Classificação

9.1
Interpretação
8.6
Argumento
9.3
Realização
9.1
Banda Sonora

Atenção: esta review contém SPOILERS!

Nesta passada semana, The Originals trouxe-nos o sétimo episódio da sua 4.ª temporada e, apesar de não ser supersticiosa, devo dizer que tenho um fraquinho pelo número sete. Porque é que isto é relevante, perguntam-se? Porque, na minha opinião, The Originals presenteou-nos com um dos seus melhores episódios desta temporada, ou até mesmo da série, com High Water And A Devil’s Daughter. É neste episódio que Charles Michael Davis, o nosso querido Marcel Gerard, tem a sua estreia enquanto realizador.

Após descobrir que o mais recente servo do Hollow, Dominic, está à solta, Freya coloca um feitiço protetor sobre a mansão Mikaelson que força Klaus, Hayley e Hope a permanecer no seu interior. Entretanto, Elijah resolve fazer as coisas à sua maneira quando Vincent se demonstra relutante em realizar um perigoso ritual necessário para fortalecer as suas defesas contra o Hollow. Finalmente, enquanto Freya leva a cabo um plano arriscado que a coloca frente a frente à nova ameaça, uma reviravolta inesperada leva a que a sua vida fique presa por um fio.

Neste episódio, Elijah continua a colocar-se na posição de mau da fita para que Klaus não tenha que o fazer, ao forçar o seu irmão a permanecer na mansão enquanto vai ter com Vincent. O duo conversa sobre os Antepassados e o Ritual da Colheita, conceitos com que já estamos familiarizados, e Elijah sugere restabelecer a ligação com estas entidades. Isto não agrada a Vincent, visto que requer o sacrifício de quatro jovens bruxas. Apesar da sua relutância, o bruxo vê-se forçado a realizar o ritual, uma vez que Elijah vai em frente com o sacrifício. Como era de esperar, os Antepassados não apreciam o sacrifício feito de maneira imprópria pelo vampiro. Vincent tenta dar a volta à situação ao pedir ajuda ao espírito de Davina, que ultimamente o consegue ajudar, e aproveita a oportunidade para a nomear vigilante de toda a magia ancestral de Nova Orleães, tornando-a na sua mais poderosa aliada.

Confinado à sua mansão, Klaus começa por tentar destruir o osso que Hayley encontrou no episódio anterior, mas sem sucesso. Rapidamente resolve redirecionar a sua atenção para Hope, que o questiona sobre Marcel. A pobre rapariga não obtém nenhumas respostas do seu pai, uma vez que este não se demonstra disposto a falar sobre o assunto. Insatisfeita, desce até aos túneis onde Marcel se encontra cativo, com o objetivo de satisfazer a sua curiosidade. De início, Marcel tenta manipular a rapariga de modo a que o liberte, ao que Hope responde: “I’m seven, not stupid”; mas a conversa não tarda a mudar de tom e Marcel acaba por lhe contar a sua história.

Entretanto, Freya formula um plano para derrubar Dominic, após se cruzar com ele na rua. Com a ajuda de Joshua, que na verdade não tem grande voto na matéria, Freya atrai o bruxo para a sua armadilha: um círculo enfeitiçado que o despoja de todos os feitiços que o protegem. A bruxa demora o seu tempo a torturar Dominic, de modo a obter novas informações sobre o paradeiro dos restantes ossos do Hollow. Descobre que os seus protetores eram os Apisi, uma antiga linhagem de lobisomens (que, como descobrimos mais tarde, está ligada a Tyler Lockwood (Michael Trevino de The Vampire Diaries), mas é tudo o que Dominic lhe consegue dizer. Uma vez que o bruxo deixa de ter utilidade para Freya, este ameaça Keelin de modo a que a bruxa não o mate, ao afirmar que enviou os seus lacaios atrás da lobisomem. Dominic consegue subjugar Freya e chega mesmo a matá-la, mas Keelin, que consegue derrotar os servos de Dominic, chega a tempo de a ressuscitar. Após o sucedido, Freya tenta distanciar-se de Keelin, não querendo colocá-la novamente em perigo, mas vê-se incapaz de o fazer. As duas admitem, finalmente, que desenvolveram sentimentos uma pela outra e é neste episódio que partilham o seu primeiro beijo.

Este episódio conta ainda com algumas interações entre Hayley e Klaus, através das quais percebemos que os dois têm ideias diferentes daquilo que Hope necessita. Enquanto Hayley acredita que a sua filha merece ter uma infância normal, Klaus crê que deveriam ter como prioridade desenvolver a magia de Hope para que esta se possa proteger de uma eventual ameaça. Apesar das suas divergências, ambos concordam que a inocência de Hope tem que ser protegida, pelo que Hayley agradece a Klaus quando este toma a decisão de banir a violência na mansão. No entanto, esta promessa é rapidamente quebrada quando, após a breve morte de Freya, Dominic consegue entrar na casa dos Mikaelson e Klaus vê-se forçado a matá-lo.

No entanto, Hope não é exposta ao incidente: após libertar Marcel, o vampiro pede a Hope que feche os olhos e cante alto, de modo a não ver ou ouvir o que se está a passar, e leva-a para longe da confusão. Mal se apercebe do sucedido, Klaus parte em busca de Marcel e Hope, sob a impressão de que Marcel raptou a sua filha. Quando os encontra, Hope conta-lhe o que realmente se passou e Klaus decide deixar Marcel partir. Partilham ainda uma cena que indica uma futura aliança entre os dois e finalmente parecem perceber que funcionam melhor quando estão na mesma equipa.

No meio de toda esta ação, Sofya visita Dominic e dá-lhe falsas informações sobre o paradeiro de Marcel. O bruxo ataca-a com a lâmina de Papa Tunde antes de partir rumo à armadilha de Freya, e Sofya permanece imobilizada durante a grande maioria do episódio. Só recupera a consciência no fim, quando o Hollow decide remover a lâmina do seu peito. É ainda neste episódio que temos um breve glimpse desta figura, que se apresenta como uma jovem rapariga e se apodera do corpo de Sofya.

Pessoalmente, fiquei completamente rendida às cenas entre Marcel e Hope ou Marcel e Klaus. Fizeram-me recordar a 1.ª temporada e a razão pela qual me apaixonei por esta série que, apesar de ter os seus ups and downs, me está a conquistar novamente. E vocês, o que acharam?

Inês Salvado