Classificação

9
Interpretação
9
Argumento
9
Realização
9
Banda Sonora

[Não contém spoilers]

A Searing Burst of Light é o primeiro episódio da grande aposta da Netflix, Shadow and Bone. A primeira temporada da série tinha sido filmada em fevereiro de 2020, mas a estreia foi adiada devido à pandemia da COVID-19. Foi uma longa espera, muitos meses à espera de imagens, de uma data de estreia, de um trailer… Mas aqui estamos nós, mais de um ano depois com oito episódio para ver.

Mas primeiro um pouco de contexto. A série é a adaptação literária da obra de Leigh Bardugo, uma escritora norte americana. Em 2012, a autora lançou o primeiro livroShadow and Bone, o primeiro de uma trilogia (atualmente apenas o primeiro livro está traduzido para português). Seguiu-se então os outros títulos, cada um com duas partes, Six of Crows (que ainda não tem tradução para português) e King of Scars (também sem tradução para português). Todas estas sagas se passam no mesmo universo, o Grishaverse, mas cronologicamente Shadow and Bone é o primeirodepois Six of Crows e depois King of Scars. A série, apesar de ter o nome do primeiro livro, incorporou as histórias e os personagens da trilogia original como de Six of Crows.

Eu li os livros no ano passado e no início deste ano e rendi-me completamente ao Grishaverse. Há muito tempo que um universo não me cativava tanto (é difícil competir com Harry Potter, A Song of Ice and Fire O Senhor dos Anéis!). Como devem imaginar, estava meio receosa por ver a série. Tanto podia sair um desastre como uma maravilha. Leigh Bardugo era uma das produtoras da série e, na altura, mencionou que haveria mudanças na adaptação. Por mim tudo bem. Mudanças que façam sentido de maneira a integrar os Crows (os protagonistas de Six of Crows) aceito e apoio. Venham elas.

O primeiro episódio foi tudo aquilo que queria. Foi uma excelente introdução ao mundo, aos personagens, à história. Posso apontar que, para as pessoas que não leram os livros, o início possa ser um pouco confuso e que não entenda a 100% o que nos é mostrado.

Alina Starkov é uma órfã que, quando atingiu a maioridade, se alistou no Primeiro Exército como cartógrafa, juntamente com o seu melhor amigo de infância Malyen “Mal” Oretsev. O país deles, Ravka, sofre um mal criado por um grisha sedento de poder. O Sulco de Sombra, também conhecido como Não-Mar. É uma sombra negra, estreita, que atravessa Ravka de norte a sul, e está povoada por brutais monstros chamados Volcra. Para contornar o Sulco, os habitantes de Ravka terão de ir para sul, para Shu Han, ou para norte, para Fjerda. O problema é que ambos os países são inimigos de Ravka.

A única solução para destruir o Sulco de Sombra é a Invocadora do Sol que já muitos consideram um mito. Contudo, será que tudo vai mudar quando Alina, Mal e companhia atravessarem o Não-Mar e encontrarem a luz no meio da escuridão? Oh, hell yes!

Neste primeiro episódio, conhecemos os soldados do Primeiro Exército e os do Segundo Exército, composto pelos grisha. Os grisha são descritos como “feiticeiros” e “feiticeiras” e olhados de lado pelos “comuns mortais”.  Bom, se calhar não é bem esse o termo. Os grisha são temidos pelos outros. Contudo, não passamos muito tempo com eles nem a conhecer os seus poderes.

Adorei a maneira como construíram a expedição ao Sulco, bem diferente do livro. Porém, achei que a mudança tornou a experiência melhor. Não digam que os leitores não gostam de mudanças de livro-série. Gostamos é que as mudanças façam sentido.

Já os Corvos… Ai, o que dizer sem ser que eles são maravilhosos e exatamente aquilo que eu queria? Kaz Brekker, Inej Ghaafa e Jesper Fahey são membros de um gangue. Ao contrário de Alina e Mal, os Corvos vivem na cidade de Ketterdam, em Kerch. O país fica numa ilha a oeste de Ravka. A história dos Corvos será uma espécie de prequela à história dos livros e eu estava muito curiosa em saber o que iriam arranjar para eles. Não fiquei desiludida. Aliás, fiquei extasiada pela missão que eles têm pela frente e pelo quanto adorei os personagens. Estou mortinha por ver mais deles.

Não sei se deu para entender o quanto eu adorei este A Searing Burst of Light de Shadow and Bone. Os efeitos especiais estavam incríveis, o guarda roupa estava estupendo e o elenco… Bom, do elenco falarei mais quando fizer a review da temporada, porque já conhecerei todos os personagens e terei mais provas para falar. Mas até agora adorei todos! Um elenco diversificado, pouco conhecido e que entrou nos personagens com tudo o que tinham.

E vocês, o que acharam desta nova aposta da Netflix?

Maria Sofia Santos