Classificação

7
Interpretação
6.5
Argumento
6
Realização
7.5
Banda Sonora

[Contém spoilers!]

Depois de tão anunciada chega finalmente aos ecrãs – e já está disponível na HBO Portugal – Katy Keene, o spin-off da série baseada nos Archie Comics, Riverdale. Dos criadores Roberto Aguirre-Sacasa e Michael Grass, produzido por Greg Berlanti para a The CW, Katy Keene apresenta-se como uma lufada de ar fresco, num tom cómico e muito musical, onde as artes performativas são rainhas e os sonhos são para ser tornados realidade, muito fora do mundo dark e assustador que nos trazem Riverdale e Chilling Adventures of Sabrina.

Katy (Lucy Hale) foi introduzida no último episódio de Riverdale (04×12) como amiga de Veronica (Camila Mendes), apesar de já ter sido mencionada em episódios anteriores. A ligação a Riverdale é Josie (Ashleigh Murray), a lead singer da girls band Pussycats, que sempre teve o sonho de se mudar para Nova Iorque e vingar numa carreira a solo como cantora.

O episódio começa com Katy a contar a sua história sobre o sonho que tem em tornar-se uma estilista de renome e um dia conseguir vender os seus designs para a loja de topo Lacy’s. A interpretação de Lucy é, sem dúvida, um dos pontos marcantes deste piloto:  genuína, esforçada, responsável, determinada e muito querida, um tom que Lucy consegue entregar na perfeição. Depois de Aria em Pretty Little Liars e de Stella em Life Sentence, Lucy Hale não para e continua a dar cartas no mundo da representação.

A premissa segue a história de Katy, que trabalha como assistente para Gloria Grandbilt (Katherine LaNasa), chefe do departamento de compras na Lacy’s. Katy é impecável no que faz, no entanto não consegue a promoção que tanto merecia por mérito próprio, pois Gloria tem inveja. Jorge/Ginger Lopez (Jonny Beauchamp) é o colega de quarto de Katy que tem o sonho de poder trabalhar na Broadway, mas que nunca ouviu um ‘sim’. Pepper Smith (Julia Chan) também faz parte do gangue, mas é uma personagem difícil de escrutinar: conhece meio mundo, mas ainda não se percebe bem o que ela faz… E Josie, por intermédio de Veronica, fica a morar com Jorge e Katy no pequeno apartamento em NYC.

A storyline de Josie parece forçada: enquanto procura trabalho, acaba por cantar no Washington Park e Alexander Cabot (Lucien Laviscount) multimilionário e dono de uma discográfica, aparece e dá-lhe o seu cartão. No dia seguinte, Josie grava um single, janta com Alex e dorme com ele. Posteriormente é apresentada ao conselho de administradores da discográfica e não gostam dela. Cliché! Comparativamente à personagem forte e determinada que aparenta ser em Riverdale, Josie chega a Nova Iorque e deslumbra-se facilmente, tornando-se uma mulher ingénua que se deixa levar pela cantiga de qualquer um.

Jorge/Ginger, uma queer carismática e muito talentosa, tenta de tudo para vingar no mundo do teatro, mas não tem sido fácil. É uma personagem com quem muitos, hoje em dia, se vão conseguir identificar por todos os olhares e situações que estas pessoas têm de enfrentar diariamente apenas porque querem mostrar quem são realmente.

Por fim, temos Ko Kelly (Zane Holtz), sweetheart de Katy, que tem o sonho de ser boxeur. Tenta, inclusive, convencer Keene a mudar-se para Filadélfia. Acaba por ser uma personagem mais secundária, mas que dá força a Katy e a apoia a 100%.

O piloto inicia-se num tom muito positivo, com a premissa de que os sonhos são alcançáveis. A meio, tudo isso cai por terra. Termina, no entanto, com um desfecho também positivo e num cliffhanger. Atualmente o mundo das séries de televisão está repleto de reboots, spin-offs e de ideias pouco inovadoras. Katy Keene, apesar de ser um spin-off, está feita para o público teen e para todos os sonhadores que estão determinados a alcançar o estrelato.

Margarida Rodrigues Pinhal