Classificação

8
Interpretação
8
Argumento
7.5
Realização
7
Banda Sonora

[Contém spoilers]

“You’re a monster, Alice. But you’re rational. Imagine if you were at the mercy of every dark impulse. Is that what you want?”

Uma nova semana trouxe consigo o mais recente episódio de Batwoman, intitulado Arrive Alive. Com Batwoman e os Crows no encalço da False Face Society, os seus esforços colidem e a tensão intensifica-se. Entretanto, Alice procura Enigma, e Sophie e Ryan chegam a um entendimento. 

Após o rapto de Angelique por parte de Sionis e a False Face Society no final de Time Off for Good Behavior, Sophie e Ryan encontram-se sob uma enorme pressão para retificar os acontecimentos que colocaram a ex-namorada da nossa protagonista nesta situação, enquanto os Crows procuram vingar a morte dos seus colegas, assassinados durante a emboscada. Neste novo episódio, os lacaios de Black Mask levam a cabo uma série de assaltos a empresas farmacêuticas por toda a cidade de Gotham, em busca dos ingredientes necessários à criação de snakebite. O seu modo de operar cria uma oportunidade para Sophie infiltrar o grupo, adotando a identidade de um dos condutores que realiza o transporte desta valiosa mercadoria. No entanto, os planos da agente dos Crows vão por água abaixo quando Batwoman, desconhecendo o seu objetivo, interceta o seu veículo, deitando por terra todos os esforços de Sophie para encontrar Angelique. A personagem acaba mesmo por ser afastada da investigação por Jacob, que a substitui por um outro agente cujos métodos são muito mais agressivos que os de Sophie.

Frustrada por este acontecimento, Ryan oferece-se para tomar o lugar da “Crowphie” nesta missão, elevando de imediato os níveis de ansiedade da personagem que não pretende colocar mais ninguém em perigo. Mas, sem outras opções às quais recorrer, a agente vê-se forçada a aceitar a ajuda de Ryan, que se entusiasma com a possibilidade de conduzir um dos chamativos veículos a alta velocidade, num episódio fortemente influenciado pela saga Fast & Furious. A dinâmica entre as personagens é hilariante, em especial quando Luke se vê envolvido no assunto, sendo forçado a fingir não conhecer a nossa Batwoman de modo a manter aparências. Contribuindo para o lado mais humorístico deste episódio, o personagem acaba por ferir ainda o ego da nossa protagonista ao revelar que o batmobile tem sido guiado por um programa de inteligência artificial, quando Ryan acreditava verdadeiramente que a sua condução estava a melhorar. 

De qualquer forma, o grande plano das personagens passa por colocar um rastreador na mais recente peça de mercadoria que Ryan terá de transportar até Sionis: uma lata de fear toxin, um ingrediente indispensável à produção de snakebite. A nossa Batwoman mostra-se à altura do desafio, conseguindo fixar o aparelho à lata enquanto Luke conduz o veículo remotamente. Após um breve encontro pouco amigável com os Crows, Ryan realiza a entrega, partindo em seguida ao encontro de Sophie. Para sua surpresa, a personagem não se encontra no local acordado, tendo os seus próprios planos para travar Black Mask sem a ajuda de Ryan. Esta falta de colaboração e comunicação entre as duas partes acaba por se apresentar como um erro crítico, uma vez que tanto Sophie como Batwoman são incapazes de travar Sionis neste episódio – apesar de, a certo ponto, terem alguma vantagem sobre o vilão. É nesta altura que Roman ameaça a vida de Angelique, comprando assim a sua liberdade em troca de não ordenar a execução da ex-namorada de Ryan, que permanece cativa.

Ainda em Arrive Alive, Alice continua a tentar apagar as suas memórias de Kate, para colocar finalmente um fim à sua relação com a irmã. Após um encontro desastroso com um paciente de Enigma, Alice tenta manipular a Dr.ª Rhyme a apagar-lhe as memórias, sem muitas conversas, nem satisfações. No entanto, esta assume realmente uma postura de psicóloga, e leva Alice numa viagem alucinada de introspeção, para a fazer perceber que apagar Kate da sua memória é talvez a pior decisão que a vilã pode tomar. Isto porque, como é bastante claro para a audiência, Kate é realmente o seu último compasso moral e, sem esse compasso, ela tornar-se-ia mesmo uma assassina sem escrúpulos. Este momento foi uma oportunidade para Alice virar o espelho para si própria e, pela primeira vez, admitir a si mesma que afinal não é uma vilã sem coração, afinal ainda quer saber de alguém e, afinal, esquecer-se de Kate não é nada fácil. Apesar de ser algo óbvio para todos, achamos que estava na altura desta autorrevelação, pois o que torna Alice uma vilã tão fascinante é o seu lado humano e esta luta entre o seu lado emocional e vulnerável, e o seu lado mais lunático e caótico. 

