Numa altura de revivals e com uma sequela de The L Word já em desenvolvimento na Showtime, decidimos partilhar convosco algumas curiosidades sobre a série original:

1. O nome de código original para a série era Earthlings, um termo raro usado para designar lésbicas.

2. Scott Bairstow (Party of Five) foi inicialmente escolhido como protagonista masculino, tendo acabado por ser substituído por Eric Mabius, depois de alegações de agressão sexual contra menores terem sido feitas contra ele em 2003. O próprio acabou por se declarar culpado de alguns crimes.

3. A criadora da série, Ilene Chaiken, tentou reunir mulheres lésbicas para realizar episódios nas várias temporadas. Na segunda, conseguiu Lisa Cholodenko, uma conhecida realizadora e argumentista; na terceira conseguiu Kimberly Peirce, a realizadora de Boys Don’t Cry, e Allison Anders; e, na quarta, Marleen Gorris, a realizadora e argumentista de Antonia, que ganhou o Óscar de Melhor Filme Estrangeiro em 1995.

4. Kristanna Loken, que deu vida a Paige Sobel, uma das namoradas de Shane, pediu para sair da série por se sentir assoberbada. “É uma série inteiramente de mulheres e a quantidade de egos e de inseguranças e de maldade que envolvem um bando de mulheres – é isso que tens. Atrai um certo tipo de pessoas que querem fazer algo diferente nas suas carreiras, mas as raparigas eram complicadas”.

5. Ilene Chaiken admitiu, numa entrevista, que se tivesse previsto a fúria com que as pessoas encararam a morte de Dana depois de uma luta contra o cancro da mama, teria feito as coisas de forma diferente. No entanto, a criadora da série não se arrepende de ter contado aquela história. Chaiken também confessou que foi uma das atrizes da série a sugerir e a encorajar fortemente um envolvimento romântico entre as personagens Shane e Jenny, mas sem nunca revelar quem.

6. Foi oferecido um papel na série a Lily Tomlin (Grace and Frankie), mas a atriz recusou-o, uma vez que não conseguia sentir uma ligação à descrição da personagem que iria interpretar.

7. A socialite Paris Hilton foi considerada para interpretar Nikki Stevens, a estrela de cinema que ficou com o papel principal em Lez Girls, o filme baseado na história que Jenny escreveu sobre as amigas. No entanto, acabou por ser Kate French a dar vida à personagem.

8. Jenny é baseada na própria criadora da série, Ilene Chaiken, que se inspirou nas suas próprias experiências de assumir a sua sexualidade e lidar com o dia a dia numa comunidade lésbica enquanto jovem mulher. Tal como Jenny, também Chaiken estabeleceu amizade com um grupo de lésbicas.

9. Quando ainda estava no ar, a série organizou um concurso num site, onde os fãs podiam submeter fan-fictions. Foi escolhido um vencedor e a sua história foi incluída num episódio da terceira temporada.

10. A série acabou sem nunca se saber quem tinha sido a responsável pela morte de Jenny. No entanto, a Showtime divulgou vídeos em que as personagens revelavam segredos que nunca tinham sido conhecidos no decorrer das temporadas. Cada vídeo mostrava as várias personagens a serem interrogadas no âmbito da investigação à morte de Jenny. Ilene Chaiken chegou a admitir que Alice foi presa pelo assassinato de Jenny, mas que não seria necessariamente culpada do crime.

11. Houve uma tentativa para criar um spin-off de The L Word centrado noutro grupo de mulheres lésbicas da prisão onde Alice estaria detida. Famke Janssen (Hemlock Grove), Melissa Leo (Wayward Pines) e Laurie Metcalf (The Big Bang Theory) faziam parte do elenco de The Farm, que ainda começou as filmagens, mas estas foram rapidamente interrompidas e a série nunca avançou.

Conhecias alguma destas curiosidades de The L Word?