Classificação

8.2
Interpretação
8.1
Argumento
8.4
Realização
8.5
Banda Sonora

[Contém spoilers]

O manto do pai

O drama e as emoções continuam num crescendo esta semana, onde a caixa dos segredos é aberta e grandes revelações são feitas. Para além do constante melhorar de semana para semana, tenho esperança de que na midseason haja um grande pico para deixar o público a fervilhar e criar a antecipação de querer ver o episódio mal ele saia. É que Outcast parece ser uma série que caiu um pouco no esquecimento. Não parece haver um grande burburinho sobre a nova temporada da série e não sei se isso se deve apenas às diferenças das datas de estreia da Fox e da Cinemax ou se a série realmente corre o risco de ter audiências baixas e não ser renovada para uma 3.ª temporada.

Para os fãs este foi um episódio importante, pois tivemos algumas respostas às centenas de perguntas que vão sendo levantadas desde o início da serie. De facto, o episódio destaca-se por dar respostas que ainda nem sequer foram dadas na banda desenhada, ou seja, é mesmo um episódio a não perder!

As duas fações em guerra mostram avanços nos seus planos e, pelo meio, surgem novos jogadores. Sidney prossegue com a construção de um novo abrigo para os novos possuídos e guarda Aaron como um trunfo na manga. No entanto, tendo em conta o seu desprezo pela vida humana – como demonstra ao matar Peter a sangue frio – o que será que ele tem planeado para este perturbado adolescente?

A dupla de Kyle e do Reverendo Anderson também realça neste episódio a sua importância. Apesar dos tropeções de Anderson na sua fé e moral e das indecisões de Kyle, os dois constituem a chave que porá fim ao reinado de Sydney, cada qual precisa do outro para se manter no caminho certo. Giles é uma adição de peso, mas que se mantém um pouco à parte, decidindo lutar à sua maneira. O twist de ser ele e Bob que andavam a raptar os possuídos foi interessante e mostra duas vertentes para lidar com o problema dos demónios. Foi bom não se ter esquecido de Joshua, mas não entendo bem o que pretendia fazer com o rapaz inocente. Parece-me que Bob só consegue ver a preto e branco e Giles segue por um caminho semelhante.  O exorcismo desta semana foi estimulante pelo facto de ser um verdadeiro trabalho de equipa, em que até Joshua teve que ajudar. Jason (o prisioneiro do episódio passado) foi salvo e Kyle manda entregar uma importante mensagem a Sydney: ele não está sozinho nesta guerra. Team Outcast!

Bob é um veterano nesta guerra com informações mais que valiosas e que decerto serão exploradas nos episódios futuros. Há 30 anos atrás lutou junto com o pai de Kyle contra os demónios e impediu os planos do “Sydney” da altura, personagem essa que descobrimos ser o corpo macabro que foi descoberto enterrado por debaixo do trailer de Sydney. Estas respostas excitantes deixam-nos as ideias a fervilhar e criam muitas mais perguntas. Porque é que o pai de Kyle o abandonou a ele e à mãe? Será que achou que os estava a proteger ao afastar-se, levando consigo a atração pelos demónios? Será que ele e Bob impediram a Fusão no passado?

Descobrimos também por onde anda Allison. Internou-se num hospital psiquiátrico e não só não consegue aceitar a existência de demónios como se encontra rodeada por eles mesmo no hospital. Se a compararmos com Megan, realçamos bastante a força da irmã de Kyle que, apesar da tentativa de suicídio, está a conseguir lidar com as coisas a um ritmo muito mais acelerado do que Allison, ainda mais tendo em conta que a sua possessão levou à morte do marido (Mark).

E realmente, após ter sido salva por Anderson, Megan volta com Holly para casa para tentar retomar a sua vida. Mas o que ela passou não é algo que se ultrapasse de um dia para o outro. A exposição da realidade de Megan e de Holly esteve excelente, mostrando que mesmo após ter sido exorcizada, os “demónios” continuam a assombrar a sua vida.  No entanto, penso que mais um ou dois episódios e Megan estará pronta para se juntar à Team Outcast.

E onde se encaixa a nova “igreja” nisto tudo? As suas “testemunhas de Jeová” continuam a tentar espalhar a sua palavra por Rome, mas as suas intenções continuam fechadas a sete chaves.

Vendo o desenrolar da ação de uma maneira simplista também se levantam as dúvidas do porquê de nenhum dos lados decidir eliminar de vez o outro. Se Sidney já tem um outcast no seu poder (quem será aquele rapaz? E com ele os poderes de Sidney devem estar muito maiores, assim como a sua decomposição será travada) e existe já um número tão grande de demónios na cidade, porque é que não manda assassinar Anderson, Giles, Kyle e todos os que se opõem a ele? Podia apenas manter Amber, que também tem a “luz” que lhe interessa sugar. E a Team Outcast, quando encontrar Sydney, será que está a pensar acabar de vez com ele ou o que pretendem? E quanto aos outros demónios que já não podem ser exorcizados, atentando nas palavras de Sydney de que ele realmente é um demónio e pelas suas atitudes de querer dominar a raça humana, não seria melhor se começassem a pensar mais como Bob e começar a exterminá-los a todos? Eu sei que é meio radical, tendo em conta que Kyle não tem ainda muitas informações do que se está a passar, mas Bob anda nisto há 30 anos, com certeza que deve ter uma ideia melhor do plano geral. Se fossem o Sam e o Dean a tratar do assunto de certeza que Rome iria levar uma limpeza geral. No primeiro episódio vimos Giles a matar um demónio, mostrando que eles são facilmente mortos mesmo para quem não possuiu poderes. Ou seja, para quem não é possuído, tem uma arma na mão e sem remorsos de matar qual é mesmo o perigo que eles representam? Qual é a vossa opinião?

No próximo episódio, “The One I’d Be Waiting for”, Kyle vai ter que lidar com as novas revelações sobre o passado, o Reverendo Anderson irá lutar com uma nova ameaça e Megan e Holly terão que achar uma maneira de seguir com as suas vidas. Até lá, cuidado com os sítios escuros!

Emanuel Candeias