Grey’s Anatomy – 12×07 – Something Against You
| 14 Nov, 2015

Contém spoilers!

Num episódio de Grey’s Anatomy que não prometia um enredo particularmente interessante, eis que a série dá cartas continuando a apresentar bons episódios. Na próxima semana teremos o winter finale e vou certamente sentir muitas saudades da série durante os próximos dois meses.

‘Something Against You’ traz-nos um novo personagem, a mais recente aquisição para a equipa médica do Grey-Sloan Memorial Hospital. Ele é Nathan Riggs, o amigo médico de April que nos foi apresentado na semana passada. Ele foi contratado por Bailey para o Departamento de Cardio, sem Maggie saber, o que causou logo alguma tensão, acentuada pela reação de Owen que não quer, de todo, aquele homem por perto. Aquilo foi um sintoma de PTSD (Síndrome de Stress Pós-Traumático)? Owen parecia estar a ver coisas que não existem! Não sei qual é o problema entre Owen e Nathan, mas deve ter muito que se lhe diga. Estou genuinamente curiosa!

Meredith decidiu parar de ‘torturar’ Penny e ainda bem, porque aquilo ia começar a tornar-se patético se durava muito mais tempo. No entanto, Meredith continua um pouco ‘à nora’ em relação à nova residente e não a trata da mesma forma que trata os outros. Como de costume, Callie being Callie não conseguiu evitar meter-se no assunto e deu um raspanete a Meredith sobre ser suposto ela ensinar Penny e não a privar das melhores oportunidades de aprendizagem. A cena até me deu vontade de rir porque Penny ficou extremamente envergonhada. Só me fez pensar naquelas cenas caricatas das séries e dos filmes quando as mães vão ao gabinete do diretor da escola protestar com eles em defesa dos filhos. Penny provou que sabe defender-se a ela própria. Gosto da forma como ela encara as coisas, acho que tem uma postura bastante correta e consegue ser muito razoável em situações difíceis.

No meio disto tudo, confusões à parte, Meredith e Jo têm um paciente, velho conhecido (não me lembro dele, deve ter sido algo off-screen), que estava já há muito tempo à espera de um transplante de rim. Tudo parece perfeito quando aparece um dador compatível, mas depois descobre-se no senhor uma nova condição, um grande alto na cabeça, que pode inviabilizar a cirurgia.

Também no caso temos Penny, Callie, Amelia e Stephanie, que juntas tentam determinar o passo seguinte. A solução vem por parte de Jo (sinto-me surpreendida!) e Mr. Jaffe pode assim ser operado e recuperar a sua vida sem diálise. Jo fica chateada por Meredith ter dado a Penny a oportunidade de intervir na cirurgia. Para Jo, aquele era o paciente dela e de alguma forma Penny roubou-lho. Mas a sério, esta rapariga tira-me do sério! Está sempre a queixar-se de que é relegada para segundo plano pelos assistentes, que consideram Stephanie muito mais capaz no campo cirúrgico, mas a verdade é que ela não faz nada para se distanciar disso. Durante quanto tempo é que a vimos apenas como namorada de Alex? Na maior parte dos episódios ela está a queixar-se que Alex dá mais atenção a Meredith ou então que as amigas do namorado não gostam dela. Só parece ter ganho algum interesse pela cirurgia quando começou a ‘competir’ com Stephanie e agora chateia-se porque Penny lhe ‘roubou’ a cirurgia? Jo também esteve presente, foi parte ativa no processo, não é como se tivesse sido posta de parte.

A melhor parte do episódio acabou por vir de um tema que é ainda muito atual, que está longe de estar ultrapassado e continua a ser tabu: o racismo. Começou com Maggie, que sentiu que estava a ser ignorada por uma paciente em detrimento de Nathan. Depois surgiu também em discussão se o facto de Amelia ter tirado o partido de Jo acerca da suposta mentira de Steph também poderia ter sido uma questão racial, mas não foi. Adorei a conversa entre Amelia e Maggie sobre o assunto e gostei de ver Amelia preocupada com coisas que realmente interessam, uma vez que ela tem passado o tempo a agir como uma criança mimada. É importante quando as séries pegam em assuntos importantes para a sociedade, porque a televisão não deve abstrair-se do seu papel de ensinar algo às pessoas. Fico à espera de um episódio igualmente bom (ou melhor ainda) na próxima semana!

Considerações rápidas:

  • O Jackson tem tanto dinheiro e não desampara o sofá de Bailey? Tenho a certeza de que ele ficava mais confortável num hotel! Pobre Ben a ter que correr com o amigo de casa para poder ter uma noite de romance com Bailey!
  • Era mais que previsível que Jackson e April iam dormir juntos. Vai haver divórcio ou não? Por favor sim, eles são um casal extremamente chato!
  • Aquela mãe doida a ‘atacar’ o interno foi totalmente surreal! Daqueles momentos engraçados que fazem sempre rir
  • Richard e Arizona num bar gay, lindo! Adorei quando ele descobriu que afinal a noite não se tratava de Trivial (mas a sério, ele achava que ia para um bar com jogos de tabuleiro?) Bora arranjar uma namorada para Arizona! Gira como ela estava, vão chover candidatas!

Diana Sampaio

Publicidade

Populares

calendário estreias

his dark materials

Recomendamos