisivo de Ingelsby e isso envolveu alguma aprendizagem: como organizar uma história para ser contada em 6/7 horas, ao mesmo tempo que o elemento mistério é preservado e se criam cliffhangers. Contudo, esta mudança do cinema para a televisão proporcionou a Ingelsby mais margem de manobra para a construção de personagens e permitiu-lhe proporcionar mais tempo de ecrã a personagens secundários que num filme não poderiam aparecer tanto.

3. Para Ingelsby, havia um objetivo muito concreto na série, apesar de esta retratar um local fictício. “Há pessoas que se levantam todas as manhãs para ir para trabalhos que não adoram necessariamente, mas fazem-no por uma espécie de sentido do dever”, portanto ele queria mostrar “estas comunidades que existem e não têm frequentemente tempo de ecrã de uma forma que seja heroica e nobre, mas também empática”. Por tudo isto, revelou-se muito importante, tanto para a equipa como para o elenco, mostrar Easttown sob uma luz realista. Para tal, contribuíram pequenos pormenores, nomeadamente alguns relacionados com o vestuário, sendo que a equipa se inspirou na forma como as pessoas que se viam na loja de conveniência local se vestiam para criar o visual dos personagens.

4. Para compreender o que significa ser detetive, Kate Winslet, a protagonista da série, mas também produtora executiva, passou vários meses com polícias da Pensilvânia. A atriz passou muito tempo com uma detetive em particular, de nome Christine Bleiler, do condado de Chester, na qual se inspirou para dar vida a Mare Sheehan. Bleiler estava muitas vezes presente nas gravações para dar o seu aval acerca de algo parecer demasiado exagerado ou irrealista.

5. O sotaque foi outra grande preocupação na série, se bem que, primeiro, os produtores pensaram num sotaque comum nova-iorquino. No entanto, à medida que a produção avançava, Winslet considerou que era importante usarem um sotaque autêntico daquela zona, conhecido como sotaque delco, sendo que Delco é também a forma coloquial usada como referência ao condado de Delaware. Então foi contratada uma pessoa especificamente para ensinar e treinar o elenco no uso do sotaque, que é conhecido como sendo um dos mais difíceis de imitar. Susan Hegarty foi a escolhida para fazer esse trabalho com os atores.

6. Ao início, a HBO hesitou quando percebeu que Mare apareceria sem maquilhagem, com o cabelo por arranjar e que teria algumas características que não a tornavam a pessoa mais likeable de sempre. No entanto, Winslet foi bastante firme acerca de se preservar a essência da personagem, afirmando que se podia ter feito uma versão diferente, mas que nunca acreditou “nem por um segundo, que ela [Mare], primeiro que tudo, tivesse tempo, e em segundo lugar, que se preocupasse em olhar para o espelho”. Aliado a tudo isso, e apesar de Mare ter sido atleta quando era jovem, Kate também não “queria torná-la uma impossível super-humana com 40 e tal anos”, porque “a maioria das mulheres não são assim.”

7. Os elementos do elenco fizeram os possíveis para passarem tempo juntos a conversar e a desenvolver um passado e uma história para os seus personagens. Como o sentido de comunidade é tão importante para a série, era também importante que o elenco tivesse uma relação de proximidade. Evan Peters confessou que a sua dinâmica com Winslet espelhava a dos seus personagens, com Colin Zabel a sentir-se, por um lado, intimidado por Mare, e, por outro, a sentir que podia aprender muito com ela.

8. Winslet e Jean Smart, que dá vida a Helen Fahey, a mãe de Mare, afastavam-se do guião e improvisavam muitas cenas. Algum desse improviso exigia um certo comedimento por parte da equipa para não se começarem a rir e arruinarem os takes.

9. Na série, Julianne Nicholson interpreta Lori Ross, a melhor amiga de Mare, e as duas atrizes são também muito próximas na vida real. Aliás, o marido de Julianne é padrinho de um dos filhos de Kate Winslet.

10. Inicialmente, Ben Miles tinha sido escolhido para o papel de Richard Ryan. No entanto, o ator teve que desistir da série devido a questões de calendarização. Acabou por ser então Guy Pearce a preencher o lugar deixado vago por Miles. Também nisto Winslet teve influência. Ela telefonou a Ritchie a oferecer-lhe o papel e este aceitou rapidamente. Os dois já tinham contracenado anteriormente numa série da HBO, Mildred Pierce, na qual também tiveram um envolvimento amoroso.

11. O primeiro dia de trabalho de Pearce na série coincidiu com a paragem das gravações devido à pandemia, em março de 2020. Quando a produção foi retomada, Kate, Guy, Jean e Angourice Rice, a jovem atriz que interpreta Siobhan, a filha de Mare, partilharam casa.

12. Winslet esforçou-se tanto por entrar na personagem que, quando estavam em período de filmagens, não conseguia estar na mesma divisão que Cody Kostro, que dá vida a Kevin, o falecido filho de Mare. A atriz, inclusive, passou muito tempo com terapeutas especializados em lidar com o luto e também com pais que perderam os filhos para tentar perceber melhor aquilo que a sua personagem estava a passar.

Conhecias alguma destas curiosidades sobre Mare of Easttown?