Classificação

8
Interpretação
7
Argumento
8.5
Realização

[Não contém spoilers!]

The Great é a mais recente série da Hulu, por cá disponível na HBO Portugal, que retrata de forma sarcástica e cómica a ascensão, no século XVIII, de Catherine, The Great. A mulher com o reinado mais longo na história da Rússia é protagonizada por Elle Fanning, sendo que o Imperador Peter III, seu marido, é protagonizado por Nicholas Hoult.

Tendo por base esta premissa, as minhas expectativas para esta série estavam elevadas, uma vez que aliava história, ainda que ligeiramente fantasiada, com comédia e sátira – três características que eu aprecio bastante em séries. Se eu já adoro ver séries históricas, e ver séries de comédia, então a junção das duas seria ainda melhor.

Contudo, este primeiro episódio ficou um pouco aquém do que eu estava à espera. Não sei porquê, mas estava à espera de algo um pouco diferente. Estava à espera de uma Catherine sarcástica, que se impunha e que mostraria o quão ridículo e idiota o seu marido consegue ser, usando isso como base para criar a tal comédia. Mas a comédia parece estar mais cingida nas atitudes execráveis de Peter, que é simplesmente a personagem mais rançosa (depois, se virem a série, esta palavra vai fazer ainda mais sentido) e que me conseguiu fazer odiá-lo logo no primeiro momento em que apareceu (o ator nisso é mesmo excelente). Mas sendo que é uma sátira, e agora que penso mais ponderadamente nisso, acaba por se compreender o porquê desse foco nas atitudes idiotas e extremamente ridículas do Imperador e ainda em alguns estereótipos ligados à cultura russa.

Posto isto, se tivesse pensado mais na parte satírica, a minha perceção do episódio poderia ter sido outra. Não quero com isto dizer que não apreciei o episódio, ou que não vou ver os seguintes (que já se encontram todos disponíveis), tanto é que já vi o segundo.

Quer-me parecer que a personagem de Catherine (muito bem interpretada pela maravilhosa Elle) ainda vai sofrer um crescimento enorme, tanto é que ao longo do episódio isso já se nota ligeiramente, e é isso que me está a fazer querer continuar a ver. Quero saber como é que a história se vai desenvolver e como é que ela vai conseguir lidar com aquele marido horrível.

Desta forma, e em jeito de conclusão, para quem gosta de séries que aliam comédia com sátira (um pouco mais de sátira do que de comédia, porque não me ri por aí além), e ainda história, aconselho a darem uma oportunidade a este primeiro episódio, sendo que penso que no final até vão acabar por gostar.

Cármen Silva