Criminal Minds - 09x14 - 200

Criminal Minds – 09×14 – 200

Se há pessoa viciada em Criminal Minds neste Portugalito, essa pessoa sou eu! E depois do final do 199 episódio e depois de ter que esperar duas semanas pelo 200º, obviamente que não ia esperar nem mais um minuto, e pus-me a ver em live stream no pc. (O que é irritante devido ao raio dos intervalos a cada 15 minutos! Relembrei o porquê de odiar ver coisas na televisão!)

Esta review está a ser escrita minutos depois de ter acabado de ver o episódio. Precisei de uns momentos para me recompor, porque isto não foi brincadeira. Mas agora sim, vamos lá. Ainda estou em pulgas, por isso perdoem-me os rompantes que vão haver por esta review fora.

[ATENÇÃO: Esta review contém spoilers. Lê só caso já tenhas visto o episódio 200.]

Acabámos o episódio 199 com o rapto da JJ, começamos o 200 a saber que o Mateo Cruz, o novo Section Chief, também foi raptado. E tudo porquê? Por causa da verdadeira razão pela qual a JJ foi transferida para o Departamento de Defesa dos Estados Unidos. Na verdade ela foi para o Afeganistão ajudar a apanhar o Bin Laden e a os seus amigos da Al Qaeda! Ó Strauss, eu sei que já estás falecida e tal, mas achas normal teres levado a minha menina para aqueles lados?

O problema é que havia infiltrados e traidores na operação. Dois homens que estavam no grupo para o qual a JJ foi transferida, um chamado Askari, o raptor da JJ, e outro que passamos grande parte do episódio a tentar perceber quem será. E não fossem os infiltrados na missão, a JJ tinha conseguido resolver aquilo tudo lá. Mas não, tinha que haver um traidor! Os americanos muito gostam do patriotismo, mas depois há sempre traidores! E claro está, 2 anos depois, vamos raptar a JJ e o Cruz, para ter acesso à base de dados secreta Integrity, que continha os ficheiros de toda a operação.

O episódio foi muito bem pensado, desde os flashbacks importantíssimos que deram uma percepção cronológica impecável dos acontecimentos, à forma como a BAU tentou de tudo para ajudar a JJ, enquanto o Pentágono nada fazia para a salvar. E quando lhes fecharam todas as portas, claro está, eles recorreram ao seu trunfo mais maravilhoso: Emily Prentiss! Como foi bom vê-la novamente! Quando o Hotch lhe ligou e ela apareceu pela primeira vez, eu dei pulinhos na cadeira e abanei freneticamente as mãos no ar, que nem uma criancinha a quem ofereceram um peluche gigante. Literalmente. Quem me visse diria que eu estava passadinha da cabeça. Mas quem é que me pode julgar?! Tipo, a Prentiss voltou! É motivo para eu ficar assim, ok?

Depois, há aquele momento em que nos levam a crer que o Cruz é o infiltrado. Chamei-o de quantos nomes havia! E afinal não era ele. Desculpa, Cruz! E depois, há o momento em que sabemos que a JJ esteve grávida em 2011, mas que perdeu o bebé lá em terras afegãs, depois de um ataque dos terroristas. Sinceramente, Erica Messer e restantes queridos escritores de Criminal Minds: Porquê?!?! Porque é que têm que fazer a minha JJ passar por estas coisas! Tadinha! Ela não merece! *sniff*

Mas voltando ao presente, depois de muita tortura por que ela e o Cruz passaram, Askari menciona a gravidez perdida da JJ, coisa que ela só tinha contado ao Cruz (nem ao Will ela contou!). Este por sua vez jura que nunca contou a ninguém, pelo que se faz luz na cabeça da JJ e ela descobre que o traidor só podia ser a outra pessoa que estava destacada naquela missão, Michael Hastings. O cab*** tenta violar a JJ! Raio! Tira-lhe as mãos de cima! Valeu-lhe o Cruz entregar o código de acesso ao Integrity (nome irónico para o raio do programa, não acham?) ao Hastings, evitando que o pior acontecesse. Já estava a conter a respiração por um bom bocado!

Entretanto, graças à nossa maravilhosa Prentiss, e restante BAU, com um destaque para a sempre certeira Garcia e os seus skills computacionais, eles descobrem o edifício onde a JJ e o Cruz estão, e vão em sua salvação. A JJ ficou tão contente por ver a Emily como eu fiquei! :’)

O Hotch mata o Askari, mas o Hastings foge para o telhado, e ganhamos mais uma excelente oportunidade para ver a JJ e a Emily em acção! E lá estou eu a saltar na cadeira outra vez… Muitos tiros e porrada depois, a JJ consegue atirar o Hastings do telhado abaixo, e quase cai junto. Mas a Emily agarra-a! O que era de nós sem ti, Emily!

Mais perfeito que isto não podia ter sido! *.*
Quer dizer, até podia… se a Paget Brewster (Emily) voltasse a tempo inteiro para Criminal Minds. Mas já fiquei bastante contente com este episódio.

Ora, é caso para dizer que, duzentos episódios depois (o que dá cerca de 150 horas muito bem gastas), Criminal Minds continua a ser a minha série preferida! E venha o episódio 300, ou eu não sei o que farei da minha vida sem a A.J. Cook (JJ) e Criminal Minds! ^^’

Nota: 9,5/10 (Só não é 10/10 porque fizeram a minha JJ perder um bebé, e porque já estou com saudades da Emily!)

PS: E como 200 episódios é razão para celebrar, aqui fica uma pequena colagem de algumas relíquias de bastidores que este marco nos proporcionou:

crim

Mélanie Costa