Classificação

9
Interpretação
8.5
Argumento
9.5
Realização
8
Banda Sonora

[Não contém spoilers]

Esta semana, His Dark Materials trouxe-nos The Scholar, um episódio que se volta novamente para Oxford e para a missão de Lyra e Will de recuperar o aliteómetro.

Vou começar a review desta semana pelo ponto indiscutivelmente mais relevante do episódio: Pan como panda-vermelho!! Estou a brincar, mas não me podem dizer que ele não é adorável! Apesar de a série não ter tantos daemons como na 1.ª temporada, estes estão cada vez melhores. Os detalhes do pêlo de Pan como panda-vermelho são super realistas. Alguém que dê, por favor, um Emmy a esta equipa de efeitos especiais.

E por falar em Emmys, quem continua a provar a sua excelência como atriz é Ruth Wilson. Já gostava da sua performance na 1.ª temporada, mas nesta está a outro nível. A conjugação da sua representação com um argumento muito bem escrito fazem de Marisa Coulter a personagem mais interessante da série. Consigo ter sentimentos conflituosos em todos os episódios – tanto quero que a Marisa seja feliz num momento, como no momento a seguir estou a detestar as suas atitudes. É fascinante acompanhar o seu progresso e as suas intenções (também) conflituosas.

Este quinto episódio foi mais calmo, mas não menos interessante. Depois de um episódio cheio de ação, focado apenas na questão da faca, voltamos a acompanhar o progresso de várias histórias paralelas. Acompanhamos a cientista Mary a embarcar nesta nova aventura e eu acho que vai ser uma parte muito interessante da série. Já o Magisterium continua a preparar-se para atacar. Tenho de dizer que as conversas do Magisterium se estão a tornar um pouco repetitivas, mas percebo que é para criar uma espécie de escalada de tensão até ao final. Mesmo assim, uma boa parte da conversa passa-me ao lado, principalmente quando decidem colocar um daemon de uma aranha e eu estou demasiado enojada para prestar atenção aos diálogos. O realismo dos daemons é giro até que eles decidem criar uma aranha hiper-realista!

Já as aventuras de Lyra e Will continuam a ser interessantes e é particularmente giro ver a sua dinâmica a evoluir, à medida que começam a confiar mais um no outro. No entanto, o que brilhou realmente neste episódio foi a relação de Lyra com a sua mãe, Marisa. É incrível perceber que Lyra, que sempre disse que nunca seria igual à sua mãe, teve uma atitude semelhante a uma atitude de Marisa da 1.ª temporada, envolvendo Pan. Apesar das suas melhores intenções, Lyra não consegue escapar aos instintos de família, recorrendo aos mesmos truques que a sua mãe. Talvez isto a faça entender melhor as intenções de Marisa, já que se coloca, por momentos, na posição dela.

The Scholar foi um episódio que abrandou o ritmo da semana passada, focando-se mais no desenvolvimento das personagens e em reencontros emocionantes. Foi um bom episódio, mas teria sido melhor se o ritmo entre o episódio anterior e este tivesse sido mais equilibrado. Depois de um episódio recheado de ação, as expectativas dos espectadores podem ficar um pouco aquém com este ritmo mais calmo. Mesmo assim, estou feliz com o tempo dado para conhecermos as personagens e, nisso, His Dark Materials está a esmerar-se.

O que achaste deste quinto episódio?

Ana Oliveira