Já se passaram mais de 14 anos desde que Grey’s Anatomy chegou aos ecrãs. Muitos de nós éramos miúdos que agora nos tornámos adultos, tal como os personagens passaram de jovens internos a respeitáveis médicos. A série pode não ser a mesmo que era, pode já não ter a magia de outros tempos, mas em todos estes anos houve muitos momentos marcantes, episódios que nos deixaram coladas ao ecrã. Em jeito de homenagem às quinze temporadas completas da série, com a 16.ª já aqui à porta, decidimos escrever uma crónica – que vamos dividir em duas edições – sobre os 15 episódios que, para nós, são os melhores da série.

grey's 03x16Drowning on Dry Land – 03×16: Esta é a segunda parte do primeiro episódio de Grey’s a envolver uma grande catástrofe. Houve muitos episódios interessantes antes, mas este é diferente, marca um tom mais pesado para a série e apela verdadeiramente às emoções. Há muita coisa a acontecer depois de ter havido um acidente com o ferry-boat: Alex salvou uma mulher grávida e tem também de lidar com um sistema que está mal preparado para ajudar os familiares das vítimas a obterem notícias e Izzie salvou a vida de um homem com um procedimento digno de MacGyver. Num prisma mais pessoal, Addison anda a passar por momentos difíceis e pergunta-se se alguém daria pela falta dela se desaparecesse. Todo o tom do episódio é deprimente, com uma banda sonora muito boa e que ajuda a deixar florescer as emoções, mas a história principal anda à volta de Meredith, que se afogou acidentalmente e agora luta pela vida. Isto é um pouco especulativo, mas acho que muitos concordariam que Meredith pode ter caído à água por acidente, mas que escolheu deixar-se ir, que estava num momento da vida em que não foi capaz de vir à tona, literal e figurativamente. Andava deprimida por causa da mãe e cansou-se de uma vida que sentia que só lhe tinha trazido sofrimento. No entanto, há muitas pessoas que se preocupam e que estão dispostas a lutar por ela: Derek, o homem que ama, que a ama também e que a tirou da água gelada; Richard, Bailey, Burke e Addison, os médicos experientes com quem ela trabalha e que não se poupam a esforços para a salvar; Cristina, Izzie, Alex e George, os amigos que lidam com a espera de formas muito diferentes. A amizade entre Derek e Mark também dá um pequeno passo na reconciliação, com este último a ir sentar-se junto do amigo enquanto este aguarda por notícias acerca de Meredith. O episódio também é feito de forma a deixar-nos a pensar nos efeitos que a morte de Meredith teria naqueles que a amam e, consequentemente, nos efeitos que a morte de qualquer pessoa tem junto dos seus.

6x15YoungEllisGreyThe Time Warp – 06×15: Como o próprio nome indica, este episódio é uma pequena jornada ao passado, trazida até nós por Richard, Bailey e Callie aquando da apresentação de importantes casos cirúrgicos em que trabalharam anteriormente. Richard, que regressa agora de um programa de reabilitação devido aos seus problemas com a bebida, relembra o caso de um paciente que partilhou com Ellis Grey (interpretada, aqui, por Sarah Paulson), na década de 80. Aqui, é feito um retrato à sociedade da época, não só pela forma como Richard e Ellis são tratados pelos seus colegas por serem, respetivamente, um homem negro e uma mulher a exercer medicina, mas através também do próprio paciente, um homem com SIDA, uma doença até então associada de forma exclusiva à comunidade LGBT. Grey’s não é estranha a estes tópicos, mas, tendo um cast tão diverso e mais representativo dos dias de hoje, é fácil esquecer que nem sempre o mundo foi assim e esta é uma das razões que levam a que este episódio seja um de destaque, na minha memória da série. Já a história de Bailey é de perseverança e uma forte lembrança de que, por vezes, temos de nos fazer ouvir num mundo decidido a silenciar-nos. A então interma, que em pouco se assemelha à Dr.ª Bailey a que estamos habituados, passa a maior parte do tempo deste episódio a lutar pelo diagnóstico correto da sua paciente, uma mulher que sofre de fortes dores abdominais. Esta luta coloca-a frente a frente com a sua superior, que não só se apropria das ideias de Miranda, fazendo-as passar por suas, mas constantemente a ameaça e pune, até que Bailey (com um empurrãozinho de Richard) finalmente se impõe. Por fim, o caso apresentado por Callie ensina uma forte lição sobre a diferença entre arrogância e confiança, começando com a médica a fazer promessas ao seu paciente que poderá não conseguir cumprir, mas ainda assim alcançando o seu objetivo. São as muitas lições deste episódio que o tornam especial e o facto de esta sequência de apresentações terminar com Richard citando o juramento dos médicos é a cereja no topo.

