Troy: Fall of a City – 01×01 – Black Blood
| 07 Abr, 2018

Contém spoilers!!

Troy: Fall of a City recria o processo que levou à queda da cidade de Tróia, e desde cedo fica claro que vai ter uma componente mitológica forte, uma vez que o nosso protagonista Paris, um nome bem conhecido de quem gosta de mitologia grega, encontra três Deusas: Afrodite, a Deusa do amor; Athena, a deusa da sabedoria; e Hera, a deusa da maternidade. No que pode parecer um encontro cheio de sorte, Paris é escolhido para tomar a decisão de que Deusa irá receber a maçã dourada, mas na realidade está mais perto do azar, porque enquanto favorecemos uma Deusa estamos a irritar outras duas. Paris acaba por decidir entregar a maçã a Afrodite, seduzido pela promessa de encontrar o seu amor na mulher mais bonita com que alguma vez se deparará.

Um tempo depois, Paris estava a lutar contra Hector em frente ao Rei Priam, num espetáculo real, quando o rei reconhece uma marca de nascença e admite Paris como o seu filho há muito perdido, Alexander. O começo da sua adaptação à vida real é difícil, Paris cresceu habituado a fazer trabalho duro, mas a ter liberdade e na corte acaba por acontecer um pouco do contrário. Priam decide que está na altura de enviar Paris numa missão, envia-o para Tróia para conhecer e casar com a filha adolescente do rei Menelaus de Esparta.

O problema é que a mulher mais bonita que Paris já viu está em Esparta, só que não é Hermione, a filha de Menelaus, mas sim a sua mãe Helena. O que se passa a seguir não deve ser grande surpresa mesmo para quem segue pouco as histórias de mitologia, mas já devem ter ouvido o nome Helena de Tróia, cujo facto de ter seguido o amor foi o que levou à queda da cidade. E é assim que esta história prossegue, o rei é obrigado a sair da cidade para o funeral do seu pai e Paris faz um avanço com Helena, acabando esta por ceder e passam a noite juntos.

Devido aos seus sentimentos por Helena e ao facto de estes até pela sua filha estarem a ser captados, Paris decide que é melhor abandonar a cidade o mais rápido possível, antes do regresso de Menelaus, e convida Helena a fugir com ele. Esta recusa, afirmando que como mulher não é o lugar dela escolher o seu próprio caminho. No entanto, acaba por não acreditar totalmente no que diz. Afirma que não se está a sentir bem e não aparece na despedida de Paris, mas envia um presente para a sua mãe, num caixão enorme. Paris acaba o episódio abrindo o caixão, mas nós não conseguimos ver o que está lá dentro. Acredito que quase de certeza se trata da própria Helena.

Pessoalmente não irei descobrir, não acho que o piloto tenha sido bom o suficiente para me cativar, não conseguiram transmitir a paixão de Paris e Helena de uma forma sequer aproximada de como as histórias o conseguem fazer e não foram convincentes o suficiente para levar a crer que aquele encontro fosse o suficiente para pôr em risco uma cidade. Outra coisa que me leva a não continuar é o facto de ser apaixonado por mitologia, especialmente a grega, e portanto já conheço a história.

Só valeria a pena ver, na minha opinião, se esta conseguisse trazer algo de novo. A nível da caracterização e da recriação de uma época, a série está muito bem e faz um belo trabalho. Se querem descobrir mais sobre a história que levou à queda de Tróia, então podem acompanhar os restantes sete episódios e, com uma boa notícia, hoje é o dia em que sai o episódio final, ou seja, não precisam de esperar.

Raul Araújo

Publicidade

Populares

calendário estreias

fire country poster

Recomendamos