Grey’s Anatomy – 13×09 – You Haven’t Done Nothin’
| 19 Nov, 2016

[Contém spoilers]

Este episódio fez-me sentir tudo aquilo que ao longo destes anos me fez viver a série tão intensamente. Uma espécie de medo, de ansiedade, pelo que pode ou não acontecer a estas pessoas. Sinceramente, uma sensação que tive medo de ter perdido com a saída de Callie da série. Só que este episódio veio provar-me que ela podia ser a minha preferida, mas que também nunca vou conseguir desligar-me das restantes personagens. Não quando um episódio consegue ser bem feito. Bastante bem feito. E quando a banda sonora nos arrepia, enquanto acompanha o desenrolar dos acontecimentos mais trágicos, ainda melhor!

Alex. Jo. Meredith. Webber. Os grandes personagens deste episódio! Jo tem sido uma personagem descartável na série desde que apareceu, mas em episódios como hoje penso que pode simplesmente ter sido mal aproveitada até aqui. A vida dela até se tornar médica foi um sem fim de desgraças e quando se trata de uma série isso é uma coisa boa, dá histórias interessantes. Gostei imenso da forma como contou a Alex a verdade de não ter podido casar com ele e de, apesar disso, não ficar clara uma possibilidade de os dois reatarem se Alex ficar em liberdade depois do julgamento. Quanto a isso, continuo a achar que não faria muito sentido que voltassem.

Só que Alex queria ‘salvar’ o dia e aceitar um acordo em que cumpriria uma pena de dois anos porque assim Jo já não teria de testemunhar e não corria o risco de que o seu passado viesse à baila, passasse a ser do conhecimento público, e assim o sacana que lhe batia pudesse encontrá-la. Muito nobre, mas estou com Meredith nesta questão. Só ia fazê-lo por Jo, mas é a vida dele que está em jogo. Para mim, ele continua a ser culpado, cometeu um crime, mas por outro… Eu gosto de Alex, é um bom tipo. Oito ou dez anos é muita coisa para alguém que cometeu um erro. Mas depois penso em Andrew e talvez seja justo. Alex podia ter escolhido dar-lhe apenas um soco, mas não, rebentou-o todo. Portanto, deixo nas mãos do tribunal decidir.

Mas é verdade! Às vezes até me esqueço dos anos todos que passaram desde que esta série começou. Desde que eram Meredith, Cristina, Alex, Izzie e George. Agora só restam dois deles e Meredith não quer ser a única por ali. O elenco original começa a desaparecer! E por falar em desaparecimento, o que é que Amelia vai fazer? Será que ela precisa apenas de um tempo? Caterina Scorsone, a atriz que a interpreta, foi mãe recentemente, portanto será que é apenas uma desculpa que explicará a sua ausência durante a licença de maternidade? Ou irá Amelia desaparecer tão depressa como apareceu e voltar a L.A.? Gosto imenso de Amelia, mas não me agrada o rumo da história com Owen, que começa a ser uma repetição dos seus problemas maritais com Cristina.

A braços com problemas, mas em termos profissionais, está Richard Webber com a vinda de Eliza Minnick para o hospital. É claro que ia acontecer, isso era garantido! Só que ele não esperava era que ela fosse dirigir o programa de residentes. E Bailey nem falou com ele, mas é outra questão em que não consigo escolher um lado. Bailey deve fazer o que for melhor para o hospital e para os médicos em termos de aprendizagem, no entanto, ela também deve lealdade a Webber, as pessoas não são descartáveis! E assim parece muito do pessoal médico achar, já que se reuniram para apoiar Webber. Quem não vai gostar nada disto é Catherine, mas se ela ficar com azia que tome uma pastilha! Se os médicos que têm uma participação como proprietários do hospital se juntarem a favor de Webber será que vai adiantar alguma coisa? Porque eu estou mais do que convencida de que Eliza veio para ficar!

O caso médico do episódio foi muito bom! Histórias de sentimentos de culpa/perdão são sempre uma mais valia numa série que pretende mexer com as nossas emoções. Uma criança morreu, a mãe ficou desesperada e tentou matar a pessoa que contribuiu para a morte da filha. É sempre triste ver uma criança partir, mesmo quando se trata de ficção.

Um episódio com nota alta para uma série que, até aqui, teve uma temporada muito mediana. Vemo-nos de novo em janeiro, quando Grey’s Anatomy regressar!

Nota não tão rápida: O flirt entre Arizona e Eliza foi no ponto! Ainda não aconteceu nada, mas eu já estou totalmente pronta para shippar, a série precisa destes momentos deliciosamente engraçados de vez em quando. Até me fez lembrar de quando Arizona começou a fazer-se de difícil com Callie depois de descobrir que ela não tinha muita experiência com mulheres. Mas só se ela fosse completamente idiota (que não é!) é que não percebia que Eliza estava a flirtar com ela. Estou ansiosa por ver desenvolvimentos!

 

Diana Sampaio

Se ainda não conhecem os nossos parceiros de Grey’s Anatomy (Portugal), espreitem aqui!

Publicidade

Populares

calendário estreias

slow horses poster

Recomendamos