grey's 06x23Sanctuary e Death and All His Friends – 06×23/06×24: As grandes catástrofes de Grey’s resultam, por norma, em episódios memoráveis e poucos serão os episódios mais conhecidos que aqueles que retratam o tiroteio no hospital. Este acontecimento tem lugar no decorrer de uma história que começou um pouco antes, na qual um homem, Gary Clark, perdeu a sua mulher devido a complicações pós-cirúrgicas. Clark acaba por embarcar numa jornada com o objetivo de vingar a morte da sua mulher, culpando Lexie, Webber e, em especial, Derek pelo sucedido. Regressa então ao hospital, armado e pronto a matar quem quer que seja que atravesse o seu caminho. São vários os momentos de grande tensão nestes dois episódios, que contaram com várias mortes e numerosos feridos de entre personagens que, de forma geral, eram apreciadas pelo público. Desses momentos, destaco a viagem de elevador de Yang e Clark, que tudo tinha para correr mal – afinal, Yang consegue ser das personagens mais desbocadas da série – mas, felizmente, seguiu outro caminho quando a médica o decidiu ajudar. Outra destas cenas foi aquela entre o atirador, Callie e Arizona, que cuidavam de uma criança quando foram encontradas por Clark, já ferido. Callie consegue dar a volta à situação ao oferecer a Clark compressas, o que faz com que este eventualmente as deixe em paz. Apesar do momento ser consideravelmente curto, a possibilidade de algo acontecer à criança torna-o bastante tenso. Por fim, a cena em que Richard encontra Clark foi, também, uma das mais desconcertantes destes episódios, ainda que o seu desfecho fosse previsível. Estes são os momentos que mais se destacaram para mim, mas é claro que, durante o episódio, foram muitos os que deixaram os fãs da série de coração nas mãos. Com a maioria do hospital já evacuado, Yang vê-se forçada a operar Derek após este ter sido atingido no peito por Clark, que entra agora na sala de operações para tentar impedir os médicos de salvarem a vida ao cirurgião. Jackson consegue enganar o homem ao desligar as máquinas que monitorizam os dados vitais de Derek sem que Clark se aperceba, mas o stress da situação leva a que Meredith sofra um aborto espontâneo pouco depois do sucedido. Derek é, assim, um dos sobreviventes destes dois episódios, à semelhança de Alex, que também foi alvejado. Já Reed e Percy não tiveram a mesma sorte, sendo que o último morreu nos braços de Bailey, apesar dos seus esforços para o salvar. No geral, estes foram dos episódios mais traumáticos que Grey’s já teve e, para além de interessantes, proporcionaram aos atores uma oportunidade para realmente mostrarem o que valem.

grey's 07x18Song Beneath the Song – 07×18: Se existem episódios que se destacam pelos seus acontecimentos, outros fazem-no pela maneira como os expõem, fugindo àquilo que é esperado da série. Esse é o caso deste episódio, que tem lugar imediatamente após o acidente de carro sofrido por Callie e Arizona, no qual Callie, então grávida, fica gravemente ferida. A história é contada, na sua grande maioria, pela perspetiva do espírito de Callie que, fora do seu corpo, observa o que se passa em seu redor e processa-o através de música. As opiniões sobre este episódio estão divididas em polos opostos, com fãs a considerá-lo um excelente episódio e outros a achar que nunca deveria ter sido feito. A verdade é que, independentemente das opiniões, a decisão de fazer um episódio musical foi arriscada e, sejamos honestos, poderia ter resultado num episódio muito pior. A quantidade de momentos musicais contidos neste episódio distraiu um pouco da narrativa, mas outros tantos mostraram um lado dos atores até então desconhecido e ligaram para sempre algumas músicas à série.

grey's 08x24Flight – 08×24: Se houve tragédia que mudou por completo a vida das nossas personagens, essa foi, sem dúvida, a queda do avião. Não só muitos dos médicos sofrem ferimentos graves, como também perdemos Lexie Grey, esmagada pela parte traseira do avião, e, mais tarde, Mark Sloan, que nunca recuperou das suas lesões. Os momentos finais de Lexie são devastadores, ainda para mais por a médica saber que não vai sobreviver ao acidente. Mark está sempre a seu lado, negando o inevitável até se tornar dolorosamente óbvio e todos chorámos quando a pequena Grey expirou pela última vez. Entretanto, Arizona sofre uma grave lesão na sua perna, que mais tarde viria a ser amputada, e Meredith ocupa o seu tempo em busca de Derek, que, por sua vez, quase perde a sua mão após esta ficar presa entre os destroços do avião. Cristina emerge como voz da razão, neste episódio, impedindo que o pânico se instale. A parte mais inquietante de Flight é, na minha opinião, o facto de ninguém saber o que aconteceu, pelo que, no hospital, a vida continua o seu ritmo normal. Vários dos médicos tomam agora decisões que afectarão o seu futuro – problemas que parecem bastante triviais, tendo em conta tudo o resto. Só mesmo no final do episódio é que Owen se apercebe de que algo está errado quando ouve as mensagens no seu atendedor de chamadas e descobre que os médicos nunca chegaram ao seu destino. Os acontecimentos em si e como são transmitidos pelos atores, juntamente com a maneira como o episódio explora esta dualidade entre o caos do acidente e a relativa tranquilidade do hospital, são algumas das razões pelas quais este episódio se trata de um que ficou na memória.

