Há uns anos comecei a minha jornada de séries de super-heróis com a estreia de Arrow. A partir daí, como aconteceu a muita gente, fui sugada para um sem fim de spin-offs da DC. Deixei de ver todas menos uma, tendo visto algumas da Marvel também. A verdade é que, nos últimos anos, me tenho desviado de séries deste género. Por um lado, pela qualidade das séries CW, que tem vindo a descer a pique, mas também porque queria explorar outros temas. Isto tudo para explicar que já não via séries de super-heróis há algum tempo e tive saudades. Foi neste modo de nostalgia que decidi começar a ver Stargirl. A série segue Courtney Whitmore, uma adolescente que se muda para Blue Valley (Nebraska) com a família. Quando descobre que o padrasto tem ligações a uma equipa de super-heróis, a sua vida altera-se drasticamente. Stargirl começou por ser da DC Universe/HBO Max, mas foi movida para a CW, para se juntar às restantes séries da DC. Em Portugal, a série pode ser vista na HBO Portugal. Sem mais demoras, seguem as sete razões para ver Stargirl.

[Livre de spoilers!]

1 – O grupo de amigos super-heróis

stargirl

Quem é que não gosta de um grupo de underdogs que se junta para derrotar o mal? É uma fórmula que resulta sempre! Na missão de Courtney para recrutar elementos para a sua equipa de super-heróis, conhece o seu grupo de amigos, em Blue Valley. As peripécias e aventuras que o grupo é obrigado a ultrapassar em conjunto são a oportunidade perfeita para se conhecerem e começarem uma amizade, construindo um verdadeiro espírito de equipa.

2 – Cliché, mas divertido

stargirl

Tenho que admitir isto: se eu acreditasse em guilty pleasures, esta série estaria definitivamente nessa lista. Stargirl tem muitos clichés de séries para adolescentes, incluindo dramas desnecessários e personagens estereotipadas. Mas, dito isto, prometo que vão passar um bom bocado a vê-la! Depois de ter sofrido tanto com séries como Arrow, que se resumem a miséria e sofrimento, é bom acompanhar uma série mais leve, que consegue balançar momentos mais divertidos com momentos de tensão. Eu adoro séries intensas, mas estava a faltar-me uma série deste género, com este tom mais descontraído e divertido.

3 – Efeitos especiais

 

Os efeitos especiais são das qualidades que mais destacam esta série de outras do género. Quando vi o primeiro episódio senti que estava a ver um filme de budget muito elevado. É fácil perceber que este projeto não teve problemas de budget e realmente aproveitaram-no bem (obrigada, HBO e DC Universe!). Vamos ver o que vai acontecer agora que a série se vai mover para a CW… Não estou muito confiante, mas espero que a qualidade se mantenha razoável, pelo menos.

4 – Cinematografia

stargirl

Tal como os efeitos especiais, a cinematografia é um dos aspetos que se destacaram logo quando vi o piloto. As séries de super-heróis apresentam normalmente uma imagem de marca associada, com ambientes escuros e todo um tom visual que transmite tensão, medo e perigo. Para combinar com o tom mais leve da série, também a sua cinematografia é colorida, lembrando muito a estética dos anos 80. Além disso, gosto muito da maneira como está filmada, principalmente nas cenas de luta. Conseguimos facilmente ver a conjugação da coreografia de luta com os movimentos da câmara, ficando tudo muito apelativo para o espectador.

5 – Pat e Courtney

stargirl

Courtney tem uma relação muito especial com o seu padrasto Pat. Pat tem um passado com a Justice Society of America e quando Courtney passa a ser Stargirl, Pat torna-se um mentor e protetor para ela. A dinâmica da relação entre eles é um misto de colegas de equipa e uma relação pai/filha. Acho que é uma dinâmica muito bem construída que eu nunca tinha visto em televisão. Resulta muito bem e dá um toque muito especial e único à série.

6 – Os vilões

stargirl

Em Stargirl acompanhamos a formação da JSA (Justice Society of America), como quem diz, os bons da fita, mas também acompanhamos a formação da ISA (Injustice Society of America), a equipa vilã. Gosto muito deste pormenor de poder acompanhar “o outro lado”, a forma como os vilões se encontram, as suas ligações e o porquê de se juntarem para lutar contra a JSA. A temporada ainda não terminou, mas tenho a sensação que o lado vilão vai trazer personagens muito interessantes para acompanhar.

7 – Renovada para uma 2.ª temporada!

 

Como é sempre bom começar uma série sabendo que vai continuar, achei que a última razão tinha que ser a renovação de Stargirl para uma 2.ª temporada! Como referi antes, a mudança para a CW traz algumas preocupações, mas vamos esperar que tudo corra pelo melhor e que a verdadeira essência da série não se perca.

Ana Oliveira