almosthuman01x09

01×09 – Unbound

Depois de uma pequena pausa, Almost Human voltou com o 9º episódio da série. Esta semana a FOX revelou que existe uma gémea da detetive Valerie. Ora, se uma abrilhanta a série, duas são capazes de ofuscar tudo. Esta informação partilhada pela FOX já tinha sido avançada pela atriz que dá corpo à personagem, ainda no ano passado.

A equipa de argumentistas tem sido capaz de criar uma narrativa sólida, repleta de criatividade, aliada a casos de investigação bastante interessantes. Daí o feedback positivo e os níveis de audiência surpreendentes para uma série de ficção científica.

Esta semana, Almost Human conta a história de um robô, modelo XRN, que tinha sido destruído em tempos depois de três dias de muita carnificina. Após a sua destruição, a única coisa que escapou foi a cabeça da máquina que acabou guardada no armazém da polícia durante alguns anos. Após uma operação ousada, uma máquina consegue infiltrar-se nesse armazém e apoderar-se da cabeça do XRN, deixando a polícia em alerta vermelho.
Para este caso, a equipa conta com a ajuda do Dr. Nigel Vaughn, criador dos DRN, como Dorian, mas também do XRN que está à solta. Pelo menos, é esse o pensamento inicial.

Não me parece plausível é o desaparecimento do Dr. Vaughn de uma esquadra repleta de polícias, andróides e sistemas de vigilância. Achei forçado. No entanto, fica no ar a ideia deste criador agora que conseguiu ter acesso a 500 processadores e também “almas sintéticas”. Não tarda deve ter um exército a sair do forno e se forem todos como o modelo XRN, as coisas não se avizinham pacíficas.

Os próximos episódios serão, certamente, reveladores mas também repletos de ação. Dorian estará numa posição delicada, pois defende a polícia contra a pessoa que o criou e acabou por traí-lo. A 4 episódios do final da temporada, as coisas prometem aquecer.

De destacar que o ator que dá vida ao personagem Nigel Vaughn é John Larroquette, um peso pesado de Hollywood. Isto vem mostrar que a FOX não brinca na hora de apostar forte numa série.

Nota: 8/10

Ricardo Almeida