Aos seus 83 anos de idade, perdemos mais uma lenda de Hollywood.

Conhecido maioritariamente pelo seu papel de Mr. Spock em Star Trek – série que marcou uma geração, exibida entre os anos 70, 80 e 90 (principalmente) – Leonard Nimoy foi daqueles atores que deixou um rasto que, do que de mim depender, durará gerações.

Para quem o acompanhou nestes anos gloriosos da USS Enterprise, era quase um companheiro de viagem pelo inimaginável e pelo universo sem limites que foi o Caminho das Estrelas.

Para quem, como eu, nasceu umas décadas mais tarde e só teve o prazer de conhecer Star Trek com 16 anos de idade, tornou-se em alguém que via com muito carinho e uma admiração inabalável. Quase que posso dizer que ele foi uma espécie de padrinho/avô da geração Star Trek em que me tenho que integrar. É um legado de mais de 40 anos a fazer a saudação Vulcana por ele inventada como se fosse algo normal – e quem é que se atreve a dizer que nunca citou Leonard Nimoy ou usou o seu gesto antes?

Com uma vasta carreira, inclusive um dos seus trabalhos finais ter sido a sua participação na série Fringe, é deste Leonard que nos vamos sempre lembrar. Aquele que foi mais longe. Que seguiu o Caminho das Estrelas até à última fronteira. Que todos os dias conhecia um planeta novo nas milhentas galáxias e viajou na USS Enterprise até ao seu final.

Acima de tudo, devemos olhar para ele como sempre olhámos: como uma inspiração.

Como um dos pioneiros dos descobrimentos espaciais, Nimoy tornou-se, de uma forma e para muitos, o padrinho da criatividade, da possibilidade de ir mais além, de desbravar o desconhecido. Na nossa mais singela rotina, não é o que desejamos profundamente fazer todos os dias? Tenho a certeza absoluta que ele o fez.

Aos 83 anos, deixa-nos uma alma e uma face cheia de histórias para contar e tantas mas tantas aventuras. Não sei se hei-de estar triste. Já ralhei muito – porque é sempre tão mas tão deprimente quando estas pessoas com uma capacidade inspiradora enorme saem do nosso espectro de realidade mas desconfio, cá para mim, que ele partiu com um sorriso.

Desafio-vos, a quem a morte dele despertou curiosidade, a ir ver algumas das suas performances ou até mesmo aparecimentos por detrás da câmara em tom de entrevista. Desafio-vos a ver algumas das fotografias que ele tirou. Desafio-vos a conhecer o homem por detrás do Vulcano. Desafio-vos a conhecer uma das pessoas mais carismáticas a passar por Hollywood e a deixar uma parte de si em todos nós, que apreciávamos o seu trabalho e a sua pura simplicidade.

A 27 de Fevereiro de 2015, Leonard Nimoy faz a sua última viagem pelo Caminho das Estrelas e termina assim a viagem de mais um pela Terra. Agora, o espaço é a última fronteira.

Despedimo-nos de mais uma alma que inspirou parte de nós e gerações que foram, são e virão. E regozijaremos na realidade de que, sempre que quisermos, Mr. Spock estará com o Capitão Kirk e o resto da USS Enterprise à nossa espera para mais uma viagem para estranhos novos mundos e, intrepidamente, ir onde nenhum homem outrora foi.

Vamo-nos despedir com uma saudação à Mr. Spock?

You, Sir Nimoy, you lived long and prospered.

Joana Pereira, em nome de toda a equipa Séries da TV.