10427325_10152138646322251_7271570041565481869_n

Chegamos ao final de 24…. e não sei o que dizer, preparei-me para todos os cenários possíveis e impossíveis, mas mesmo assim o meu coração não ficou indiferente e fiquei triste por perder (mais uma vez) a minha série favorita de sempre! Só REZO para que façam uma nova temporada, com novo nome e que tenha um final digno, os fãs de 24 merecem isso! Coração não é de ferro!

Atenção, spoilers com fartura!

O episódio começa com a mira apontada para Audrey e se esta se mexe do banco onde está, acaba por ser morta. Audrey vê que a sua amiga ainda está viva e não obedece às ordens e levanta-se para a auxiliar, contudo, o atirador acaba por matar a sua amiga e Audrey acaba por assistir e voltar a sentar-se no banco, pois Cheng está a observar tudo o que se passa.

Jack, Kate e companhia continua na casa do ‘big boss russo’ à procura de algo para que os possam ajudar a encontrar Cheng, Jack acaba por encontrar num armário um telemóvel e do qual encontra as informações sobre um navio onde Cheng estará mas não só: vê Audrey nas imagens e recebe o aviso de Cheng, para o parar de seguir. Jack quer salvar Audrey, mas Kate diz que faz isso e diz-lhe para ele encontrar Cheng, Jack aceita e segue cada um o seu caminho!

Passamos para a CIA, onde o presidente e toda a sua ‘tropa’ acabam de aterrar e reunir-se para analisar o ataque eminente da China aos EUA , a tensão é mais que muita e todos os olhos estão postos nos navios e submarinos chineses que podem a qualquer momento atacar, coma  esperança que Jack consiga provar que Cheng está vivo.

Chloe é encontrada no meio da estrada por estranhos e pede um telemóvel para ligar a Jack, Jack ouve e apesar de não aceitar logo à primeira, acaba por ir ao seu encontro, afinal a amizade é assim, e acreditem, melhor amizade que esta, não existe! A conversa enquanto se dirigem para o navio onde Cheng está não podia ser mais verdadeira, para mim foi dos momentos mais intensos do episódio.

Ao mesmo tempo que tudo isto acontece, Kate consegue chegar a Audrey e vai falando com ela sobre como vão fazer para a libertar (desculpem-me mas irei avançar já aqui com um resumo geralm pois custa menos do que aos bocadinhos) Audrey segue as ordens de Kate e acabam por conseguir proteger e matar o atirador, mas (sim existe sempre um mas) depois de Kate avisar Jack que Audrey está segura e pedir ajuda a CIA para os levarem para lá, eis que aparece um segundo atirador vindo do nada e começa a disparar, e a pontaria não podia ser melhor: alvejou Audrey. Kate faz tudo o que pode, dentro do seu alcance, para a salvar mas infelizmente é tarde de mais, Audrey acaba por morrer (aqui começou o meu coração a ficar partido com este episódio…)

Passamos para a parte do navio, onde Jack e o seu amigo entram em acção com o apoio da Chloe para os guiar através das suas perecias informáticas e usando infra-vermelhos. A acção começa, mata um aqui, outro ali, a entre-ajuda entre todos foi fantástica e senti que foi a melhor desde esta temporada, mas as coisas começam a complicar a partir do momento que Jack recebe chamada de Kate e que lhe diz que Audrey está morta. Jack não quer acreditar e damos conta que ele está diposto a desistir da vida, mas a sua fúria por vingança torna-se maior, levantar-se é torna-se o Jack Bauer mais agressivo de toda a temporada, quem disse que ’30 contra um’ é desequilibrado? Para Jack são as contas certas, ele não se contenta com menos!

Jack mata tudo o que lhe aparece à frente até que encontra Cheng e após uma luta (quem diria que o velho sabia lutar, mas não mais que Jack!) liga para CIA para lhes mostrar que conseguiu o que lhe foi pedido (e também o que ele queria) o reconhecimento facial e vocal é realizado e todo o vídeo é enviado para o presidente da China para lhe provar que não está a mentir. Jack não perdoa, pela morte de Audrey, corta em grande estilo a cabeça de Cheng, desta vez tem a certeza que está bem morto.Para terminar a cena do navio, após ter morto Cheng, Jack e o seu amigo vão ao encontro de Chloe mas esta não se encontra lá e acaba por receber uma chamada para um encontro, quem será? Já lá vamos.

Regressando à CIA, onde o presidente da China manda recuar a sua frota e diz que irá analisar o vídeo que lhe foi passado, enquanto isto acontece é o ‘momento certo’ para contar o presidente o que se passou, que a sua filha morreu. Incrédulo não acredita e diz que não é possível, mas explicam-lhe tudo e infelizmente o presidente não lhe resta outra alternativa que acreditar, nisto desmaia por segundo e fica sem forças, sem vontade de viver, sem nada…

As cenas finais do episódio resume-se ao funeral de Audrey e o presidente a dizer que não se lembrará de nada disto (devido à sua doença) mas o seu sofrimento é bem real!

Passando à cena final, Jack encontra-se com alguém (e acabamos por perceber que esse alguém são novamente os filhos da mãe dos russos) em troca da libertação de Chloe, este cruzam-se e Jack dá-lhe a mão e diz-lhe que foi a melhor amiga que alguma vez teve (o meu coração ficou frio e tão pequeno com esta cena, foi tão sentido) Chloe segue em segurança com o amigo de Jack no carro e a cena final termina com Jack já dentro do helicóptero a ser levado pelos russos para Moscovo.

O que dizer sobre este final? Por mais triste e difícil que tenha sido, acho que conseguiram fazer um bom trabalho, para mim não foi um final, pois a Audrey não tinha morrido e Jack e Chloe não tinha terminado assim, ficaram tantas questões no ar, tantas incertezas, tantas certezas, tantas esperanças…. tanta emoção!

Por incrível que possa parecer, vou dar 10/10 ao final desta ‘vida’ de 24, pois apesar de o episódio ter sido dos mais complicados de ver e intensos, foi também dos que teve todos os momentos que são precisos ter numa série como esta!

Espero voltar a fazer novas reviews de 24, quem sabe não nos voltamos a cruzar, eu espero que sim, pois a série tem tudo para isso, e como o que é bom acaba depressa: Até um dia Jack Bauer e Chloe O’Brian 😉

 

Nota: 10/10
Ricardo Santos