grey's 09x03Love the One You’re With – 09×03: Depois do acidente de avião, as vidas de todos os afetados mudaram drasticamente. Ainda passou muito pouco tempo e é algo que estará sempre presente para a maioria deles. Meredith e Cristina escaparam com lesões menores, Derek poderia ter sido incapaz de continuar a ser um cirurgião, Arizona perdeu uma perna e, o pior de tudo, Mark e Lexie morreram. Para os quatro que sobreviveram também não foi fácil, nem para os familiares e amigos. Meredith, Derek, Callie e Owen estão presentes numa reunião com um representante da companhia aérea em que os envolvidos no acidente viajavam. Uma investigação para apurar responsabilidades pode levar anos, mas há um acordo na mesa que envolve muito dinheiro. A decisão tem de ser unânime e, se decidirem aceitar o dinheiro, a companhia fica imune de quaisquer acusações. Meredith e Derek estavam lá, sofreram na pele o que aconteceu. Callie não passou por aquela experiência, mas não imagino o que terá sido para ela passar aqueles dias sem saber se Arizona e Mark estavam vivos ou mortos. Nem o que terá sido para Owen estar na mesma situação em relação a Cristina. Ainda para mais porque era ele o chefe, foi ele que mandou os seus médicos para aquele avião. Não que ele devesse ser, em nada, responsabilizado pelo sucedido, mas creio que terá sido um peso que teve de carregar nos ombros. Cristina está no Minnesota, bem longe de Seattle, onde todas as coisas más acontecem. Não quer tomar uma decisão acerca do acordo. É uma decisão impossível: deixar arrastar um processo que pode não dar em nada e que tanta dor lhes trará ou tentar colocar – dentro dos possíveis – o acidente para trás das costas com uma quantia de dinheiro capaz de dar estabilidade a todos. Todas estas questões tornam o episódio muito interessante, mas é a storyline de Arizona, a ter muita dificuldade em lidar com a perda da perna, a dar-lhe uma força que nos toca especialmente. Quando vemos uma série há tantos anos, é um pouco difícil conseguirmos desligar-nos daquilo que os personagens estão a passar e Arizona está a viver um verdadeiro inferno pessoal. É uma Arizona muito diferente daquilo que fora até ali, mas como não? No entanto, Callie também está a passar por muito e Arizona insiste em afastá-la, ressentida pela decisão da mulher de lhe amputarem a perna. A amputação salvou a vida de Arizona, mas naquele momento o sentimento de perda é demasiado grande. É um episódio devastador de se ver.

Cristina Dr. Thomas Grey's AnatomyBeautiful Doom – 09×05: Durante quase toda a série, Meredith e Cristina foram uma dupla de amigas inseparáveis. No entanto, agora Cristina está no Minnesota, enquanto Meredith continuou em Seattle. A ligação entre as duas não se perdeu e estão ambas a lidar com as repercussões do acidente de avião, mas têm vidas muito diferentes. Meredith é mãe e tem novas responsabilidades, Cristina tem um trabalho num local novo onde basicamente não conhece ninguém e está sozinha. O episódio não tem muitos desenvolvimentos, mas tem uma carga poética, nostálgica, muito bonita. É delicioso ver Cristina a desenvolver uma amizade com o Dr. Thomas, uma ligação completamente diferente da que tem com Meredith, mas muito especial também. Não é fácil para pessoas que, como Cristina, não gostam muito de pessoas desenvolver ligações com outros, mas aconteceu e ver o Dr. Thomas morrer foi imensamente triste. Quase estragou a magia de ver Cristina voltar e reencontrar-se com a melhor amiga.

Para a semana estamos de volta com a segunda edição da crónica, onde apresentaremos outros dos nossos episódios favoritos de Grey’s Anatomy. Querem partilhar connosco aqueles que mais vos marcaram?

Diana Sampaio e Inês Salvado