Classificação

9.2
Interpretação,
9.5
Argumento
9.2
Realização
9.2
Banda Sonora

Nota importante: Este artigo contém spoilers

Estamos de volta para a 2.ª temporada da série que mais tem massacrado os cérebros do pessoal das séries nos últimos tempos. No final da 1.ª temporada, Ford apresentou uma nova narrativa aos acionistas da Delos, mas, de repente, os anfitriões viraram-se contra os humanos e começaram a revolta das máquinas. Seria este o plano de Ford? Veremos! Por enquanto, sabemos que este primeiro episódio tem como título Journey Into Night, que foi precisamente o título que Ford deu para a sua nova narrativa.

O episódio começa com Arnold e Dolores a conversarem um com o outro. Arnold fala de um sonho que teve onde acorda junto a um mar. Em nenhum momento nos é dito que é Arnold e não Bernard que está ali. A meu ver, será Arnold no passado a conversar com Dolores, mas poderá ser Bernard no futuro a ter essa conversa. Como sabemos, Westworld é capaz de nos surpreender a cada momento. Dolores parece querer saber o que é real e o que não é até que Arnold lhe responde que tudo o que é real é o que é insubstituível. Ele pergunta mesmo a Dolores se alguma vez questionou a sua realidade, mas o que será insubstituível para Arnold? O corpo? Ou a mente? Westworld começa filosoficamente a questionar a nossa realidade e apenas passaram cinco minutos.

Na cena a seguir saltamos para duas semanas depois dos acontecimentos da festa de apresentação da narrativa. Bernard acorda numa praia junto ao mar rodeado por militares que estão a matar os anfitriões. Um deles apresenta-se como sendo o chefe de operações da Delos. Ou seja, segundo percebemos, durante duas semanas, o parque viveu em absoluta anarquia onde os anfitriões e os convidados andaram em guerra aberta a ver quem sobrevive.

Depois disso vemos Dolores a dar uma de exterminadora implacável. Ela ameaça e tortura os convidados do parque, dizendo, a certo ponto, que agora são eles que estão no sonho dela. Ela é acompanhada por Teddy, que pouco ou nada faz. Dolores vive ainda na narrativa de Wyatt, por isso também há este lado agressivo da personagem. Os convidados são tão amedrontados que dizem a Dolores que aquilo era só um jogo e que estão muito arrependidos. Dolores diz a Teddy que não só quer dominar aquele mundo, mas sim o mundo dos humanos.

O homem de preto, William, acorda após os acontecimentos na festa. Finalmente o parque está como ele sempre quis, os anfitriões podem responder aos ataques. O jogo está perfeito para ele. A dada altura, a versão criança de Ford aparece a William e diz-lhe que o jogo dele é encontrar a porta, que esta começa onde termina e termina onde começa. O homem de preto ouve Ford e a seguir dá-lhe um tiro na cabeça.

Maeve regressa à base onde os anfitriões são criados e dá de caras com Sizemore. Em vez de o matar, ela decide que ele pode ser útil na busca pela sua filha. Sizemore avisa Maeve que a sua filha não passa de uma realidade criada para uma narrativa, mas esta não quer ouvir e Sizemore não discute, não vá pôr a sua vida em risco. Basicamente, ela pega no escritor para mergulhar na obra; ela encontra Hector, que lhe diz que a segue para onde ela for. Este trio, confesso, foi o meu favorito dos grupos que se foram juntando neste episódio.

Outra dupla que se junta é Bernard e Charlotte. Eles estão escondidos, supostamente durante os acontecimentos na noite da festa. Eles e um grupo de convidados são apanhados numa armadilha criada pelos anfitriões, que matam os convidados, menos Bernard e Charlotte, que se escondem, uma vez que Bernard percebeu que era uma armadilha. Ela leva-o para um terminal secreto que a Delos tem no parque e sobre o qual provavelmente Ford e Bernard não sabiam. Dentro do terminal vemos coisas sinistras como robôs a trabalhar em anfitriões. Bernard questiona Charlotte sobre o ADN das pessoas e ela foge da conversa, dando a ideia que talvez a Delos esteja a planear clonar pessoas. Isto mostra que, provavelmente, a Delos usa todas as formas de coletar informação genética das pessoas por isso, a violência e o sexo fácil que se encontra no parque. Um momento interessante é quando Charlotte diz a Bernard que eles têm de passar por uma verificação de ADN para entrar numa das salas. Bernard sabe que é um robô e vai a medo. Ainda assim, ele passa na verificação, o que deixa a dúvida. Será que Bernard é um clone criado com as informações genéticas de Arnold? A verdade é que ele pesquisa-se a si próprio para saber e a base de dados diz que ele é um anfitrião. Outro momento interessante é quando Charlotte pede extração a alguém da Delos e eles dizem que só o farão quando as informações pedidas chegarem. Supostamente elas deveriam ter chegado na noite anterior. Seria Maeve a levar as informações? Ou seria o segundo pai de Dolores, que Charlotte ordenou que fosse instituído a tal?

No final do episódio voltamos a Bernard e zos militares que encontram um mar que supostamente não existia. No mar estão a boiar vários anfitriões e Bernard, meio sem saber o que está a fazer, diz que foi ele quem os matou a todos. Mais estranho é ter entre os corpos um tigre de bengala, geralmente oriundo da Índia, o que sugere que terá vindo de outro parque.

Bom, foi o primeiro episódio e há tanta coisa, tanta teoria, tanta aventura a acontecer! Westworld é, sem dúvida, um mundo fantástico e vou tentar todas as semanas desvendar ao máximo cada episódio para vos deixar o mais informados possível. Comentem e partilhem teorias. Vai ser uma longa temporada, mas tenho a certeza que vai valer muito a pena.

Carlos Real