Classificação

6.8
Interpretação
6.2
Argumento
6.5
Realização
8.4
Banda Sonora

Atenção: esta review contém spoilers!

Justamente quando pensávamos que nos tínhamos visto livres de The Originals e The Vampire Diaries, eis que chega Legacies, o seu spin-off. Aqueles que acompanharam as outras séries sabem que Legacies seguirá a história da nova geração de seres sobrenaturais na Salvatore School for the Young and Gifted (não, não é a escola da Miss Peregrine!).

Entre as personagens que transitaram para esta nova série encontram-se Alaric Saltzman (Matt Davis), as suas filhas, Josie (Kaylee Bryant) e Lizzie (Jenny Boyd), e, é claro, Hope Mikaelson (Danielle Rose Russell), a nossa protagonista. Ao elenco principal juntam-se ainda “MG” (Quincy Fouse) e Rafael Waithe (Peyton Alex Smith), alunos desta escola, e Landon Kirby (Aria Shahghasemi), que, ao que tudo indica, será o nosso antagonista.

Falemos então um pouco sobre Legacies. Devo dizer que quando este spin-off foi anunciado não fazia qualquer intenção de o ver. A notícia chegou numa altura em que já estava completamente farta de The Originals e The Vampire Diaries, por várias razões. A última coisa que queria fazer era ver mais uma série de Julie Plec. Bem, o tempo foi passando e, quando chegou a altura da verdade, escolhi fazer uma review desta série (e ainda bem que o fiz!).

À primeira vista, há algo que acho muito estranho em Legacies. Normalmente, o intuito de um spin-off é transitar a audiência de uma série para a outra e, com sorte, angariar mais algumas visualizações. Assim sendo, seria de esperar que Legacies fosse uma série um pouco mais madura, de modo a prender quem passou oito anos a ver TVD e outros cinco a seguir The Originals. A verdade é que acontece exatamente o oposto, tornando-se Legacies numa típica série adolescente. Por si só, não acho que isto seja um problema. Acho até louvável que queiram atrair gente nova para este universo. O problema surge quando começam a ser feitas referências a narrativas de TVD e The Originals, que só não se tornam confusas para quem realmente viu ambas as séries. Vou ser franca – não vi nenhuma das séries até ao fim e esses poucos episódios que perdi foram o suficiente para ficar à nora em determinados momentos.

Outro aspeto que achei menos positivo foi o facto de a série ter uma “vibe” muito semelhante às suas antecessoras (sei que isto parece parvo, tendo em consideração que é um spin-off, mas até o logótipo é uma cópia idêntica dos de TVD e The Originals). Tendo em conta que houve muita gente descontente com o final de ambas as séries, acredito que Legacies faria bem em distanciar-se um pouco mais dos seus “pais” em alguns aspetos. Posto isto, a série continua a ter as suas diferenças em relação às demais. Gosto bastante do concept de uma escola para pessoas com poderes sobrenaturais e acho que a série tem mais potencial do que aquele que está a ser explorado, de momento. Mas, para isso, terá de se distanciar não só das outras séries, mas também de alguns clichés que estiveram já presentes neste episódio piloto.

Se é verdade que existem clichés que nunca irão desaparecer da televisão, também é verdade que existem várias maneiras de os explorar de modo a que não sejam tão in your face. Em Legacies, não temos só personagens cliché (as filhas de Alaric parecem mean girls autênticas), mas temos também situações que são comuns a literalmente todas as séries de sobrenatural (como, por exemplo, o facto de uma pessoa que acabou de ver algo de extraordinário acontecer à sua frente não ter dois dedos de testa para acreditar que sim, aquilo que viu é real).

Tenho, ainda, uma questão a colocar à CW: onde é que anda o orçamento para esta série? Sei que isto foi apenas um episódio piloto, mas os efeitos especiais deixaram muito a desejar. Quer dizer, passámos de uma série onde usavam lobos verdadeiros para uma em que os lobos feitos em CGI não se parecem com nada. Esse é o único aspeto negativo que não consigo perdoar em Legacies. Acho que, melhorando isso, a série terá muito mais valor.

Apesar de ter passado os parágrafos anteriores a criticar a série, tenho de vos dizer o seguinte: se estão a considerar ver esta série, façam-no. Legacies não é, de todo, uma má série – é uma série que, à semelhança de The Originals e TVD, é de fácil visualização, e merece a mesma oportunidade que as outras tiveram. Não juro a pés juntos que se tornará numa série icónica da maneira que TVD se tornou (até porque, na minha opinião, já acabou a maluquice com as séries de sobrenatural), mas acredito que tem potencial para mais. Falta ver se o saberão aproveitar.

E vocês, já viram Legacies?

Inês Salvado