Classificação

7.3
Interpretação
7
Argumento
7
Realização
7.5
Banda Sonora

(Atenção: esta review pode conter spoilers!)

Mais uma semana que passou e, com ela, um novo episódio de Grey’s Anatomy.

Life on Mars? é o nome deste episódio, o 17.º desta temporada da série. Aqui, um inventor abastado chega ao hospital e pede ajuda a Koracick. Meredith esforça-se para salvar uma mulher diabética que tem racionado a sua insulina, enquanto Jo e Link tentam salvar um jovem que caiu na linha do comboio. Por fim, a relação de Jackson e Vic atinge um obstáculo.

Comecemos, então, por aquele que foi talvez um dos aspetos mais importantes deste episódio. Como sabemos, Koracick recebe no hospital um milionário que procura respostas – na realidade, soluções – para um acidente que ocorreu recentemente no lançamento de um foguete por ele construído. A presença desta figura no hospital leva a respostas e reações bastante diferentes entre alguns dos nossos médicos, com Tom em modo empresário, enquanto Meredith se ressente por completo pelo tratamento diferenciado de que Griffin goza em comparação a outros dos seus pacientes.

Desde logo, Grey’s esboça uma clara crítica social ao contar de forma paralela a história, quer deste paciente, quer da paciente de Meredith, uma mulher que, de modo a poder providenciar cuidados aos seus pais já de alguma idade, começou a cortar na sua própria dose de insulina (o que resultou, ultimamente, na sua morte). No entanto, a série não se limita a criticar aqueles que gozam de determinados privilégios ou o sistema que os favorece. Grey’s vai para além disso e coloca uma questão moral ao apresentar-nos com uma escolha: faríamos algo que sabemos ser bastante errado, se isso favorecesse uma maioria carenciada?

Se formos Meredith Grey, a resposta parece ser óbvia, mas desta vez é Koracick quem tem que tomar a decisão entre dizer a verdade e perder um investimento que poderia ajudar muitas pessoas, ou mentir e atribuir o erro de Griffin a uma condição médica, assegurando uma generosa doação para o hospital. Não é, de todo, uma decisão fácil, e a série sabe-o. Ainda assim, Koracick toma uma posição que, veremos nos próximos episódios, poderá (ou não) ter sido a acertada.

Entretanto, Webber continua a não saber como lidar com o seu recém-adquirido problema. O médico sente-se frustrado e zangado até com a vida e, ao invés de ser honesto com Miranda ou desabafar com Meredith, liberta as suas frustrações naqueles ao seu redor. Pessoalmente, ainda que simpatize imenso com Richard, não estou a gostar da sua atitude, não para com a sua condição – essa acho justificada –, mas sim para com as pessoas que, de certo modo, sempre estiveram prontas para o ajudar. Afinal de contas, chegará a altura em que o médico terá que partilhar a verdadeira razão que o leva a afastar-se do bloco operatório com os restantes e, dado serem todos médicos (e, no seu geral, boas pessoas), não me parece que qualquer um deles não seria compreensivo. Parece-me que Webber precisa de mais algum tempo para aceitar que esta é a sua nova realidade, mas espero que o venha a fazer dentro em breve.

Já Teddy começa a perder algum do meu respeito, não só pela decisão que tomou em Snowblind, como também por não ser completamente honesta com Owen, neste novo episódio. É conhecimento geral que não nutro grande apreço pelo médico, mas nem tudo é sua culpa e, neste caso, Teddy tem vindo a tomar uma má decisão atrás de outra, que certamente resultarão em catástrofe. Não acredito que Owen mereça este tipo de tratamento e pergunto-me se a relação entre os dois terá salvação, ou se merecerá sequer salvação, a esta altura.

Num polo completamente oposto, a relação entre Amelia e Link parece estar de volta. Graças a um pequeno empurrãozinho de Jo, o médico tenta emendar as coisas com Amelia, não desistindo facilmente da relação entre os dois. O gesto de reafirmação parece confortar Amelia, que se sente aliviada por Link reforçar que, independentemente do que consta no resultado de paternidade, quer estar com a médica e fazer parte tanto da sua vida, como da vida do bebé. Por coincidência, Amelia está armada com os resultados deste teste e confirma que a criança é, na verdade, filha de Link e a audiência respira finalmente em alívio. Menos um problema!

Por fim, a saúde mental de Andrew continua a colapsar, mesmo após lhe ser ordenado que fale com um terapeuta antes de regressar às suas normais funções. Apesar de o médico continuar a insistir que nada de estranho se passa consigo, a verdade é que DeLuca tem vindo a tornar-se progressivamente mais insuportável ao longo dos episódios, não sendo Life on Mars? exceção à regra. Sendo honesta, acho que o médico teve sorte em, no final do episódio, Jo apenas lhe ter atirado a sua bebida ao invés de lhe partir uns quantos dentes e acho que Grey’s chegará a algum tipo de conclusão no que diz respeito a esta narrativa nos próximos episódios.

Inês Salvado