Devs – 01×01 – Episode 1
| 12 Mar, 2020

[Pode conter spoilers]

” – But, you see, this changes everything. If it’s true, it literally changes every single thing.

   – No, if it’s true it changes absolutely nothing. In a way, that’s the point.”

A nova série Devs é para fãs de Westworld, fãs de séries sci-fi com um enredo complexo (vamos dizer: complicado, também) e umas reviravoltas inesperadas, que vão dar certamente lugar a muitas teorias. Foi criada por Alex Garland, que também escreve os episódios, realizador dos filmes Ex Machina (2014) e Annihilation (2018).

Devs acompanha Lily, uma engenheira de software que trabalha numa empresa milionária. Quando a empresa introduz um novo departamento, DEVS, o seu namorado Sergei é convidado a entrar na equipa, mas acaba por desaparecer misteriosamente. Lily desconfia da verdadeira atividade do departamento e começa uma investigação em busca de respostas.

Esta é daquelas séries difíceis de explicar porque nem eu, que vi o episódio, entendo completamente o que vi. Há muitas coisas a serem reveladas posteriormente e muitas coisas propositadamente confusas e ambíguas. Mas um dos temas que vai ser central para a série é o conceito de determinismo. O Sergei apresenta à equipa uma aplicação baseada em inteligência artificial que consegue prever movimentos futuros de um organismo, momentos antes de ele os fazer. A ideia associada à aplicação é derivado do determinismo, ou seja, todas as ações são a consequência de ações passadas, tudo o que acontece é o resultado do processo de causa-efeito. Se levarmos a ideia a um nível mais filosófico, para os humanos significa que todo o nosso futuro está predeterminado e que não existe livre-arbítrio.

Acredito que o melhor desta série vão ser as teorias criadas pelos fãs. Sergei tem uma reação extrema quando vê o código criado pelo DEVS e o diretor do departamento, Forest (Nick Offerman), é obrigado a tomar medidas também extremas. O que dá a entender é que Sergei ficou a saber demasiado e isso era perigoso. Há teorias que Sergei viu o seu futuro (e talvez o passado) todo escrito naquele código. Pela ideia do determinismo, DEVS pode ter criado uma aplicação que prevê a vida inteira de alguém. Há também outra teoria que diz que Sergei percebeu que vivia numa simulação, que toda a sua vida era criada por código. Como público, consideramos também a possibilidade de multiversos porque esta ideia é mencionada no início do episódio, apesar de Forest avisar logo que não acredita nessa possibilidade. Mas como vamos percebendo, não é possível confiar no que Forest diz e pode sem dúvida ter sido uma frase usada para despistar essa ideia da audiência. O que ainda me faz confusão é o facto de eles terem contratado Sergei para depois o retirarem imediatamente porque ele sabia demasiado e podia roubar o código. Certamente, eles já sabiam que isto ia acontecer (pela previsibilidade do código), por isso qual foi o objetivo? Será para chegar à namorada dele, Lily? Há muitas questões em aberto, mas que prometem uma temporada emocionante.

O enredo é o aspeto mais cativante para mim, mas tudo o resto é extremamente bem feito também. Os cenários são magníficos, com uma fotografia muito bem pensada. A banda sonora é um elemento na história porque consegue reforçar as emoções das personagens, até há uma parte em que eu senti um pouco de claustrofobia mais pela música, do que pelas imagens. Os atores, à exceção de Nick Offerman, não são muito conhecidos mas conseguem ter boas prestações. É, no geral, uma produção com uma qualidade fantástica e que vale definitivamente o vosso tempo!

Se já viram, partilhem as vossas teorias! Ainda estou muito dividida sobre qual será o segredo, estou entusiasmada para ver o resto.

Ana Oliveira

Publicidade

Populares

heartstopper

westworld poster

Recomendamos