Grey’s Anatomy – 12×22 – Mama Tried
| 07 Mai, 2016

[Contém spoilers]

Antes de me debruçar sobre o episódio, quero dizer que não invejo nada esta juíza. Ter de decidir quem fica com Sofia é uma tarefa ingrata! Callie e Arizona são ambas excelentes mães e num mundo perfeito da ficção nenhuma delas deveria ser privada da filha, não fosse isto uma atribuição de custódia total. Favoritismos à parte – uns torcem por Arizona, outros por Callie – este é um daqueles casos em que todos perdem, mesmo que alguém ganhe a batalha judicial. Sinto-me triste por Callie e Arizona terem chegado a isto, depois da bonita história de amor que partilharam.

E agora sim, vamos ao episódio! Começou da maneira mais difícil possível, com uma série de flashbacks – uns felizes, outros nem tanto – do passado de Callie e Arizona como casal. Em pouco tempo, somos levados para tribunal, onde a maioria das cenas têm lugar. Os sneaks peeks lançados durante esta semana faziam prever um episódio muito doloroso de ver, mas foram criados precisamente para esse efeito. O episódio não é, nem de perto, tão emocionante quanto prometia.

Meredith e Owen do lado de Callie. De Luca e Webber a testemunharem a favor de Arizona. Bailey, bem, ainda estou para perceber. Ela estava sentada no lado das testemunhas de Callie, mas não ajudou em nada, muito pelo contrário. Houve contratempos enquanto Meredith e Penny depunham. Para citar a advogada de Callie sobre o testemunho de Penny, “correu muito, muito mal”. É aqui que está a beleza dos julgamentos, porque tudo vira consoante a capacidade dos advogados e aqui as duas partes estavam bem representadas.

Callie e Arizona, claro, foram quem deu os testemunhos mais tocantes, mas nada por aí além. Do que vimos, não se pode dizer propriamente que a bola pendesse para um lado do campo. Quando chegou a altura de ouvir a decisão eu não fazia ideia do que ia acontecer, mas tenho um palpite daquilo que pode ter ‘decidido’ o julgamento. Por um lado, o facto de Arizona ter abandonado o tribunal para ir tratar de uma paciente podia ser mal visto. Por outro, ela disse qualquer coisa como: independentemente do que acontecesse, a Sofia ficaria bem, seria amada. A meu ver, pode ter sido isto a fazer a juíza decidir a favor de Arizona. No entanto, fico com a sensação de que, face ao que vimos, não havia o suficiente para tomar uma decisão fundamentada até porque, e eu já o disse, são ambas excelentes mães.

Se o episódio em si até não ‘doeu’ tanto como eu estava à espera… Bem, a decisão final atingiu-me com força. Não que eu não estivesse convencida de que Arizona poderia mesmo ganhar a custódia de Sofia, mas… Ver acontecer é diferente. Ver Callie ficar sem a filha deixa-me muito triste. Que Callie e Arizona tenham chegado a este ponto deixa-me ainda mais triste. Que Callie tenha deixado que a advogada arrasasse Arizona, quase com insinuações de que ela é uma slut, também me deixou triste. Queria tanto ter ouvido o que Callie ia dizer a Arizona quando Penny as interrompeu, dizendo que já havia uma decisão!

Agora há duas questões importantes que ficam em aberto: o que vai ser de Callie e Penny? Callie afastou a namorada depois de saber a decisão, como se a culpasse. Isto não é surpreendente, mas vá lá, Callie, ela não teve culpa! Não te vou dizer para a perdoares, porque ela não fez nada que exija perdão. Este não é o momento para tomar decisões a quente! Se Penny era importante o suficiente para Callie para esta confusão toda se ter gerado, é bom que as coisas não terminem com tanta facilidade. No entanto, não estou muito confiante.

Quanto a Sofia, como é que lhe vão explicar isto tudo? Callie certamente continuará em Seattle, mas o que é que significa alguém ganhar a custódia nestes termos? Callie poderá ver Sofia com que frequência? E esta decisão não pode ser contestada em tribunal? Não é possível recorrer? É possível rever a decisão? Se sim, dentro de quanto tempo?

Ah, também estou curiosa por ver o clima que se vai instalar no hospital quando tiverem todos que trabalhar juntos depois de ter havido claramente pessoas a lutar em lados diferentes da batalha.

Exigia-se mais, muito mais, de um episódio desta natureza! Valeram as sólidas interpretações de Sara Ramirez e Jessica Capshaw para salvar tudo. Era possível ler tanta coisa nas expressões e nos silêncios de cada uma!

Considerações rápidas:

  • Senti tanta falta de Mark neste episódio! Se ele estivesse vivo NUNCA teria deixado Callie e Arizona ir avante com esta estupidez! Teria gritado com as duas sobre o quão estúpido e errado… Enfim!
  • Gosto da forma como April e Jackson estão a fazer planos para o seu bebé, sem envolver tribunais. Quem os viu e quem os vê!
  • Era tão previsível que Steph quisesse voltar para Kyle! Mas aquela situação dele não vai acabar nada bem! Nada nesta série acaba bem.

Diana Sampaio

Se ainda não conhecem os nossos parceiros de Grey’s Anatomy (Portugal), espreitem aqui!

Publicidade

Populares

calendário estreias

his dark materials

Recomendamos