Classificação

9.2
Interpretação
9.5
Argumento
9
Realização
9.2
Banda Sonora

This is Us, um título que encaixa na perfeição na mensagem que esta série transmite. E desde logo percebemos o porquê… Porque podíamos ser nós, quaisquer uns de nós, porque esta série que a NBC nos traz trata de algo muito real: de relações, de emoções, de ligações e de pessoas autênticas e experiências que qualquer pessoa poderia viver. É isso que tem despertado o interesse de tantos fãs por todo o mundo.

Na casa de partida temos três personagens que compõe três núcleos aparentemente distintos, cujo único elo de ligação é a partilha do mesmo dia de anos, estando todos a celebrar o seu 36.º aniversário:

Jack, interpretado por Milo Ventimiglia (Heroes), um apaixonado pela vida e pela sua mulher Rebecca, ambos radiantes de felicidade à beira de viverem o momento mais importante das suas vidas: estão prestes a ser pais não de um, não de dois, mas de três filhos. Isso mesmo, trigémeos.

Noutro núcleo temos Kevin e Kate, gémeos que vivem juntos e partilham os seus dramas. Kate luta contra um grave problema de obesidade ao qual vive presa por anos, sem conseguir aproveitar a plenitude do que a vida tem para oferecer. Mas parece estar a encontrar o amor junto de alguém que partilha a mesma luta e que poderá ser um forte incentivo para mudar de vida. Já o seu irmão Kevin é um ator que ficou mediático por protagonizar o programa “Ma-nny”, onde ganha fama à custa de exibir constantemente o seu corpo. Mas Kevin quer algo mais, quer um papel a sério, quer substância e luta por se afastar do estereótipo do ator oco que vive da aparência.

E Randall, encarnado por Sterling K. Brown (recentemente premiado com um Emmy pelo seu papel em American Crime Story), que foi abandonado pelo seu pai pouco depois de nascer, mas foi adotado por uma família que o amou, venceu a adversidade e deu a volta a um rumo que se adivinhava difícil desde cedo, sendo agora um homem de família, casado, com duas filhas, bem-sucedido no trabalho e com muita saúde financeira. Vive no entanto um dilema: após descobrir o paradeiro do pai, hesita em confrontá-lo e vive um misto de sentimentos entre a revolta e a ligação de sangue.

O argumentista e criador da série, Dan Fogelman, envolve-nos com as histórias genuínas que conta, manipula de um certo modo as nossas emoções, brinca com o destino e isso aliado aos fortes desempenhos torna muito fácil criarmos uma ligação com estas personagens. Não será por isso estranho que nas próximas semanas estejamos a torcer para que Kate se dê bem no namoro e que consiga perder peso; que Randall supere o seu passado e fortaleça a relação, até aqui inexistente com o seu pai; que Kevin encontre o papel que procura e que Jake e Rebecca sejam felizes com os seus gémeos depois de um parto dramático, orquestrado pelo sábio Dr. Katowski, outra excelente personagem que marcou este piloto.

O que torna esta série tão genuína e autêntica é que, como na vida não ficcional, não há só felicidade nem só drama, há um misto de emoções. É assim natural que os próximos episódios nos levem a soltar umas gargalhadas com o humor que aparece a espaços ou uma lágrima com o drama que confere realismo à ação.

Resta perceber então qual a ligação entre estas personagens. O final deste piloto apesar de ter uma boa dose de drama à mistura, traz uma agradável surpresa que ajudará a responder a essa pergunta. Mas tal como eu adorei ser surpreendido, vou deixar quem ainda não viu desfrutar do twist final, que vale muito a pena.

Em suma, This is Us é uma série que poderá surpreender bastante e que vale a pena seguir e que com certeza não deixará ninguém indiferente. Aqui no Séries da TV não deixou e por isso, todas as semanas, review do novo episódio!

André Borrego