Classificação

5
Interpretação
4
Argumento
7
Realização
10
Banda Sonora

[Pode conter spoilers]

Temporada: 1

Número de episódios: 6

A 1.ª temporada de Luna Park apresenta-nos uma história que não podia ser mais cliché: duas irmãs gémeas, separadas em bebés, que cresceram em circunstâncias e estrato sociais completamente opostos. Mas será que vale a pena ver está série até ao fim?

Praticamente todo o enredo desta série italiana foca-se em Rosa Gabrielli (Lia Grieco) e Nora (Simona Tabasco): duas gémeas separadas quase à nascença. Enquanto Rosa vive uma vida cheia de luxos e comodidades, Nora vive num ambiente circense, onde fazer circo e gerir um parque de diversões faz parte do quotidiano da jovem. Logo nos primeiros episódios da temporada, ambas descobrem que são irmãs, e tentam investigar o porquê de terem sido separadas. Se estamos perante um dos enredos mais abordados na história das séries e filmes? Sim estamos, mas não deixa de ser um drama leve que se possa facilmente maratonar!

Paralelamente, seguimos também a vida de Giggi Gabrielli (Guglielmo Poggi), um outro irmão de Nora e Rosa. Giggi vive com Rosa, e durante esta temporada realiza um dos seus maiores desejos: tornar-se apresentador de televisão, ao lado do seu ídolo Sandro Ralli (Giulio Corso). Giggi é claramente o personagem mais cómico da série, fazendo-nos criar uma empatia imediata só pela alegria que ele transmite.

Não poderia escrever esta review sem falar da banda sonora da série: desde Phonix, Florence + The Machine, The xx, Hozier, até ao mítico David Bowie. Mas será que faz sentido uma variedade tão grande, para uma série onde se pretende representar os anos 70? Eu achei uma ideia arriscadíssima, mas que funcionou na perfeição! Cada música foi meticulosamente colocada na cena, completando o mix de feelings que é pretendido passar para o espectador. Este foi, na minha opinião, e sem sombra de dúvidas o aspeto mais positivo desta série.

Um outro ponto que também merece ser referido é a representação do ambiente circense, onde podemos contar com cenários muito realistas, cheios de luz e cor.

Ficaremos à espera de uma segunda temporada, uma vez que a história claramente não acabou. Caso se concretize, esperamos melhores atuações de alguns atores (principalmente de Lia Grieco) e mais criatividade no argumento!

Melhor episódio:

Episódio 4 – Stella – Este é um episódio chave durante a temporada. É nele que conseguimos encontrar muitas explicações para os acontecimentos que vemos durante a série. É cheio de flashbacks narrados pela “avó emprestada” de Nora. E é sem dúvida o episódio que carrega mais carga emocional.

Personagem de destaque:

Nora (Simona Tabasco), obviamente! O desempenho brilhante da atriz faz com que facilmente leve o prémio de personagem de destaque: desenrascada, versátil, destemida e corajosa. Apesar de estereotipada, conseguimos criar logo de inicio a empatia pretendida pelos criadores da série.

Miguel Mendonça