Grey’s Anatomy – 13×02 – Catastrophe and the Cure
| 01 Out, 2016

[Contém spoilers]

Depois de cometer erros, há que lidar com as consequências e é isso que define este episódio. No centro da trama continua a estar Alex, que foi a tribunal ouvir a acusação. Parece-me ridículo que se esperasse que aquilo fosse um crime pequeno e o tribunal atribuiu-lhe a acusação de um crime grave que o pode colocar vários anos na prisão. Tendo em conta que alguém se podia ter lembrado de pedir uma acusação por homicídio na forma tentada, Alex já vai com sorte. Mas a acusação que lhe foi imputada parece-me justa.

É claro que tudo isto está a afetá-lo e ao seu trabalho como cirurgião. Também me custa a acreditar que um médico com um processo por agressão a decorrer em tribunal possa continuar no ativo, mas pronto… A verdade é que continuou e deu mau resultado, porque desvalorizou sintomas que podiam indicar uma infeção e se não fosse Meredith a entrar em cena (que é como quem diz, a operar), podia ter dado para o torto. Tem valido também a intervenção de Bailey, que é dura, mas justa e, quer, acima de tudo, proteger o hospital e os pacientes. Assim, Alex foi relegado para a clínica (sim, a clínica Denny Duquette mesmo ao lado do hospital e da qual ninguém falava há uma série de temporadas). Sempre é melhor do que ser despedido.

Outra coisa? Alex pensava que ia conseguir resolver as coisas com Jo? No way, pelo menos a curto prazo! Ela fugiu de um homem perigoso no passado e agora o que Alex lhe demonstrou foi que também podia ser um tipo violento. Ela não quer viver com isso novamente. Alex até pode estar arrependido, mas Jo tem razão, as desculpas não chegam. Nem para ela nem para Andrew. Não achei que Meredith estivesse a tentar ameaçá-lo no elevador, mas percebo que ele tenha visto as coisas dessa forma.

E temos a April irritante de novo! Nada que me surpreenda muito, mas aquela crise de choro foi um bocado… exagerada? Demais? Além disso, fez lembrar uma cena (muito, mas mesmo muito melhor) da 7.ª temporada de quando a Callie estava a recuperar do acidente e por isso não podia pegar na filha. A Sofia era uma bebé muito prematura, com sérios problemas e grandes probabilidades de não sobreviver, a Callie também estava a passar por uma recuperação complicada e tinha medo de que a filha morresse sem ter podido pegar-lhe. A situação de April é muito diferente: ela vai ficar bem e a bebé está óptima, não vale a pena tanto drama. Jackson é que se está a portar como um homem em condições aqui.

Mas há personagens que insistem em portar-se como crianças. Sim, Owen e Maggie, estou a falar de vocês! Nunca achei justo o ressentimento de Owen para com Riggs (embora de uma forma não racional possa ser compreensível), mas depois de se terem dado bem no casamento, porque é que não continuam assim? Depois Amelia tem de andar a insistir para que eles convivam e se deem bem, mas sem resultados positivos. Amelia faz isto porque sabe que eles foram como irmãos e que isso é uma coisa a valorizar, ainda por cima quando ela tem uma carrada de irmãos (irmãs, agora que Derek morreu) e nunca se sentiu muito próxima deles. Uma vez até disse qualquer coisa sobre a Addison ter sido muito mais como uma irmã para ela do que qualquer uma das suas irmãs biológicas. Além disso, Meredith também nunca mostrou aceitar muito a cunhada como uma irmã, só lhe resta Maggie.

Nem me façam falar de Maggie! Esta recente obsessão com Riggs já me fazia comichão quando ainda nem tinha começado. Ela não tarda muito e começa a parecer uma stalker… E de cada vez que Meredith perde uma oportunidade de lhe contar a verdade sobre o envolvimento com Riggs eu penso na novela que vai ser quando se souber. Vou estar aqui com pipocas a ver a confusão.

Para a semana vamos ter Arizona de volta, finalmente! Yey!

Diana Sampaio

Se ainda não conhecem os nossos parceiros de Grey’s Anatomy (Portugal), espreitem aqui!

Publicidade

Populares

ramy

calendário estreias

the resident poster

Recomendamos