Rever séries ou não, eis a questão!
| 15 Jul, 2017

[Contém spoilers da 5.ª temporada de Orange Is the New Black!]

Com tantas séries que existem no mundo, seria de pensar que é perda de tempo voltar a ver uma. Talvez alguns de vocês pensem isso, mas sempre gostei de rever as minhas séries. Nem que não seja na íntegra, apenas alguns episódios soltos aqui e ali, ou simplesmente pequenos excertos de cenas especialmente marcantes para mim. Agora a questão é que nem sempre se revelou boa ideia rever uma série. Geez, a minha opinião em relação às coisas consegue mudar muito em pouco tempo!

Bem, confesso que já revi a maioria das temporadas de Grey’s Anatomy (estas mais recentes não) e Private Practice até à exaustão na televisão e é justo dizer que não me canso. Também já vi imensas vezes Castle, Bones e Rizzoli & Isles repetidas, mas essas uso-as mais como barulho de fundo enquanto faço outras coisas, nomeadamente escrever crónicas (neste momento por acaso está a dar futebol, mas não por escolha minha!). Nessas é sempre agradável recordar a dinâmica dos protagonistas. Nos tempos mortos também me entretenho com velhos episódios das mais diversas comédias e, a certa altura, empenhei-me mais seriamente em recordar Friends.

Depois é justo dizer que perco tempo infinito da minha vida (que provavelmente poderia usar para fazer coisas mais úteis, mas que me dariam menos prazer) a ver vídeos das mais variadas séries no Youtube ou na Netflix (gosto da Netflix!) Portanto, de vez em quando, é ver-me a recordar Once Upon a Time, Downton Abbey, Sense8, Jessica Jones, One Tree Hill

Mas as minhas revisões recentes mais sérias – e que melhor servem o propósito desta crónica e do seu título – são, sem dúvida, Orange Is the New Black e The L Word. Não tenho conseguido manter-me afastada de Orange desde o final da 5.ª temporada. A sério, mas que final brutal! Então não me chegou ver vezes sem conta os últimos minutos do episódio, o pedido de casamento da Piper à Alex e vídeos, alguns deles fan made, com as minhas relações preferidas da série (Alex/Piper; Nicky/Morello; Nicky/Red). Não chegou, por isso tive de começar a série do início. Bem, e que bela viagem! É claro que agora conheço bem as personagens e que por isso vejo as coisas de forma diferente, mas estou a gostar tanto! Mais do que quando comecei a série há uns quatro anos. Mais estranho, estou a adorar Piper e a perguntar-me porque raio a personagem me irritou tanto em tempos! E depois é sempre engraçado como há coisas de que já não me lembrava nada e, nesse sentido, é quase como se estivesse a ver a série pela primeira vez. Pequena confissão: avanço as partes que não me dizem nada, nomeadamente muitos dos flashbacks, os dramas de Daya e Bennett e outras coisas chatas. Vou continuar a ver até ao final da 4.ª temporada e quem sabe se não faço também uma pequena revisãozinha da quinta.

Agora, a deceção! Sempre disse que queria rever os dramas de The L Word, mas que o faria com um grande filtro, que basicamente consistiria em avançar as partes em que Jenny entra e em que Shane está envolvida com as suas muitas conquistas… Comecei, tudo muito bem… Estava a gostar. Provavelmente não tanto como da primeira vez (vi a série também há cerca de quatro anos), mas estava a ser agradável, ainda assim. Pelo menos as duas primeiras temporadas. Depois quando cheguei à terceira comecei a pensar que não havia paciência. A sério! E comecei a sobreanalisar a série e a apontar-lhe uma grande lista de defeitos. Podia enumerá-los aqui, mas não há necessidade porque, se gostam da série, não quero arruiná-la para vocês! Acabei a 3.ª temporada e fiquei-me por ali, recordando que, com o que sabia que aí viria, ainda perderia mais a paciência para aqueles dramas infinitos entre Bette e Tina, o casal mais fucked up de sempre. Nem sei como ficaram juntas no final! Posso dizer que esta revisão basicamente me arruinou a série. E é estranho como em poucos anos a minha opinião mudou tanto! Muda muitas vezes em relação a personagens e a séries, mas é quando elas mudam também. Aqui, algo de que gostava bastante passou a ser algo em relação ao qual desenvolvi um interesse abaixo de zero. Talvez se a série regressar mesmo com novos episódios eu lhe dê uma oportunidade de se redimir.

Mas tudo isto levanta a questão do quando poderá ou não ser sensato rever-se uma série de que se gosta muito… Não tenho medo de passar a não gostar de One Tree Hill – a série que me é mais querida – se decidir revê-la (e olhem que já me apeteceu várias vezes), mas fico a pensar se alguma da magia se poderá perder e não sei se estou disposta a descobrir. Até porque há coisas que adoramos, mas que são uma experiência para se viver apenas uma vez.

Quanto a vocês, têm alguma experiência particularmente boa ou má no que diz respeito a rever séries?

Diana Sampaio

Publicidade

Populares

calendário estreias

Recomendamos