Classificação

8
Interpretação
6
Argumento
7
Realização
7
Banda Sonora

[Pode conter spoilers]

Into the Night é a primeira série original Netflix oriunda da Bélgica. A premissa conta a história de um avião que parte de Bruxelas com destino a Moscovo, porém é desviado da sua rota inicial por um homem em desespero que diz que têm de fugir do sol ou vão morrer. Se para muitos a situação é uma alucinação de um homem transtornado, tudo vai mudar quando as notícias mostrarem várias mortes inexplicáveis por todo o mundo. Digamos que senti um pouco de The Happening nesta premissa, mas pelo menos com melhores interpretações e com bastante mais ritmo. Depois das árvores, agora é o sol? Esperemos que o final da série traga melhores respostas do que aquelas que o referido filme apresentou.

O nome do primeiro episódio, Sylvie, diz respeito a uma das personagens (e, pelo que vi, cada um dos seis episódios vai falar de um passageiro), sendo que não senti que a personagem tenha sido bem aprofundada. Sabemos algumas coisas sobre Sylvie, mas mesmo assim soube a pouco.

Logo no início, ainda no aeroporto, dá para perceber logo que vão haver as personagens clichés: temos a jovem conhecida por toda a gente, o resmungão, uma criança doente, uma hospedeira de bordo grávida, entre outros. Gostei bastante de Stefano Cassetti no papel de Terenzio Matteo Gallo, o tal suposto louco alucinado. Temos também Jan Bijvoet, que teve uma participação em Peaky Blinders e que desempenha muito bem o papel do típico arrogante que só viaja em primeira classe e irrita-se com qualquer pormenor. Em resumo, Into the Night apresenta um elenco que não é muito conhecido, mas que faz um bom trabalho.

Devido a várias situações, o avião acaba por ser abandonado à sua própria sorte e o objetivo, devido ao combustível limitado, é chegar a um aeroporto,  respeitando as indicações de Terenzio.

Não acho que a série seja nada de novo, mas eu gosto de tramas passadas em aviões e o ritmo desde episódio, desde o início do voo, fez com não ficasse aborrecido. E ok, estou curioso para ver o final, se é mesmo o sol, se é uma guerra biológica… O que é afinal? Depois há a questão dos passageiros, que acaba por ser um retrato de várias situações da nossa sociedade, afinal estamos na era dos influencers, e quem nunca se cruzou com pessoas arrogantes?

Resumindo, Into the Night não é uma série imperdível, mas é bom entretenimento e para quem tem Netflix é uma boa aposta para estes dias!

Bruno Pereira