10 x 20 – A Place at the Table

10 x 20 – A Place at the Table

(Contém Spoilers)

A alguns episódios do fim da temporada, a equipa de Criminal Minds investiga um quádruplo homicídio em circunstâncias singulares, quando dois terços de uma família é morta e o pai é declarado desaparecido durante um jantar de aniversário, sendo dois dos principais suspeitos os parceiros de dois dos filhos.

A equipa é alertada do homicídio de praticamente uma família inteira, à exceção da figura patriarca Frank, que está desaparecido, um dos filhos Dillon e Ezra, o namorado de um dos membros mais novos da família, Lance, que foi detido ao tentar fugir da cena do crime. Obviamente, é o principal unsub  principal. Porém nega ter algum envolvimento, pois estava desmaiado no quarto de Lance (no andar de cima) após ingerir demasiado álcool, pois queria afastar-se da briga feia que ocorria entre Lance e o pai, sendo o último contra a relação homossexual entre o filho e Ezra.

Outro suspeito é Dillon, o filho que sobreviveu ao massacre que recebia uma generosa quantidade de dinheiro do pai por mês, mas parou de ser financiado há 10 meses. Dillon imediatamente vira a culpa para o pai e Ezra, dizendo que os dois tinham um mau temperamento, mau o suficiente para cometer homicídio.

Aparece ainda mais um suspeito, Marc, namorado de uma das vítimas, que diz não ter sido convidado para o jantar e que o pai da namorada era antipático com ele.

Quando a equipa descobre que Frank teve um caso com uma tal de Cora desde os seus anos na universidade, e que andava a subornar o filho para manter o segredo, pois este tinha descoberto que não só andava com uma mulher, mas também teve um filho fora do casamento, acabam por “ligar os pontos” e revelar que Marc era o dito filho ilegítimo. E não é que tinham razão?

Marc cresceu sem o pai, e isso, de acordo com o próprio Marc deve ter conduzido o rapaz à loucura, a ponto de pedir em namoro à meia-irmã para aproximar-se da família, organizado o homicídio da família inteira, e ter raptado e matado a tiro o pai, levando-o à sua casa para finalmente ter o jantar de família que sempre quis. Trágica história, mas ainda assim horripilante.

Antes de assassinar a mãe, a equipa consegue invadir a casa e apreender o pobre coitado, salvando a mãe, que provavelmente ficou traumatizada para sempre.

Este episódio é sem dúvida o mais carregado de drama familiar da temporada: não só durante a investigação do crime, mas também no lar de Hotchner, onde discute com o sogro Roy Brooks, já de idade avançada, a possibilidade de ele ir parar num lar de idosos, e eventualmente acabam por abordar a morte de Haley. Adorei a cena onde finalmente discutem de forma racional onde o pai irá viver, e o facto de que Roy nunca irá o perdoar pela morte da filha.

Podemos simplesmente dizer que neste episódio não houve nenhum típico final feliz: nem para Hotchner, ou a pobre Cora Gilliam, que decerto nunca irá ver o filho da mesma maneira.

 

7/10

Cátia Neto