Classificação

9
Interpretação
9
Argumento
8.5
Realização
8
Banda Sonora

Depois de nos termos despedido de The Good Wife e dos Florrick, temos de volta Diane Lockhart (Christine Baranski) e Lucca Quinn (Cush Jumbo), às quais se junta Maia Rindell (Rose Leslie, de Game of Thrones), completando assim o trio protagonista deste spin-off de The Good Wife.

Diane, juntamente com David Lee (Zach Grenier) e Howard Lyman (Jerry Adler) – ambos retornam com as mesmas personagens – lideram uma firma de advocacia, juntamente com um sem número de outros partners.

Diane, conhecida de todos os seguidores de The Good Wife, continua a ser uma mulher decidida e inteligente, que tomou a decisão de finalmente se reformar depois de anos a fio em tribunal. Terminará só o caso que tem em mãos e seguirá com a sua vida, comprando uma casa em França.

Nesse mesmo dia, Maia, uma advogada iniciante, começa a trabalhar na firma de Diane como Assistant.  Maia é afilhada de Diane e, por isso, mesmo no primeiro dia, vai acompanhá-la no seu último caso para ir aprendendo com uma das melhores!

No caso, Diane tem como oposição Adrian Boseman (Delroy Lindo) e Lucca Quinn (que já não trabalha com Alicia). Vemos o melhor de Diane, demonstrando a grande advogada que é e porque conseguiu chegar onde chegou. Sem grande consenso entre as partes, o caso torna-se uma grande batalha entre Diane e Lucca.

Para a despedida de Diane é organizado um evento no qual todos os grandes nomes ligados ao Direito estão presentes e onde todos elogiam Diane e a querem nas suas firmas. Neste evento vemos uma foto de Diane com Will e sentimos, juntamente com Diane, uma enorme saudade!

Maia é filha de Henry (Paul Guilfoyle) e Lenore (Bernadette Peters), constituindo uma das grandes famílias de Chicago. Paul e Lenore são conselheiros financeiros e estão envolvidos nos investimentos das grandes fortunas de Chicago, incluindo a de Diane.

Durante o decorrer do episódio, Henry é detido por estar envolvido num esquema Ponzi, levando a que muitos percam o dinheiro dos seus investimentos e poupanças. Uma dessas pessoas é Diane, que se vê sem o dinheiro da sua reforma, dinheiro que ela lutou toda a vida para ganhar. Maia, sem saber de nada, vê-se envolvida no escândalo e fica com toda a gente a olhá-la de lado.

Com isto, Diane tem que recuar na sua decisão de se reformar, já que perdeu o dinheiro e as suas contas vão ser penhoradas até o assunto se resolver. Com a sua saída da firma assinada, Diane tem que voltar atrás no pedido, mas David recusa-se a aceitá-la de volta, agora que está envolvida no escândalo. Tal como David, todos os outros que a tinham elogiado e pedido que adiasse a sua reforma e fosse trabalhar para as suas firmas, recusam-se a ajudá-la. Diane vê-se no fundo do poço e sem qualquer perspetiva de futuro. Isto acaba por influenciar também a vida pessoal de Diane, que se vê obrigada a oficializar o divórcio de Kurt para que este não sofra com o escândalo. (Percebe-se aqui que não foi feito um completo corte com os acontecimentos de The Good Wife, já que a vida de Diane ficou abalada depois dos acontecimentos finais da série, com a traição de Kurt, revelada por Alicia, a ser a causa da separação dos dois).

O caso que Diane está a acompanhar acaba por descambar. Diane não está focada e Lucca, percebendo a sua fragilidade, entra a matar.

Maia é também dispensada por David, que não quer que a empresa fique ligada ao escândalo dos Rindell. Para além disto, é acusada publicamente por todos, sendo defendida apenas por Lucca, que vê nela uma segunda Alicia Florrick, que passou por um escândalo que a derrubou completamente, mas que a fez melhorar o seu jogo e subir a pulso, mostrando a grande mulher que era! (Saudades de Alicia!!)

Adrian, com o apoio de Lucca, decide apoiar Diane, contratando-a como partner para a sua firma, a Reddick and Boseman. Diane, apesar de se mostrar renitente ao início, acaba por aceitar.

Diane vai voltar por cima e demonstrar que pode tudo o que quiser e derrubar quem a ignorou e a deitou abaixo, inclusive a sua antiga firma, a maior adversária da de Adrian.

Mesmo revoltada com os Rindell, Diane apoia Maia e consegue levá-la consigo para a sua nova firma e vai fazer dela uma extraordinária advogada.

Temos de volta, ainda que em parte, uma das grandes séries dramáticas dos últimos anos. The Good Wife deixou saudades e é difícil de superar, mas The Good Fight veio mostrar que vai manter a qualidade e fazer-nos torcer e acompanhar cada caso como se fosse o último, bem como ver Diane e Lucca “destruir” os adversários.

Tem tudo para ser uma continuação bem sucedida e que mantém todos os ingredientes que tornaram The Good Wife fantástica.

Baranski e Jumbo mantêm o nível das performances anteriores e são introduzidos novos elementos que vão de certeza elevar o nível. Espero ansiosamente pelos regressos específicos de Marissa Gold e de Elsbeth Tascioni!

Para os fãs de The Good Wife, vale a pena acompanhar The Good Fight!

David Pereira