Grey’s Anatomy – 12×18/12×19 – There’s a Fine, Fine Line/It’s Alright, Ma (I’m Only Bleeding)
| 16 Abr, 2016

Contém spoilers!

Esta semana em vez de um, tivemos dois episódios. Tudo começa quando um menino de seis anos desaparece e o pânico se instala no hospital, já que se pensa que poderá ter sido levado pelo pai. É lançado um Code Pink e o hospital fica encerrado. As portas ficam bloqueadas, impedindo a passagem de umas áreas para outras, e os elevadores também não funcionam. Entretanto o menino aparece, estava apenas escondido, está tudo bem. Oh, esperem, é aqui que afinal tudo corre mal!

Durante o ‘bloqueio’ do hospital, Ben e DeLuca ficam presos com uma mulher grávida. Aparentemente ela estava bem, mas foi-se abaixo e era preciso fazer alguma coisa. Estavam sozinhos, tão pouco podia aparecer alguém para ajudar, portanto Ben tomou uma decisão. Não vou perder muito tempo a fazer juízos sobre o assunto, mas alguns comentários têm que ser feitos. Ok, eles não iam deixar a mulher morrer sem fazerem nada, isto é ponto assente! Mas o caso acaba por mudar muito de figura a partir do momento em que o hospital volta ao funcionamento normal e a mulher podia ter sido ajudada por alguém com treino específico para tal. Até acredito que Ben não tenha reparado que as portas do elevador se abriram, mas é algo que possa ser ignorado por aqueles que são responsáveis pela atribuição da sua sanção? Não acho que possa ou que devesse. Ainda para mais quando há imagens de que ele olhou para as portas. Novamente, ele pode não ter visto, mas são provas difíceis de ignorar.

Apesar de Bailey ter formado um conselho para ajudar a avaliação toda a situação, no fim foi ela a decidir e optou por uma sanção grave: seis meses de suspensão. Isto vai, muito provavelmente, acabar com qualquer possibilidade de Ben se tornar um cirurgião. Não costumo ser radical, mas é a segunda vez que Ben toma uma decisão ousada. Só que agora não teve a mesma sorte de anteriormente. Uma mulher e um bebé morreram e outras três crianças ficaram sem mãe. Com um outcome destes, a ‘pena’ tinha de ser pesada. Ainda por cima porque Bailey é a chefe e tem de estabelecer o exemplo.

Mas falando em dar o exemplo… Violar aquela ordem de não-reanimação foi extremamente irresponsável. A família podia processar o hospital à conta disso, certo? É claro que assim o homem sobreviveu e as crianças não ficaram órfãs, mas foi uma violação de um pedido claro. É por estas e por outras que há sempre imensos problemas neste hospital! Ninguém respeita as regras porque tudo se torna uma questão emocional.

Falando em questões delicadas, parece que April e Jackson começam a ganhar algum juízo após terem passado metade do tempo a serem os idiotas do costume. April, anula o raio da restraining order e já! Jackson, man up, e não deixes a tua mãe continuar a interferir. A situação já é suficientemente complicada sem a intromissão de Catherine Avery. Será que é mesmo desta que os dois fazem tréguas em nome do bebé?

No entanto, se um problema judicial parece prestes a ser colocado por detrás das costas, um novo surge. E com quem envolvido? Callie e Arizona, pois claro! * Respira fundo, Diana * A sério, Callie, às vezes eu nem sei! Agora lembraste-te que amas a Penny e queres ir com ela para Nova Iorque? Muito bem! Só que NÃO! É claro que seria injusto para Penny abdicar de ir, isto é um excelente começo de carreira para ela, mas não interessa. Não é bom para Penny ficar, mas é uma péssima ideia Callie ir. Callie, lembras-te da Sofia? Lembras-te que não és a única mãe dela? Que ao levares a miúda ela vai estar a seis horas de avião da Arizona? Mais um daqueles momentos em que Callie simplesmente não pensa! Só que, por momentos, o cérebro de Arizona também parece ter parado.

Uma batalha judicial? Eu reprovo totalmente a decisão da Callie, mas reprovo igualmente a atitude de Arizona. Além disso, ela acha que vai ganhar a custódia da Sofia? Em termos legais, isto parece-me absurdo. Callie é a mãe biológica, Arizona assinou uns papéis (durante a 8.ª temporada) que lhe davam direitos sobre a criança, mas apenas isso. Talvez tivesse sido boa ideia tentar colocar algum juízo na cabeça de Callie e dizer-lhe que seria injusto levar a Sofia para longe em vez de recorrer a uma advogada, mas é claro que tinha de haver confusão da grossa. Estou mesmo muito desiludida com estas duas. As coisas vão ficar mesmo feias, não vão? Já vamos ter ‘animação’ da boa (ironia ao mais alto nível) até ao final da temporada.

Estes dois episódios foram bastantes melhores do que esperava – muito superiores ao da semana passada -, com boas interpretações e uma excelente realização, mas a forma como tudo se está a encaminhar… Só guerras pessoais! Parece-me que este pode ser o momento em que as minhas personagens preferidas se tornam alguém que já nem reconheço. Ou isso ou as coisas mudam muito, mas não estou confiante. Callie e Arizona, não me partam o coração novamente, por favor. Não façam nada de que se arrependam e que destrua a amizade (podemos chamar-lhe assim?) que conseguiram manter depois da separação.

Diana Sampaio

Se ainda não conhecem os nossos parceiros de Grey’s Anatomy (Portugal), espreitem aqui!

Publicidade

Populares

calendário estreias

slow horses poster

Recomendamos