Classificação

8.5
Interpretação
7.5
Argumento
8
Realização
7
Banda Sonora

30 Monedas, a nova série da HBO que estreou no passado dia 29 de novembro com este primeiro episódio, Telarañas, foi produzida pela HBO Europe na Espanha, em participação com a HBO Latin America. Como produtor temos Álex de la Iglesia, que, juntamente com Jorge Guerricaechevarría (Os assassinatos de Oxford), é o responsável pelo argumento; os dois já tinham trabalhado juntos, nomeadamente no filme The Oxford Murders.

Podemos aqui ver a história do Padre Vergara (Eduard Fernández), um exorcista, lutador de boxe e ex-presidiário que vive atormentado pelos demónios do seu passado e exilado (pela igreja) numa cidade remota em Espanha. Ele quer esquecer, ser esquecido e simplesmente começar uma nova vida. E é nesta cidade, da qual é sacerdote, que se vai passar grande parte (mas não só) da ação ao longo destes oito episódios. No entanto, nem tudo vai correr como Vergara imaginou, como é óbvio, e, mais cedo do que ele pensa, os seus demónios voltam para o aterrorizar e para nos deliciar a nós enquanto espectadores.

Voltando-nos agora para o primeiro episódio de 30 Monedas, o que posso eu dizer sobre o que se passou nesta 1h 20min de tensão, estranheza e alguns sobressaltos, quase a tocar no medo? Se foi bom? Não o sei dizer com toda a certeza, mas que foi diferente foi. E isto por si só já é de louvar!

O episódio começa, do meu ponto de vista, com um bom ritmo, mas um pouco aos trambolhões (algo que vai melhorando); não sabemos bem o que estamos a ver, se nos enganamos na série ou se nos enganamos no episódio, pois começa muito sem contexto do que está acontecer.

Nas primeiras cenas a edição parece-me instável, levando o espectador de cena a cena e acabando por nos fazer sentir perdidos numa boa quantidade de diálogo e contexto descontextualizado. Eu acabei mesmo, por vezes, completamente sem saber qual o significado da cena e da sua importância para a história (se é que realmente o tem).

No entanto, outras coisas fazem valer a pena o tempo aqui investido: o trabalho da câmara e a rara cinematografia são realmente muito bons e muitos dos atores mais velhos tiveram performances de fazer inveja. Aliás, a performance de todos os atores foi bastante agradável de ver, havendo poucas ocasiões em que deixaram a desejar. De salientar também a intro, que faz lembrar um pouco cenas de Mel Gibson em The Passion of the Christ.

Como puderam ler até aqui, esta é uma série difícil de explicar do que se trata. Começa de modo estranho e termina como começou, mas há qualquer coisa que me deixou com vontade de ver mais e de saber o que vai acontecer depois disto. Se gostam de séries estranhas, originais, diferentes do que estamos habituados, esta é definitivamente um must watch.

Filipe Tavares