Pois é, caros seriólicos, apesar de Gillian Anderson ser laureada de prémios como os Emmy, Globos de Ouro e SAG Awards pelo seu papel de Dana Scully na série original The X-Files, os produtores da série não levaram isso em conta quando a questão salarial foi colocada sobre a mesa.

Anderson confirmou que foram precisas 3 reuniões para se chegar a um acordo mais igualitário em termos de salários entre Gillian e o seu parceiro David Duchovny. Para além de uma posição misógina por parte da Fox, estes ainda queriam que a mítica Scully tivesse um papel de fundo, que se escondesse atrás do seu parceiro, sem nunca tomar um pé de igualdade nas filmagens. Ou seja, a Fox queria desfazer uma dupla que nos acostumou pela sua igualdade na resolução dos casos paranormais e substituí-la por uma série digna de um estúdio dos anos 70. Esta postura da Fox apenas coloca na spotlight a clivagem salarial de que muitas mulheres são alvo (seja na TV ou noutro meio) pelo simples facto de serem mulheres.

Ainda assim, a questão parece ter passado ao lado dos média. Segundo a própria Anderson: ” Estou surpreendida pelo facto de esta questão não ser sido mais vezes levantada. Especialmente neste clima onde as mulheres se queixam da desigualdade salarial nos negócios. Eu acho que é importante que este tema seja ouvido e tenha voz. Achei chocante (…). Tive de batalhar para esta igualdade e no final consegui. ” [tradução livre]

A Fox não prestou qualquer declaração, como seria de esperar.

Tiago Cortinhal