Classificação

7.2
Interpretação
6.8
Argumento
6.9
Realização
8.2
Banda Sonora

Atenção: esta review contém spoilers!

“Malivore is terrible. But what’s coming is even worse.”

Mais uma semana que passou e, com ela, um novo episódio de Legacies. It Will All Be Painfully Clear Soon Enough é o nome deste episódio, o sétimo da 2.ª temporada da série e penúltimo antes desta entrar em pausa.

Após decidir que deixar Mystic Falls é o melhor para si, Hope é puxada de volta à cidade quando Josie elabora um plano arriscado para fechar o portal de Malivore. Entretanto, Alaric e Dorian fazem uma descoberta chocante sobre Vardemus, enquanto Rafael recebe novidades alarmantes em relação ao futuro de Landon.

Tenho desde já que admitir que este não foi, de todo, dos meus episódios favoritos nesta temporada. Aliás, é capaz de estar entre aqueles de que menos gostei ao longo de toda a série. Sem perceber bem o porquê de assim ser, acho que este episódio veio apresentar bastantes conteúdos interessantes a Legacies sem ser por si mesmo um episódio interessante.

Posto isto, falemos então dos aspetos de que gostei. A relação entre Hope e as gémeas foi, de certa forma, um fio condutor da 1.ª temporada e algo que tem estado em falta nesta segunda. Ainda que Hope e Lizzie tenham recuperado a sua amizade como se nada tivesse ocorrido, sabíamos já que o mesmo não iria acontecer entre a tríbrida e Josie, em grande parte por causa da relação de ambas com Landon, mas também pelo facto de Josie se ressentir do facto de Hope não ter sido honesta quando regressou de Malivore.

De forma consistente, Lizzie, com as suas piadas e bom humor, tenta reparar a relação entre as duas para que tudo volte ao normal, mas isto não acontece até que Landon decide sair de cena. Acho importante que ambas tenham percebido que, independentemente da pessoa com quem estão, devem estar lá uma para a outra e adorei o facto de Hope ter em consideração os sentimentos de Josie ao perguntar-lhe se pode regressar à escola. Numa série tão fortemente guiada pelas suas personagens, são pequenas coisas como esta que acabam por ter um grande impacto e as cenas finais entre estas duas personagens foram das minhas favoritas em todo o episódio.

Ainda falando sobre pontos positivos, adorei a ideia do SimuLandon – um pouco mais até do que do próprio Landon. Foi bastante engraçado ver a manifestação do subconsciente da fénix, completamente apaixonada por Hope, e Aria Shahghasemi fez um excelente trabalho ao desempenhar basicamente três personagens diferentes (estas duas e a versão de Landon criada pelo prisma) num espaço de tempo tão curto.

Para além de aspetos de que gostei, este episódio teve também uma quantidade significativa de momentos de importância para a série que irão ter um grande impacto nos episódios futuros. A revelação da identidade de Clarke é, sem dúvida, um deles. Ainda que a audiência estivesse já dentro deste segredo, o mesmo não pode ser dito sobre as restantes personagens que, a partir de agora, já o sabem também. Isto quer dizer que Clarke não virá a ter o mesmo acesso e influência que tem tido sobre a escola e seus alunos, em especial Josie, o que abre novas portas para o futuro.

Igualmente importante é a partida de Landon e Rafael e subsequente regresso de Hope à Salvatore School. Será interessante ver de que forma se desenvolvem personagens cujas histórias estavam tão interligadas e, de certa forma, codependentes. Acredito que isto possibilitará o desenvolvimento de Landon e descoberta das suas capacidades enquanto fénix, assim como o crescimento de Rafael enquanto personagem. Já Hope, uma personagem que mudou bastante desde a 1.ª temporada, terá a possibilidade de continuar a explorar a sua vida fora da sua relação com Landon.

Mais importante, no entanto, é a profecia da Esfinge (ou, sabemos agora, Oráculo), que nos dá um breve vislumbre daquilo que podemos vir a esperar do resto desta temporada.

“Há dois prisioneiros. Um é dono da sua jaula. O outro volta a casa sem poder. Os pecados do pai recairão sobre as filhas, aqui e não aqui. Um novo herói emerge, mas pode ser derrubado pela flecha dourada. O lobo que há entre vocês tem muitas caras. Quando o tempo se fratura, a escuridão domina. Mas o maior destruidor de todos é o amor.”

Pessoalmente, acredito que a primeira parte da teoria apresenta uma referência clara a Kai e a Clarke, respetivamente. Já a segunda, que menciona os pecados do pai, parece ser sobre Alaric, Josie e Lizzie (e, quem sabe, até mesmo Hope). Mas quais serão estes pecados? Será algo que já ocorreu ou que está ainda por acontecer? Já a expressão “aqui e não aqui” faz-me pensar que, no futuro próximo, talvez uma destas personagens deixe a Salvatore School por algum tempo. Se tomarmos ambas as partes em consideração, podemos talvez teorizar que os pecados de Alaric podem ter algo a ver com o facto de este ter já um histórico de esconder coisas das suas filhas, o que, com a chegada de Kai, poderá vir a ter consequências desastrosas para todos.

Este “novo herói” poderá ser Landon e a flecha dourada aparece como referência à flecha de Cúpido (e, tendo em conta que a série terá um episódio do Dia dos Namorados, é plausível que assim o seja). Resta apenas saber se esta é para ser tida como algo literal ou se esta expressão quererá apenas reforçar a ideia de que o amor irá ser a queda deste herói. A importância do amor é novamente abordada no final da profecia, mas, desta vez, com um duplo significado. Aqui, o amor aparece como “o maior destruidor de todos,” maior ainda que os perigos que as personagens enfrentam, mas se o amor será a destruição do nosso herói, também poderá vir a ser aquilo que salva (ou condena) todos, destruindo tudo e todos os que tentam antagonizar as nossas personagens.

Já a referência ao lobo levanta várias questões, uma vez que tanto poderá ser sobre Rafael, ou qualquer outra personagem que possa vir a aparecer entretanto, lobisomem ou não. Se não levarmos o lobo no sentido literal, poderá referir-se a qualquer um que, estando entre os nossos personagens, tem más intenções (como um lobo disfarçado de cordeiro). Podemos inferir que algum tipo de traição irá ocorrer no futuro, daí as “várias caras” deste personagem. No caso desta parte da profecia se referir a Rafael, podemos apenas adivinhar que talvez trairá os seus amigos para proteger Landon.

Por fim, é feita uma menção clara à ampulheta que tem vindo a conter os efeitos da magia negra praticada por Josie – a qual, inevitavelmente, se irá quebrar e desencadear todo o tipo de problemas. A escuridão dominará sobre a personagem e apenas o amor a poderá salvar. Se esse amor será o das pessoas à sua volta, ou se Penelope regressará a tempo de salvar a sua ex-namorada, apenas o tempo o dirá.

E vocês, conseguem desvendar a adivinha da Esfinge? Partilhem connosco as vossas melhores teorias nos comentários!

Inês Salvado