Também nesta viagem de carro alucinada, Alice vê não só uma jovem Kate, como vê também Ocean, no lugar de condutor. Percebemos imediatamente o porquê de Ocean estar presente: trata-se de mais uma pessoa que Alice quer esquecer, principalmente após ter sido obrigada a matá-lo, em Survived Much Worse. A alucinação de Ocean a questionar Alice o porquê de o ter morto surge como uma manifestação da consciência da nossa vilã, que lhe pergunta o mesmo. Ela bem pode tentar, mas fugir do subconsciente acaba sempre por nos apanhar. No entanto, a maior surpresa chega quando Alice dá de caras com Ocean mesmo à sua frente, no escritório de Enigma. Se a tensão já estava alta, este é o momento em que ela rompe a escala e não podia ter sido um momento mais satisfatório. Após ter descoberto que afinal a Safiyah a enganou, tendo revestido a faca com rosas do deserto, Alice tenta encobrir as suas emoções com uma nova tentativa de manipulação. No entanto, basta abrir um pouco a cortina para perceber que está em choque e que lhe custou mesmo muito ter sido obrigada a matar Ocean. Mas, como todos sabemos, Alice faria qualquer coisa para ter Kate de volta, mesmo que esta não esteja pronta para o admitir a si própria. 

Contrariamente a todas as expectativas, voltamos a ter momentos entre Alice e Ocean, depois do seu último encontro desastroso em Coryana. Temos de confessar que é impossível não sentir nada em relação a estes dois, que têm um historial cheio de tensão e emoções fortes. Mas, o mais importante de tudo é que explorar esta relação de Alice com um antigo amor é uma espécie de desculpa para finalmente vermos a nossa vilã no seu lado mais vulnerável. É fascinante assistir a Alice, uma assassina, a arriscar tudo por alguém, apresentando um character development incrível. É certo que esta relação não vai durar muito porque Alice não pode ser soft por muito tempo, mas, de qualquer maneira, é uma boa mudança para a personagem e é muito giro para a audiência ver uma Alice apaixonada, nem que seja só por um bocadinho. No fim, Enigma acaba por expor a password necessária para devolver as memórias a Alice e Ocean, de uma maneira muito engraçada, como se quisesse despachar a situação e deixá-los a sós o mais rápido possível. Talvez tenha sido uma situação irrealista para a vilã, uma solução demasiado fácil, mas que mostra também a sua imprevisibilidade e falta de consideração pelas consequências que possam surgir desta ação.

Por fim, este novo episódio aborda novamente as muitas frustrações de Sophie para com os Crows – um tópico de grande interesse e que tem vindo a criar em nós um forte sentimento de antecipação. Conforme mencionado anteriormente nesta mesma review, Sophie é obrigada a abrir mão da sua investigação a Sionis e à False Face Society, sendo substituída por Russell Tavaroff. A decisão é levada a cabo por Jacob, cuja personalidade começa a mudar como consequência do seu uso de snakebite, desde o passado episódio. O comandante desta agência resolve que Tavaroff, um agente que dispara primeiro e coloca questões depois, está mais bem preparado para a tarefa do que Sophie, o que surge como um autêntico insulto à personagem que, de forma compreensível, tem dificuldade em acatar as ordens do seu superior. Acreditamos que a saída de Sophie desta instituição é iminente, tendo a própria atriz dado a indicar que a sua personagem se poderá vir a tornar na próxima comissária do departamento policial de Gotham – uma possibilidade por nós considerada em Rule #1. Esta chance parece tornar-se ainda mais provável tendo em consideração que (spoiler!) Sophie descobre a verdade sobre Ryan neste mesmo episódio, estando a série na posição ideal para criar uma dinâmica semelhante à de Jim Gordon e Batman, mas melhor. No entanto, há que se ter em conta que a nossa agente favorita não é a única no encalço de Batwoman, uma vez que Tavaroff tem em sua posse uma amostra de sangue da vigilante e a vontade de travar aquela que considera uma ameaça à organização.

Como pensamentos aleatórios, resta-nos apenas referir que gostámos de ver Sophie com um estilo um pouco diferente ao que estamos habituados, no que diz respeito à forma agente se apresenta. As tranças da personagem, em particular, conferem um ar mais natural a Sophie, marcando também uma vitória para a atriz que há muito desejava uma alternativa às extensões e perucas que tem vindo a utilizar. Representa ainda um passo em frente relativamente à representação de personagens de cor na série, exibindo estilos que se distanciam dos padrões de beleza eurocêntricos. Outro aspeto que nos despertou curiosidade em Arrive Alive foi a ausência de Mary, fortemente sentida por nós enquanto membros da audiência. Ainda que a personagem seja mencionada por várias vezes ao longo deste episódio, tendo emprestado o seu carro a Sophie e Ryan, é estranho ver um episódio sem um dos membros da bat team. Seria de esperar que se chateasse com o estado em que o seu veículo é devolvido, repleto de buracos provenientes do tiroteio dos Crows a Ryan, mas parece que teremos de viver sem essa cena. Foi também interessante ver a série fazer referência a algo que nos incomodou em Survived Much Worse, com Alice a questionar Ocean sobre a imprudência de Safiyah em não ter um plano de modo a garantir a segurança das rosas do deserto – como, por exemplo, um bunker cheio de sementes. Este pequeno detalhe demonstra que os argumentistas da série prestam atenção a estes pequenos detalhes, impedindo que se venham a tornar verdadeiros plot holes. Finalmente, Black Mask continua a surgir como um excelente vilão para esta metade da 2.ª temporada, pelo que mal podemos esperar por novos episódios.

Batwoman entra agora numa breve pausa, com regresso marcado para o próximo dia 2 de maio. Até lá, podes rever todos os episódios da série através da plataforma de streaming HBO Portugal.

Ana Oliveira e Inês Salvado