Classificação

8
Interpretação
8.5
Argumento
9
Realização
8.7
Banda Sonora

[Contém spoilers]

Meu Deus, meu Deus, meu Deus! Que dor na vida, a Disney+ vem ao mundo e nós miseráveis aqui na Europa só temos lá para março, se tanto. Minto, a Holanda também teve acesso ao serviço dia 12 de novembro. Como raio é que isso aconteceu? No caso de alguém perguntar, fui e voltei da Holanda só para assistir legalmente ao episódio, sim? Obrigada.

Ora bem, eu sou uma nerd, quem acompanha as minhas reviews já o sabe. Mega fã de Game of Thrones, morrendo à espera da nova série d’O Senhor dos Anéis e de The Wheel of Time. E para atenuar a dor da espera por estas séries, vem The MandalorianFoi graças aos meus pais que comecei a ver a saga Star Wars e tive muita pena de ser da geração da pavorosa prequel da saga original (os episódios I, II e III). Eu fiquei tão maravilhada com os episódios IV, V e VI que quase que tive um enfarte com a diferença de qualidade. Até parecia mentira que todos tenham sido idealizados pelo George Lucas. Enfim. Depois tivemos os episódios VII, VIII (e ainda estamos há espera de dezembro pelo IX) que são claramente superiores às prequels mas vê-se que é uma reciclagem da primeira saga. Claro que foi ótimo rever Leia, Luke, Han Solo, R2D2, C3PO e Chewbacca mas não soube à mesma e o episódio VIII desceu bastante em termos de qualidade em relação ao anterior. A ver se a trilogia se redime no último episódio e dizemos adeus aos Skywalkers de vez. Amo-os, mas já chega. Entretanto também fomos presenteados com duas histórias, Rogue One Solo. O primeiro foi dos melhores filmes do universo de Star Wars mas confesso que o filme sobre Han Solo não me despertou minimamente a atenção. Nem sequer o vi ainda.

E porquê toda esta introdução sobre Star Wars? Porque quero agradecer aos céus por nos darem algo que não se foque nos Skywalker. Já era demais, a sério. Não. Jon Favreau (realizador da versão de 2019 d’O Rei Leão, O Livro da Selva de 2016, produtor executivo e ator em diversos filmes da Marvel e um dos namorados de Monica, Pete, em Friends) criou uma lufada de ar fresco para a saga e para os fãs.

O que é um Mandalorian? São uma raça que são normalmente mercenários ou caçadores de recompensas. Para quem não está recordado, em O Império Contra Ataca (o melhor filme de todos, amo de paixão) Darth Vader recruta Boba Fett para capturar Han Solo. O personagem tornou-se popular e John Favreau usou-se disso para criar uma série, que começa cinco após a queda do Império.

O grande protagonista é o ator chileno Pedro Pascal, o Oberyn Martell de Game of Thrones, e o Javier Peña de Narcos. Pascal dá vida ao Mandalorian Dyn Jarren, um caçador de recompensas. Em termos visuais, a série é incrível e é notório que a Disney não foi forreta no orçamento, desde guarda roupa a efeitos especiais. Tem qualidade cinematográfica e é uma delícia para os olhos.

Após ser mal pago por um trabalho, o Mandalorian ouve falar de um trabalho perigoso (todos os que tentaram morreram) mas extremamente recompensador. Claro que foi aqui que as coisas ficaram bem interessantes. Em termos de personagens, o que me dá a entender é que Dyn vai ser o rei disto tudo e vai ser acompanhado por uma data de personagens secundários. Se for bem executado, só tem como correr bem.

O episódio não foi muito longo, teve cerca de 38 minutos, passou mega rápido. Teve um momento bem cómico quando o Mandalorian tentava infiltrar-se numa base para ir buscar o tal ser de 50 anos e deparou-se com um droide. Ora se Star Wars teve momentos bem divertidos foi quase sempre ou com Han Solo e Chewbacca ou com droids. Foi interessante, mas deixou-nos com a pulga atrás da orelha com aquele final de deixar cair o queixo… vá quase. Honestamente não fui ver spoilers e fiquei genuinamente surpreendida com o que aconteceu.

Sim, a série conquistou-me mas eu sou suspeita. Quero sugar todos os oito episódios (que vão ser lançados semanalmente) e esperar que chegue rápido a 2.ª temporada (já está em pré-produção!). Vamos a isto!

Maria Sofia Santos