Grey’s Anatomy – 13×15 – Civil War
| 11 Mar, 2017

[Contém spoilers]

Confesso que com um título sugestivo como este, ‘Civil War’, pensei que iria rebentar uma guerra no hospital e que Eliza acabasse por ser definitivamente afastada, uma vez que o nome de Marika Dominczyk nem sequer consta do elenco anunciado para os próximos episódios. Falso alarme! Houve algumas quezílias, sim, mas Eliza continua em funções e cada vez parecem haver mais pessoas a aperceberem-se de que, de facto, o método dela funciona.

Jackson continua armado em líder da oposição a Eliza, mas o interesse dos outros na causa parece estar a esmorecer. O cirurgião plástico prepara-se agora para tornar tudo isto numa guerrinha contra a mãe. Parece um miúdo mimado que decidiu bater o pé para marcar uma posição e que, por teimosia, não vai parar, mesmo que tenha de levar isto para a frente sozinho. Já April continua a surpreender-me pela positiva enquanto continua a ser alvo das críticas de Jackson. April, escapaste de boa quando ele assinou os papéis do divórcio! April já provou o seu valor, mas parece que continua a não ser levada a sério por alguns dos seus colegas, embora eu não tenha dúvidas de que o departamento de Cirurgia Geral lhe ficou muito bem entregue durante a ausência de Meredith.

Além do já cansativo enredo em que uns se tentam livrar de Eliza, tivemos uma guerra nova. Às vezes duvido que seja apenas uma divergência de opiniões médicas, parece que é uma tentativa de descobrir quem tem o ego maior. Não sou a maior fã de Alex desde que ele espancou Andrew e este episódio não ajudou na minha empatia para com o cirurgião pediátrico. O facto de ele ter ido falar com Meredith e com Maggie sobre Riggs assemelhou-se muito a fazer queixinhas. E detesto o facto de Meredith ser sempre tão cega em relação àqueles que lhe são queridos! Tomou logo o partido do amigo! Não sou médica, não sei quem estava certo, mas afinal parece que a opinião de Riggs até não foi nada desacertada.

Como novidade, tivemos o regresso de Amelia ao trabalho. Não em pleno, mas agora que ela matou saudades de fazer cirurgias não me acredito que se mantenha afastada por muito mais tempo! Creio que ela só não regressou ao trabalho mais cedo para não ter de lidar com Owen. Está a evitá-lo (recorrendo a subterfúgios infantis como espreitar os corredores antes de se arriscar a percorrê-los), mas tudo isto é muito característico de Amelia e acho importante que a personagem se mantenha fiel a ela mesma. Além disso, ela disse que queria estar casada com Owen e acho isso bastante positivo. No entanto, isto também pode não resultar, tal como não resultou entre Owen e Cristina. Quando duas pessoas querem coisas muito diferentes é difícil construir um futuro comum. Nem sei se estou a torcer por eles ou não, sinceramente!

Como já tem sido hábito, as partes mais engraçadas do episódio ficaram reservadas para Arizona e Eliza. Estas duas têm sido o único motivo pelo qual mantenho interesse pela série, há que admitir! Grey’s Anatomy já viveu tempos melhores, mas a expectativa do desenrolar da relação entre elas ajuda a lidar com esta fase menos boa da série. Arizona foi ‘apanhada’ por Webber quando se preparava para beijar Eliza. No entanto, Webber é discreto, não creio que isto se espalhe, mas gostava que Arizona parasse de se esconder dos olhares dos outros. É certo que tem sido divertido, mas ela não tem que prestar contas a ninguém. Aquele idiota do Jackson que nem se atreva a abrir a boca para fazer comentários quando descobrir! Acho é que Eliza devia falar polaco (suponho que seja polaco, já que a atriz é da Polónia) mais vezes, porque aquilo soou bastante bem. E acho que deviam ter o tal encontro em casa de Arizona. Aposto que estou quase tão entusiasmada como elas!

Diana Sampaio

Se ainda não conhecem os nossos parceiros de Grey’s Anatomy (Portugal), espreitem aqui!

Publicidade

Populares

calendário estreias

slow horses poster

Recomendamos