Jeremy Tardy não irá regressar para a 4.ª e última temporada de Dear White People.

Divergências nas negociações com o estúdio de produção Lionsgate levaram a que o ator tivesse de deixar a série. O ator afirma que os motivos por que não houve acordo com a produtora se deveram a “práticas de discriminação racial”. Numa declaração escrita por Tardy acerca da negociação salarial que foi feita, este referiu que depois de ter sido convidado a regressar para vários episódios, a sua “equipa foi notificada de que a […] contraoferta não seria considerada e que a oferta inicial era a ‘melhor e final’. Estas notícias foram perturbadoras porque um dos […] colegas brancos – sendo um verdadeiro aliado – revelou que também tinha recebido a mesma oferta inicial e tinha negociado com sucesso uma contraoferta”. A equipa do ator “expressou esta questão à Lionsgate e os produtores mantiveram a sua posição de que o ator branco tinha sido capaz de negociar enquanto eu não – independentemente dos meus créditos e experiência”.

O ator ainda se juntou a mais seis colegas do elenco recorrente para negociarem como grupo, mas não houve um acordo. Jeremy Tardy atribui isto a ofertas que foram feitas à parte e a “falta de transparência.” Essas “táticas levaram a que algumas pessoas aceitassem acordos antes de o grupo coletivo ter passado por um processo de negociação justo e igualitário”. Tardy acusa tanto a Lionsgate como a Netflix de “hipocrisia” por apoiarem publicarem o movimento Black Lives Matter, mas terem, internamente, “práticas de discriminação e desigualdade racial […]”.

A Lionsgate nega quaisquer motivos raciais para a decisão, evocando apenas questões financeiras e invocou que tratam todos os atores e elementos das equipas de igual forma, independentemente da raça, género, idade ou orientação sexual.

Tardy teve um papel recorrente em 11 episódios das três temporadas de Dear White People, no papel de Rashid Bakr.

Baseada no filme homónimo, Dear White People acompanha jovens estudantes negros que lidam com ofensas diárias e questões raciais numa prestigiada universidade dos Estados Unidos da América.

A 4.ª e última temporada deverá estrear ainda este ano, na Netflix.