Classificação

9.1
Interpretação
8.3
Argumento
8.9
Realização
9
Banda Sonora

Contém SPOILERS!

A espera por este episódio foi longa, mas valeu a pena! Tivemos lentos desenvolvimentos, mas o pouco que nos foi apresentado deixou-me bastante interessado no que por aí virá. O nosso trio fantástico, um vampiro, uma rapariga lunática e um pastor possuído por uma entidade extraterrestre, continua a ser apresentado e a fascinar!

O episódio piloto acabou por ser apenas a apresentação das personagens pois, tirando a fantástica entrada de Cassidy e a mirabolante cena de ação de Tulip, nada de muito relevante aconteceu.

Começando pelo nosso preacher Jesse. A sua vida monótona e aborrecida terminou quando foi possuído por aquela entidade que chegou à Terra anos antes. Ao contrário dos anteriores recetáculos que morreram espalhafatosamente, Jesse parece ser o habitáculo ideal para aquela criatura. E, por seu lado, Jesse parece agradecido por esta agitação que entrou na sua vida. Ao contrário do que pensávamos, Jesse não abandona a sua comunidade e, pelo contrário, dedica-se a ela! Começa o dia com o perdão dos pecados dos seus fiéis, purificando-os em água e acaba por ouvir a confissão de um pedófilo. Ao longo do dia, inspirado/controlado pela entidade que tem em si, decide começar a mudar a vida dos seus paroquianos e, utilizando os seus novos poderes, faz com que o pedófilo esqueça a sua obsessão e leva uma jovem, que sofreu um violento acidente e vive em estado vegetativo, a abrir os olhos. Sendo assim, Jesse começa com pequenos milagres que, ao que parece, irão aumentar nos próximos episódios e mudarão para sempre esta pacata comunidade.

Tulip… a nossa adorada Tulip. Quando a vi com uma blusa florida lembrei-me do papel de Ruth Negga em Agents of SHIELD e fartei-me de rir. Adoro-a! Além de extorquir o dinheiro aos seus conterrâneos, parece que a sua (má) fama de outrora ainda povoa a mente dos habitantes desta pequena cidade. A cena em que ela alegadamente prende Jesse para o convencer a ajudá-lo naquele “trabalho” é fenomenal. Estou deveras curioso sobre a relação destes dois no passado. Julgo que teremos aqui assunto para nos prender ao ecrã um episódio inteiro.

Cassidy! Bem, o Cassidy tem aparecido pouco, mas das poucas vezes que deu o ar da sua graça elevou a qualidade da série a níveis insanos. A sua participação, até ao momento, está envolvida em incríveis cenas de ação que nos fazem rir enquanto fazemos um esgar de nojo. A sua conversa com Jesse foi muito boa, mas quando chegam os defensores designados pela igreja, eis que a cena fica feia e há muito sangue e partes de corpos espalhadas pelo chão. Aquela cena da motosserra com o braço agarrado a caminhar para Jesse inconsciente foi de topo!

Até agora, Preacher fez-se rodear de um humor negro muito bem elaborado e intimamente ligado ao lado obscuro da religião. Julgo que a partir do próximo episódio começará a ser apresentada a missão do nosso trio maravilha improvável, o que nos trará respostas às questões que começaram a surgir desde o piloto. Pode-se já afirmar que esta série tem qualidade e que caminha para o pódio das novidades desta summer season.

Questões em análise:

  • Afinal qual é o trabalho em que Tulip necessita da ajuda de Jesse? Ela é tão cheia de recursos e artimanhas!
  • Qual o laço que liga Tulip e Jesse? Que se passou entre estes dois no passado?
  • Em que parte é que Cassidy fará parte desta equação?
  • Afinal qual é a missão que levará este trio a juntar-se?
  • Qual a origem da entidade que possui Jesse? Qual é o motivo que fez com que ele não tivesse o mesmo destino dos outros pastores possuídos?

Rui André Pereira