Classificação

7.5
Interpretação
6.5
Argumento
6
Realização
5
Banda Sonora

[Contém spoilers]

O episódio desta semana de This Is Us começa por… Bem, este podia ser o início deste artigo, mas não estamos a falar da série da NBC que já vai na sua 4.ª temporada e sim de uma nova proposta da mesma rede de televisão que vem tentando replicar o sucesso da história de Kate, Kevin e Randall. E, assim sendo, é normal comparar uma e outra, sendo que o episódio piloto de Council of Dads não me convenceu particularmente apesar de ter existido um ou outro ponto alto.

A história, baseada no livro de Bruce Feiler com o mesmo nome, começa na altura do verão quando Scott (Tom Evererett Scott) e Robin (Sarah Wayne Callies), conhecida pelos seus papéis em Prison Break e The Walking Dead, estão com os filhos num momento descontraído e de diversão. Porém, um telefonema muda completamente tudo quando Scott fica a saber por um amigo de longa data que vai ter que combater contra um cancro agressivo na perna.

O episódio arranca depois de forma muito rápida com alguns saltos no tempo e, provavelmente um dos maiores problemas, tentando mostrar muita informação. Sinceramente, penso que aconteceram coisas demais para um episódio, porém vou reduzir a informação ao que realmente interessa. Como referi, o episódio dá saltos no tempo e, subitamente, estamos numa altura em que Scott já está recuperado do cancro. Porém, com receio que a doença volte, resolve reunir um concílio de pais e partilha a ideia com a esposa que mostra a sua renitência mas acaba por ceder. Pouco depois, outra notícia: Robin está grávida. Mais um salto no tempo para tempos felizes e infelizes, nasce Hope, filha de Robin e Scott, mas este último descobre que o cancro voltou. E, subitamente, estamos no dia do seu funeral onde os membros do concílio de pais já têm o que fazer!

Mais um salto no tempo… Uff! …E estamos no casamento de Luly (Michele Weaver), filha de Scott, e Evan (Steven Silver), ex-colega da escola, que haviam voltado a reencontrar-se tempos depois! Se há séries que andam devagar demais, esta num episódio parece ter situações que davam para uma temporada inteira.

Não me posso queixar das interpretações mas, mais uma vez, se for a comparar com a pérola da companhia, This Is Us, fica muito atrás. A banda sonora e a fotografia não me ficaram na memória e o argumento deste episódio não deixa respirar, não podemos ficar tristes se na cena seguinte a doença está curada, não podemos ficar tristes se a seguir já estamos no meio de um casamento.

Tudo isto aconteceu e mesmo assim foi só o ponto de partida. É com a despedida de Scott que começa o concílio de pais constituído por pessoas importantes na vida do mesmo: Clive Standen, conhecido pela série Vikings, J. August Richards, da série Agents of S.H.I.E.L.D. e Michael O’Neill, um dos nomes da série Messiah, dão vida às personagens que desejam cumprir o desejo de Scott. Se vou seguir? Provavelmente não… tenho muitos episódios de This Is Us para colocar em dia.

Bruno Pereira