Na passada quinta-feira, 26 de agosto, a BBC e a Netflix anunciaram que se vão unir para dar asas a um novo projeto que consiste em integrar pessoas com deficiência na produção e escrita de novas séries televisivas, promovendo a sua representatividade.

De acordo com o The Hollywood Reporter, o novo projeto, que terá a duração de cinco anos, foi idealizado para “aumentar a representatividade de pessoas com deficiência tanto dentro como foras dos ecrãs, de modo a alargar a gama de histórias produzidas”. A ideia é “dar a oportunidade aos escritores e produtores com deficiência uma maior escolha no que diz respeito ao tipo de histórias que pretendem contar”. A BBC e a Netflix passarão, assim, a considerar projetos criados ou co-criados por produtores e escritores surdos, com deficiência e neurodivergentes.

Todos os projetos apresentados serão avaliados e desenvolvidos em conjunto, mas a BBC será o “ponto de entrada” para todas as inscrições e propostas. Ambas as partes envolvidas referiram que o objetivo desta parceria é “colocar estas produções no mesmo patamar dos dramas mais conhecidos dos canais”.

Citada pelo The Hollywood Reporter, Anne Mensah, vice-presidente de séries originais Netflix, afirma que os criadores “surdos, com deficiência e neurodivergentes fazem parte de um grupo que é o menos bem representado na televisão no Reino Unido. Nós simplesmente queremos alterar isso”. Acrescenta, ainda, que, em conjunto com a BBC, a ideia é ajudar os criadores a contar “histórias encorajadoras e apresentá-las, tanto ao público britânico, como à audiência global”.