Classificação

7.5
Interpretação
6
Argumento
7.5
Realização
7
Banda Sonora

[Contém spoilers]

Depois deste episódio posso dizer que, embora ainda adore This Is Us como sempre adorei, esta parece-me ser das temporadas mais fracas – isto dito por alguém que não tinha achado muita piada à temporada passada por todo o enredo do Vietname – e este o meu episódio “desfavorito” de sempre. Se acompanharam a minha review da semana passada sabem o que eu temia deste episódio. Tendo em conta que eu não me identifico com Randall nesta matéria do imaginar “se tivesse feito algo diferente como seria a minha vida agora”, todo este episódio, na minha ótica foi desnecessário. E para os fãs que esperavam uma montanha russa de emoções ao ver Jack vivo e a envelhecer, lamento, mas acho que também nem isso tivemos.  This Is Us tem a fama de nos fazer chorar e acho que perdeu uma grande oportunidade que nunca mais poderá recuperar.

Todos os cenários de Randall são ridículos seja o melhor seja o pior, e roçam muito no irracional – ver apenas o que se quer ver é algo muito fácil para o ser humano. Quanto ao melhor cenário, foram inúmeras as vezes que revirei os olhos ao ecrã e rezei para que acabasse rápido, Jack não era nem seria perfeito e não seria a cura milagrosa para todos os problemas do mundo de Randall – parem de o colocar num pedestal!

O pior cenário quebrou o meu coração, pois ele imagina que a vida dele tal como a conhece não acontece e é horrível (não conhece Beth e nunca atinge a estabilidade emocional) e a dos irmãos perfeita (Kevin está com Sophie e Kate não tem um filho cego). Por que é que que num melhor cenário não estavam todos felizes e perfeitinhos, mas só Randall? Fez-me pensar que ele deve ter também alguns problemas no seu subconsciente em relação aos irmãos.

Algo que não esperava e é aí que o episódio começa a brilhar – obrigada senhora terapeuta – é quando percebemos que afinal os problemas atuais de Randall não são todos devido à forma como lidou com a morte do pai, mas sim como ele já está ansioso e vive a morte da mãe antecipadamente – o quarto pai que perde. Aí sim, o episódio ficou triste e emocional. Mas claro… “Eu, Randall, fui sempre um filho cinco estrelas e nunca atirei nada à cara da minha mãe, por isso, acho por bem manipulá-la a fazer algo que não quer naqueles que podem ser os últimos meses da sua vida normal, só para eu poder viver uma vida sossegada comigo mesmo… Só que não, porque se calhar vou ficar chateado com o meu irmão anos e anos desnecessariamente, tudo isto porque não sei lidar com os meus problemas e tenho de me impor e controlar todos porque fui o melhor membro desta família”. Desculpem toda esta descarga, mas foi assim que saí do episódio, com bastantes emoções, mas não me parecem as pretendidas.

Aguardo, agora, ansiosamente, pelo último episódio da temporada. Quero voltar ao presente e perceber mais do que será o futuro, quero respostas e quero sentir aquele sentimento acolhedor que This Is Us me costuma despertar.

Ana Leandro