Making History – 01×01 – Pilot
| 09 Mar, 2017

Making History, da Fox, traz-nos a história de Dan, um contínuo de uma Universidade de Massachusetts que acidentalmente descobre um aparelho que lhe permite viajar no tempo.

Começamos o episódio por ver Dan super atarefado a reunir uma série de coisas dentro de um saco de ginásio. Conduz até uma estrada fora da povoação e atira-se para uma valeta; de repente vemo-lo na mesma cidade, mas no ano de 1775. Uma vez no passado, Dan apaixona-se por uma interessante jovem, por quem é capaz de tudo, até de desafiar os soldados britânicos. Nessa altura apercebe-se que algo está mal. Como podem haver soldados britânicos naquela altura? Era já suposto estar em curso a Revolução Americana. Aflito com o sucedido, que se deve em grande parte a ele próprio, procura a ajuda do professor de História Chris. Como se diz, se alguma vez pudermos viajar no tempo, não podemos mudar nada, nem mesmo matar uma mosca, correndo o risco de alterar todo o futuro ou o presente tal como o conhecemos.

Após conseguir convencer o professor, juntos viajam no tempo. O professor fica super entusiasmado com tudo à sua volta, por poder ter a oportunidade de conhecer a América do século XVIII. O Dan do passado em nada se compara ao Dan do presente. em pleno século XVIII, é bastante popular, conhecido por todos, com uma auto-estima elevadíssima. De forma a cortejar a namorada, vai-lhe cantando canções que diz ter feito para ela, mas não são mais do que grandes hits do século XXI. Determinado a corrigir os erros de Dan e a dar início à Revolução, tal como era suposto ter acontecido, Chris faz um discurso com o intuito de despertar a luta, dentro de um bar onde se encontram os “pais” da América, mas sem sucesso, já que estes estão mais interessados em beber e conversar do que em política. Mais à frente, apercebem-se que o facto de a Revolução ainda não se ter iniciado é porque a namorada de Dan não é uma rapariga qualquer, mas sim a filha de Paul Revere, figura importante da América independente, que supostamente deveria casar com um homem que o pai lhe arranjara (passado alterado, presente confuso). É aí que Dan conta a Chris que encontrou aquela máquina do tempo numas coisas antigas que estariam em casa do seu pai.

As três personagens principais separam-se quando Chris faz o sacrifício de permanecer no passado, por forma a emendar a asneira de Dan, e Dan consegue convencer Deborah Revere que realmente veio do futuro e ambos viajam até 2016. Não contava que fosse tão engraçada, de um humor único e simples. Só o facto de Dan utilizar expressões do século XXI em 1775 é hilariante. Com certeza uma série a acompanhar!

Ana Galego Santos

Publicidade

Populares

a league of their own

Recomendamos