Classificação

7
Interpretação
6
Argumento
7.5
Realização
6
Banda Sonora

[Contém spoilers]

Four Lives é uma minissérie de três episódios da BBC inspirada em acontecimentos verídicos. No centro da trama temos um homem que matou quatro jovens gays que conheceu em sites de encontros ou afins. Importa ressalvar que o verdadeiro Stephen Port foi condenado a uma pena de prisão perpétua, depois de ter sido provada a sua culpa pelos assassinatos, bem como por múltiplas violações sexuais. O piloto de Four Lives começa por nos apresentar a primeira vítima de Port (Stephen Merchant), Anthony Walgate. É o seu assassinato que acaba por ser o elemento central do episódio, que peca por ser excessivamente longo, com quase uma hora.

A série faz um esforço por nos apresentar Anthony, dando-nos a conhecer as suas paixões e a sua família, mas sinto que a forma como tudo aconteceu não contribuiu para criar um grande impacto junto dos espectadores. Anthony tinha um encontro marcado e depois aparece morto. Além do mais, sabíamos que o tipo com quem se tinha ido encontrar era precisamente o mesmo tipo que chamou por ajuda e que depois mentiu à polícia, o que destrói qualquer efeito surpresa. Compreendo que a série tenha a preocupação de retratar os acontecimentos tal como eles se deram, mas ocultar a identidade da pessoa com quem Anthony se ia encontrar teria sido uma boa ideia. Quem vê uma série não quer que a informação lhe seja dada de mão beijada, mas é verdade que os ingleses não têm o hábito de “dramatizar” as coisas da mesma forma que os americanos. Outra coisa que não apreciei foi o facto de a série ter perdido muito tempo com uma certa parte da investigação e a lidar com a família da primeira vítima de Port.

O episódio aumentou de interesse quando apresentaram Gabriel, um jovem eslovaco que foi para Londres para viver livremente como homem gay. Para além de o personagem ser extremamente querido e alguém de quem é muito fácil gostar, todo o seu background é muito interessante e a ligação que criou com John Pape, um homem que o acolheu em sua casa de forma completamente desinteressada, deixou-me colada ao ecrã. A morte de Gabriel não é mais ou menos trágica do que a de Anthony, obviamente, até porque não nos podemos esquecer de que se trata de uma história com uma base real, mas tocou-me de uma maneira diferente. Não acho apenas que se tenha tratado de eu ter sentido ligação com um personagem e o outro não, mas de a série ter criado o momentum certo para uma das mortes e para a outra não.

A série teria beneficiado de um episódio piloto mais curto, pois acabei por ter alguma dificuldade em manter-me concentrada. O tema de Four Lives é muito interessante, mas acho que a execução acabou por ficar aquém do seu potencial. Ainda para mais porque, tratando-se de uma história verídica, nem é preciso ver os episódios todos para saber o desfecho. Não é, de todo, uma série a evitar, mas não posso dizer que me tenha conquistado.

Diana Sampaio