NeXt – 01×06 – File #6
| 06 Dez, 2020

[Contém spoilers]

Após um episódio ligeiramente superior na semana passada, com File #6, NeXt volta a perder-se no seu caminho.

Este episódio foi tão confuso e teve tantas storylines em simultâneo que nem sei por onde começar. No início da temporada pensava que íamos ter o formato de um acontecimento, mais ou menos contido, por episódio e estava a duvidar desse formato, mas agora acho que até preferia. Quando NeXt junta demasiado o que quer dizer, acaba por não conseguir dizer nada concreto e marcante, ficando-se por cenas que parecem ter sido coladas aleatoriamente.

A história de que estava a gostar mais era a de Paul, da sua doença e tudo o que envolvesse a sua relação com a filha, Abby. Neste episódio, acho que arruinaram a ideia das alucinações porque tomaram um passo demasiado grande e o que antes era uma história misteriosa, rapidamente se tornou um pouco ridícula. Acho, também, que Abby aceitou demasiado rápido a revelação da doença e de Paul a ter examinado sem o seu consenso. Não achei a ideia de Abby de contactar Ted tão disparatada como já ouvi de outros fãs da série, mas ela podia ter pensado um bocadinho antes de andar a mexer numa hard drive que ela sabia ser essencial para o pai e para a segurança de ambos. Quando os personagens têm comportamentos ridículos só para a história avançar fico mesmo irritada.

Passando à parte de Shea e Ty… outra desilusão. Ethan a apontar uma arma a Nacio foi uma cena difícil de ver, mas até é compreensível. A mãe dele é polícia e, por isso, faz sentido que o miúdo tenha o instinto de a copiar e reagir assim naquela situação. Ao menos fizeram dele um miúdo inteligente que não se deixa enganar facilmente. Atrevo-me a dizer que foi o personagem mais consciente e inteligente do episódio. Já Ty a reagir de forma incompreensível à revelação de Shea foi uma decisão terrível do argumentista. Vá lá, ela passou por uma situação traumática, reagiu como pôde para sair dela e ainda é acusada de ser uma pessoa horrível? Não há paciência, ainda por cima vindo de um personagem de quem o público supostamente deve gostar, como é o caso de Ty.

Nem vou falar de CM e Gina, a história deles neste episódio foi completamente irrelevante, uma tentativa forçada de os aproximar e uma maneira de conseguir que os dois personagens partilhassem mais momentos de ecrã em conjunto. Meh, ainda não quero saber.

O que me entristece mais é que os primeiros episódios tinham imenso potencial: um perigo iminente a derrubar, uma dupla de investigadores completamente opostos com uma dinâmica muito interessante e um tema estilo Black Mirror, muito relevante atualmente. Os primeiros três episódios foram ótimos e a partir daí, com muita pena minha, a série perdeu-se completamente.

Espero que os últimos episódios consigam redimir minimamente NeXt e apresentem um argumento mais focado e emocionalmente cativante do que File #6 conseguiu apresentar.

Ana Oliveira

Publicidade

Populares

ramy

calendário estreias

the resident poster

Recomendamos