Designated Survivor – 01×06 – The Interrogation
| 12 Nov, 2016

Publicidade

No episódio desta semana, Tom vê-se em confronto com os governadores dos estados americanos, visto que estes contestam a sua posição enquanto presidente, na medida em que era um dos membros do antigo governo que era totalmente descartável.

Durante um jantar de receção a esses mesmos governadores na Casa Branca, mais propriamente durante o discurso do Presidente, acontece um tiroteio com vista a matar quem aparecesse pela frente; felizmente não aconteceu o pior e não houve mortes. O tiroteio foi responsabilidade de um seguidor de Nassar, atualmente encarcerado em solo americano depois de ter sido capturado. Mike, um dos seguranças do presidente, é quem mata o autor dos disparos, mas acaba ferido e tem que ser submetido a uma cirurgia, deixando o presidente bastante preocupado. No fim, tudo acaba por correr bem e Mike sobrevive.

Entretanto, Nassar continua sem dar respostas e Tom concede a Atwood e ao FBI o direito de interrogar o terrorista. Deste modo, o interrogatório fica a cargo de Hannah e de Atwood, que sabem que MacLeish está envolvido no ataque e que provavelmente Nassar está a assumir sua autoria sem estar realmente ligado a ele. Hannah consegue, durante o interrogatório, quebrar o silêncio de Nassar e confirma o que já sabia: ele não é o responsável pelo ataque e está apenas a assumir a sua autoria. Consegue ainda que Nassar lhe diga o nome da pessoa que o mandou assumir o ataque: Catalan. Porém, esta revelação não dá em nada, já que Hannah e Atwood não têm autoridade suficiente para saber informações sobre este nome. Quando voltam para falar com Nassar encontram-no morto na sua cela.

Nassar foi assassinado? Por quem? Será alguém mesmo muito importante que impeça até o FBI de ter acesso às informações? Nassar avisou que se “contarem a alguém, ele mata-os também!”.

Emily e Aaron investigam MacLeish para saber se daria um bom Vice-Presidente e não descobrem nada de preocupante, indicando a Tom que MacLeish seria a escolha indicada. Tom decide marcar um jantar com ele para conhecê-lo melhor pessoalmente e só depois decidir. Com isto, Atwood e Hannah ficam a saber que Tom está a considerar MacLeish para Vice-Presidente e percebem que têm que tomar medidas rapidamente e descobrir o que se passou realmente, antes de terem um terrorista como Vice-Presidente dos EUA.

Enquanto isto, o governador da Flórida proíbe a entrada em solo americano de refugiados sírios, visto que depois de Nassar e do ataque ao Capitólio não sabe bem quem são e onde estão os terroristas. Tom e Alex tentam a todo custo convencê-lo, mas sem sucesso.

Reunido com os governadores, Tom sujeita-se a um interrogatório por parte deles de forma a ganhar a sua confiança e a estes fazerem as suas indicações para o Senado. Para isto, Tom é encostado à parede pelos governadores da Flórida e do Arizona, que o obrigam a decidir entre proibir a entrada de imigrantes na América ou conseguir as indicações para o Senado. Tom acaba por acatar o seu pedido e proíbe a entrada dos refugiados, conseguindo assim as indicações para o Senado.

Ainda neste episódio, Seth interessa-se por uma nova jornalista e acaba por acontecer um clima entre os dois. Contudo, antes do primeiro encontro, ela confronta-o com uma pergunta que vai ser muito incómoda para Tom e a sua presidência: Tom é ou não o verdadeiro pai de Leo? Qual o interesse real desta jornalista? Irá aproveitar-se de Seth? E esta dúvida sobre a paternidade de Leo ainda vai trazer dissabores!

Foi um bom episódio, melhor do que anteriores, sempre em elevada rotação, com boa realização, boas interpretações, e que resolve algumas das questões que Tom tinha por resolver, mas originando outras tantas, que vão ser fundamentais para o seu mandato e que nos deixam ansiosos à espera de mais.

David Pereira

Publicidade

Populares

calendário estreias posters junho 2024

station 19 abc

Recomendamos